Paulo José ganha homenagem na Mostra Internacional de Cinema de SP

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 27 outubro, 2017 10:52

A carreira de Paulo José contada em forma de poesia. O documentário TODOS OS PAULOS DO MUNDO, dirigido por Gustavo Ribeiro e Rodrigo de Oliveira, traz um panorama da trajetória de um dos maiores atores dos palcos e das telas do Brasil. O filme será exibido durante a Mostra Internacional de Cinema de SP e contará com a presença do ator, que será homenageado pelo festival.

Produzido por Vania Catani, da Bananeira Filmes, e distribuído pela Vitrine Filmes, o longa mistura imagens de arquivo da extensa carreira de Paulo com momentos atuais, navegando por  estilos diversos de documentário sem a preocupação da biografia estrita, numa relação poética livre entre Paulo José, seu legado material e seu autorretrato verbal, mediado pelos realizadores.

Presente no imaginário brasileiro desde os anos 60, os personagens de Paulo José incorporam as inúmeras tradições e contradições do caráter nacional, dessa maneira, além de um documento sobre o artista, TODOS OS PAULOS DO MUNDO lança uma visão sobre o passado recente do Brasil. Ator símbolo dos tempos que atravessou, é, ao mesmo tempo, testemunha e agente das transformações acontecidas no último meio século da nossa história.

Ele traduziu tanto a imagem do espírito livre dos anos 60 (nos filmes com Domingos de Oliveira, Todas as Mulheres do Mundo e Edu, Coração de Ouro) quanto a ressaca do golpe militar e a incorporação do desespero pós-AI-5 (em A Vida Provisória, de Maurício Gomes Leite, e A Culpa, também de Domingos); acompanhou todos os movimentos do cinema brasileiro, da paródia “chanchadesca” de Cassy Jones, o Magnífico Sedutor (de Luis Sérgio Person),  aos dramas da era Embrafilme (como em O Rei da Noite, de Hector Babenco); esteve no coração da Retomada nos anos 90, e seguiu trabalhando com uma nova geração de realizadores surgidas nos anos 2000; com gosto pelo popular, transmitiu da alegria do Shazam, Xerife & Cia ao pesar do Orestes de “Por Amor” para milhões de brasileiros na televisão, onde, ainda, dirigiu inúmeros programas definidores do meio e cuja influência estética e conceitual se sente até hoje;

Paulo José é um ícone brasileiro. O talento sem igual, a voz inconfundível, o carisma e a versatilidade acompanham as seis décadas de sua trajetória como ator, diretor e pensador do país. “TODOS OS PAULOS DO MUNDO” narra a vida e a obra do maior ator do cinema brasileiro através dos que viveu e das reflexões que Paulo José, há vinte cinco anos personagens convivendo com o Mal de Parkinson, consegue articular ainda hoje, às vésperas de seu aniversário de 80 anos. Diante da perda da voz, um artista que insiste em falar e que encontra em “TODOS OS PAULOS DO MUNDO” a caixa amplificadora de seu verbo para o mundo.

SOBRE OS DIRETORES

GUSTAVO RIBEIRO é montador e diretor de cinema e televisão. Vive em São Paulo, Brasil. Formou-se em cinema na FAAP, em 2001, e fez cursos de especialização em montagem na EICTV, Cuba, e na Escola Superior de Desenho e Imagem em Barcelona. Trabalhou em muitos filmes como produtor de finalização, e tem larga experiência como montador de documentários. Após anos na montagem, estreou na direção em 2015, com o curta-metragem “Pássaros na Boca”, e co-dirigindo a série documental “A Vaga”, para a HBO. Seus próximos projetos como diretor são o documentário de longa-metragem “Som, Sol e Surf”, sobre o festival de surf e música que ocorreu em Saquarema em 1976, a ser filmado no segundo semestre de 2016; e o documentário de longa-metragem “Marcelo Bratke – Visão da Música”, sobre o pianista Marcelo Bratke, em fase de desenvolvimento e captação.

RODRIGO DE OLIVEIRA é crítico e cineasta. Formado em Cinema pela Universidade Federal Fluminense, é redator da Revista Cinética. Em 2010, Rodrigo escreveu o livro “Diário de Sintra – Reflexões sobre o filme de Paula Gaitán”. É autor do roteiro de “Exilados do Vulcão”, de Paula Gaitán, prêmio de Melhor Filme no Festival de Brasília 2013. Em 2012, Rodrigo escreveu e co-dirigiu seu primeiro longa de ficção, “As Horas Vulgares”, lançado na prestigiada Mostra de Tiradentes com sucesso de crítica, e teve sua estreia comercial nos cinemas brasileiros em junho de 2013. “Teobaldo Morto, Romeu Exilado”, seu segundo longametragem, participou do 14º Foro de Coproducción do Festival de Huelva, na Espanha, e teve lançamento na mesma Mostra de Tiradentes, em janeiro de 2015 e chegou às salas de cinema em abril de 2016. Seu primeiro trabalho em curta-metragem, “Eclipse Solar”, recebeu o Prêmio Aquisição Canal Brasil na Mostra de Tiradentes de 2016. Atualmente desenvolve o roteiro de “Fuga em Ré Menor”, com Luiz Pretti, aprovado no edital do Prodav 05/2015 do Fundo Setorial do Audiovisual.

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 27 outubro, 2017 10:52


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Era uma vez em Hollywood

Facebook

Socorro Virei uma Garota!