Telecine exibe clássicos do cineasta M. Night Shyamalan

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 2 Fevereiro, 2018 15:15

Nascido na Índia e naturalizado americano, M. Night Shyamalan embarcou no mundo cinematográfico cedo e não parou mais. Com 27 anos de carreira, ele é diretor, roteirista, produtor e, assim como Alfred Hitchcock e Quentin Tarantino, sempre dá um jeito de aparecer em seus filmes. O Sexto Sentido, que o consagrou como diretor em 1999, Corpo Fechado e Fragmentado serão destaques no Telecine Pipoca, neste domingo, 4 de fevereiro, a partir das 16h30, num especial dedicado ao cineasta.

Lançado em 1999, O Sexto Sentido virou ícone do gênero suspense. Fez sucesso no mundo todo com a história do psicólogo infantil Malcolm Crowe (Bruce Willis) e de seu paciente, Cole (Haley Joel Osment), um menino introvertido, que diz ver pessoas mortas. Crowe é o único com quem o garoto se sente à vontade para dividir seus medos e o envolvimento forte entre os dois transforma suas vidas. A trama comovente concorreu a seis estatuetas no Oscar: Filme, Diretor, Ator Coadjuvante (Haley Joel Osment), Atriz Coadjuvante (Toni Collette), Roteiro Original e Montagem. No Globo de Ouro, foram duas indicações: Ator Coadjuvante (Haley Joel Osment) e Roteiro.

Estrelado por Samuel L. Jackson e Bruce Willis, Corpo Fechado chegou aos cinemas no ano seguinte, cheio de enigmas. Destaque das 18h15, o filme tenta desvendar como David (Bruce Willis) conseguiu ser o único sobrevivente de um acidente catastrófico de trem. Para o espanto dos médicos, ele sai ileso da tragédia. Tentando entender como isso aconteceu, David acaba cruzando com Elijah (Samuel L. Jackson), um desconhecido que afirma ter a explicação que ele tanto procura. Shyamalan encarou jornada tripla no filme ao se dividir entre direção, produção e roteiro.

Às 20h, tem a estreia de Fragmentado no Telecine Pipoca, com o show de atuação do escocês James McAvoya, que se divide entre 23 personagens para viver as múltiplas identidades de seu protagonista. Diagnosticado com Transtorno Dissociativo de Identidade (TDI), Kevin nunca está sozinho em seu corpo e convive com a disputa insistente de suas diferentes facetas. Sem contar com uma nova personalidade – a mais violenta -, que vem dando sinais de que quer dominá-lo.

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 2 Fevereiro, 2018 15:15


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Eu, Tonya

Facebook

Me chame pelo seu nome