Com single e sessão ao vivo, Chameleo transforma as dores de uma paixão repentina em indie pop

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 6 fevereiro, 2019 19:41

Com single e sessão ao vivo, Chameleo transforma as dores de uma paixão repentina em indie pop

Após fazer uma viagem de autodescobrimento no single “Color Blind” e explorar os limites do desejo e do horror em “Carne”, o curitibano Chameleo visita de forma dançante as frustrações de um amor repentino e não correspondido na faixa “ImaginaryLOVER”. A música antecipa o EP de estreia do artista e ganha uma sessão ao vivo ao mesmo tempo que chega a todas as plataformas de música digital.

A música une o pop contemporâneo e alternativo do artista com um humor irônico. Na faixa e na sessão vivo, Chameleo está acompanhado do produtor musical Sampaio e do seu amigo e parceiro Jack. Ambos produzem o artista desde seu primeiro lançamento musical em 2014. “ImaginaryLOVER” é um contraponto aos singles já revelados, mostrando uma vertente dançante sem esquecer da pessoalidade das letras.

“Acho que essa música pode conversar com muitas pessoas, se encaixar na vida de muita gente. O amor é livre, quem nunca criou um próprio universo imaginário com um boy?”, brinca o artista.

Transformando a vida em parte de sua obra, Chameleo faz de sua música uma eterna novidade e deste lançamento uma comemoração para sua nova fase de vida após vencer um câncer. A relação dele com música tem raízes profundas. Seu primeiro contato direto foi através do teatro, ainda criança. A inspiração para compor veio na adolescência, usando a arte como forma de lidar com o luto da perda de um familiar próximo.

“O sentimento ao compor é tão libertador e de certa forma terapêutico, que a partir desse momento, meu caderninho, minha caneta e meu violão se tornaram meus melhores amigos, aos quais eu sempre recorria quando precisava tirar algo de dentro que me angustiava”, conta Chameleo.

Pouco depois, aos 15 anos, ele se mudou para os Estados Unidos, onde começou sua jornada como artista usando o inglês como idioma. Seu processo de amadurecimento e crescimento pessoal aconteceu durante esse momento de mudanças.

O trabalho artístico começou a amadurecer entre 2012 e 2014, num período em que viveu em Melbourne. Foi bebendo da cultura underground australiana que descobriu a relação que buscava entre a moda, arte e suas escolhas musicais. Logo após, o cantor voltou aos Estados Unidos. Ele foi estudar produção musical em Los Angeles, na conceituada UCLA, onde se formou.

Foi nesse período, de estudos e concentrações de todas as descobertas feitas, que ele criou o projeto Chameleo, para canalizar em formato de música pop e alternativa todas as transformações que passava e do mundo à sua volta. O primeiro lançamento foi o single “Oblivious Desires”, seguido por uma série de versões de sucesso no canal do YouTube do artista, criando e consolidando a sua sonoridade.

De volta à sua cidade natal, em meados de 2017 , lançou o single e clipe gravado em LA, “Better land”, e começou a se destacar  na cena musical do sul do país. Agora o artista se transforma de novo, trazendo as referências de moda e da cultura underground para o EP “utopiaTABOO”, a primeira das novas metamorfoses de Chameleo. O trabalho vai incorporar canções em inglês e português (como “Color Blind” e “Carne”, que ganharam clipes recentemente), e explorar diferentes linguagens e sonoridades.

“O nome do EP reúne duas palavras com significados muito amplos e presentes na cabeça de todos os seres humanos. Idealizamos e pensando pelo menos uma vez em como seria um lugar perfeito, ideal. Neste EP, canto sem me preocupar sobre situações pessoais as quais ainda são consideradas ‘tabus’, rejeitadas por grande parte da sociedade. Para mim, essas palavras são questōes, será que é possível um existir sem o outro? Será que nossos tabus que estão impedindo o nosso interior de se tornar nossa própria utopia?”, questiona Chameleo.

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 6 fevereiro, 2019 19:41


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

O Parque dos Sonhos

Facebook

Happy Hour - Verdades e Consequências