Legacy Recordings e Experience Hendrix vão lançar “Both Sides of the Sky”, novo álbum com canções de Jimi Hendrix

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 2 janeiro, 2018 13:06

Legacy Recordings e Experience Hendrix vão lançar “Both Sides of the Sky”, novo álbum com canções de Jimi Hendrix

Em 9 de março, a Experience Hendrix e a Legacy Recordings, divisão de catálogo da Sony Music Entertainment, lançam “Both Sides of the Sky”, um novo e dinâmico álbum de canções de Jimi Hendrix, com 13 gravações de estúdio feitas entre 1968 e 1970 – 10 nunca antes lançadas. O álbum será lançado em vários formatos, incluindo CD, digital e vinil.

“Both Sides of the Sky” é o terceiro volume de uma trilogia de álbuns destinados a apresentar as melhores e mais significativas gravações de estúdio que fazem parte dos arquivos de Hendrix. Começando com “Valleys of Neptune” (2010), que alcançou as dez maiores classificações de vendas em quinze países (incluindo o quarto lugar do Top 200 álbuns da Billboard), seguido de “People, Hell and Angels” (2013), que atingiu o segundo lugar do Top 100 álbuns da Billboard. “Somewhere”, principal faixa do álbum, alcançou o cobiçado primeiro lugar da lista dos melhores singles da Billboard e foi a maior posição de uma música do legendário guitarrista nas listas americanas.

“Desde que a Experience Hendrix começou a restauração do catálogo de músicas de Jimi Hendrix, em 1997, nosso objetivo foi apresentar essas importantes gravações aos fãs do cantor na melhor qualidade possível. Estamos empolgados por ter conseguido isso. Também nos esforçamos para gerar lançamentos de álbuns que apresentem essa incrível música em seu contexto apropriado”, explica John McDermott, um dos co-produtores do álbum, ao lado de Janie Hendrix e Ediie Kramer.

Gravado entre janeiro de 1968 e fevereiro de 1970, “Both Sides of the Sky” mostra que o desejo de Jimi de empurrar os limites do blues pode ser ouvido por toda parte. O álbum também destaca o domínio de Jimi sobre a produção de estúdio e seu crescente uso dessas instalações como um terreno de experimentações para novos sons, materiais e técnicas. Muitas das faixas do projeto foram gravadas pelo trio que viria a ser conhecido como Band of Gypsys: Jimi na guitarra e vocais, Billy Cox no baixo e Buddy Miles na bateria. Para a primeira sessão de gravação, em 22 de abril de 1969, Hendrix voltou-se para sua compartilhada raiz musical, o delta blues. A até então inédita reformulação de “Mannish Boy”, de Muddy Waters, com batidas aceleradas, abre o álbum e define o ritmo para o que se segue. “Lover Man” era um original favorito de Hendrix, que o guitarrista estava determinado a entregar em uma master finalizada. As tentativas anteriores da Experience ainda não o haviam conseguido, mas o esforço de dezembro de 1969 da Band Of Gypsys – completo com sua homenagem à popular música tema de Batman – foi a melhor tentativa até a data.

“Hear My Train A Comin” apresenta o baterista Mitch Mitchell e o baixista Noel Redding da formação original da Jimi Hendrix Experience. Esta composição blues tornou-se um elemento básico nos shows de Hendrix. A inédita gravação de abril de 1969 capturou o furioso poder e a tensão dinâmica que tornaram a música tão memorável. As gravações anteriormente inéditas de “Stepping Stone”, “Jungle”, “Cherokee Mist” (que traz Hendrix na guitarra elétrica e no sitar), bem como a gravação de janeiro de 1968 de “Sweet Angel” são outros dos destaques. 

“Both Sides of the Sky” também traz uma variedade de notáveis ​​músicos convidados. Stephen Stills fez amizade com Hendrix no Pop Festival de Monterey em junho de 1967. Em setembro de 1969, Stills foi convidado para uma sessão com Hendrix na Record Plant em Nova York. Stills incendiou a sessão com uma música que Joni Mitchell havia recentemente composto, intitulada “Woodstock”. Ao lado de Hendrix e Buddy Miles, o trio foi o primeiro a gravar uma versão para a música – meses antes de Crosby, Stills, Nash & Young lançarem sua popular versão da canção composta por Mitchell. Stills também contribuiria com “$20 Fine”, uma música original que traz Hendrix em múltiplas guitarras, Mitchell na bateria, Stills no órgão e nos vocais principais e Duane Hitchings (Buddy Miles Express) no piano.

Outra das impressionantes criações da banda que aparecem no álbum é Jimi Hendrix e Johnny Winter na guitarra, apoiados por Billy Cox e o baterista Dallas Taylor of Crosby, além de Stills e Nash & Young. Um trecho de sua interpretação de “Things I Used To Do”, de Guitar Slim, foi inicialmente escutado como parte de um programa sindical de rádio de 1990, mas aqui é apresentado na íntegra, recém-mixado por Eddie Kramer especialmente para “Both Sides of the Sky”. Em “Georgia Blues”, Jimi se reencontra com seu antigo colega de banda Lonnie Youngblood (vocal/sax) de seus dias pré-fama como membro da Curtis Knight & The Squires. Primeiramente apresentada como parte da coletânea de 2008, “Martin Scorsese Presents the Blues”, mas fora de estoque por quase uma década, esta gravação especial está mais uma vez disponível para os fãs de Hendrix em todo o mundo, em todos os formatos de áudio. 

“Both Sides of the Sky” foi produzido por Janie Hendrix, John McDermott e Eddie Kramer. Kramer foi engenheiro de gravação de todos os álbuns de Jimi Hendrix durante sua vida. Para preservar a integridade e a continuidade do legado do artista, essa mesma equipe foi a responsável pela produção de todos os lançamentos de produções de Hendrix desde 1996.

Janie Hendrix, Presidente e CEO da Experience Hendrix L.L.C. comentou: “temos um crescente compromisso de preservar o legado de Jimi e também de continuar a dar a seus fãs ao redor do mundo lançamentos de qualidade. É isso que ´Both Sides of The Sky´ reflete … nosso contínuo compromisso. Em um sentido mais profundo, é a manutenção de uma promessa. Jimi e eu prometemos que cuidaríamos um do outro. Através de sua música e da nossa preservação de seu trabalho, meu irmão e eu honramos essa promessa. Estamos agora em nossa terceira década cuidando dos criativos trabalhos de Jimi e nossa determinação em manter a integridade do que ele nos deixou ficou ainda mais forte com o tempo”.

Este também é o propósito do envolvimento de Eddie Kramer e sua devoção ao projeto. Ele falou: “a verdadeira casa de Jimi foi o estúdio. Era onde a música e a magia aconteciam. Ele amava gravar e tem sido um prazer e uma honra fazer parte desse processo tanto antes, com Jimi, como agora”.

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 2 janeiro, 2018 13:06


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

MISSÃO: IMPOSSÍVEL – EFEITO FALLOUT

Facebook

GNOMEU-E-JULIETA-2-O-MISTERIO-DO-JARDIM