Cine Humberto Mauro realiza retrospectiva inédita no Brasil da filmografia integral do diretor russo ANDREI TARKOVSKI

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 20 janeiro, 2017 12:33

A mostra Tarkovski – Eterno Retorno, do aclamado diretor russo Andrei Tarkovski (1932 / 1986), abre a temporada 2017 do Cine Humberto Mauro. Esta será a primeira retrospectiva integral do cineasta no Brasil, quando serão exibidos todos os seus 11 filmes, em diferentes formatos como 35mm, DCP e digital, produzidos entre 1956 e 1986, além de documentários relacionados ao diretor e a sua obra. Títulos como Stalker, O Espelho e Solaris compõem a programação. A mostra conta ainda com sessões comentadas, cursos e um catálogo que reúne pesquisas e debates sobre a obra do diretor, que em 2016, completa 30 anos de falecimento.

Tarkovski – Eterno Retorno é uma oportunidade de acesso aos trabalhos do cineasta, reconhecido por obras-primas que abordam temáticas universais de maneira poética, simples e potente. Embora seja um dos maiores nomes do cinema mundial, Andrei Tarkovski encontrou barreiras para atingir o grande público por estar inserido em um contexto político e cultural da União Soviética, no auge da guerra fria. Mesmo com o difícil acesso às produções soviéticas no ocidente, Tarkovski conquistou prêmios importantes em festivais internacionais, despertando o interesse de cinéfilos e público por conseguir abordar com maestria temáticas sobre a arte e a vida.

A mostra traz ainda uma atenção especial ao processo de criação cinematográfica do cineasta, que mesmo inserido em um sistema de controle ideológico e artístico, conseguiu imprimir uma poética muito particular em consonância com sua visão sobre o homem, a vida e a arte.

Tempo: essência formal e filosófica – A natureza onírica ligada a memórias e à infância, o existencialismo e a espiritualidade são temas recorrentes em sua filmografia. O que amarra todas as suas questões, ou seja, o elemento mais trabalhado por Tarkovski é o tempo, tanto no sentido de construção sensorial narrativa, quanto em relação às reflexões propostas. O cineasta encara a passagem da vida como algo natural, sendo a relação entre vida e morte, o novo e o velho, o fim e o recomeço percebida em várias de suas histórias: a destruição da inocência em A infância de Ivan (1962), a destruição da arte em Andrei Rublev (1969), a destruição da fé em Nostalgia (1983).

Dayanne Naêssa, Produtora do Cine Humberto Mauro e uma das responsáveis pela curadoria, explica que o Eterno Retorno, conceito filosófico que foi amplamente trabalhado por Nietzsche, consegue transmitir as aspirações de Tarkovski em seus filmes. “A repetição de signos juntamente com sua forma de postular o tempo diz sobre a forma cíclica como o mundo se apresenta. Deste modo, Tarkovski conversa muito com esse conceito em seus filmes.”, explica.

Para Bruno Hilário, Coordenador do Cine Humberto Mauro e um dos curadores da mostra, “O tempo é a matéria prima do cinema e a obra de Andrey Tarkovski eleva essa potência a um grau de intensidade único, apresentando uma gama de texturas afetivas e emocionais no decorrer de plano. Assistir a estes filmes em situação adequada de projeção, garante ao público uma oportunidade ideal para uma perfeita fruição estética”.

Sétima arte elevada à sua máxima potência – Tarkovski é reconhecido também por explorar todas as potencialidades cinematográficas, conciliando questões afetivas, políticas e estéticas. “Ele contribuiu para estabelecer o Cinema como uma arte em si, diante de todas as outras formas de expressão artística que o compõem”, explica Dayanne. Se comparado a outros grandes diretores, Tarkovski deixou uma obra pequena, no entanto, seu legado é um dos mais preciosos para o Cinema. O diretor russo teve contato com grandes nomes de sua geração, como Ingmar Bergman, Robert Bresson e Federico Fellini, e segue influenciando cineastas ao redor do mundo inteiro, entre eles e Béla Tarr, Terrence Malick, Lars Von Trier, Claire Denis.

Tarkovski em diálogo– Além da filmografia completa do diretor, Tarkovski – Eterno Retorno conta também com debates e cursos ministrados por nomes internacionais do cinema e estudiosos de Tarkovski. Entre os convidados estão Michael Leszczy, montador sueco que trabalhou com Tarkovski no filme Sacrifício; Donatella Baglivo, diretora italiana que acompanhou Tarkovski durante seus anos na Itália e tem três documentários que homenageiam o cineasta na programação da mostra; Eugene Tsymbal, assistente de direção de Stalker e que também possui um documentário sobre este filme em exibição; Dmitry Salynskiy, especialista em cinema soviético, na obra de Tarkovski e professor da Escola de Cinema VGIK, em Moscou, onde o diretor russo se formou; e Neide Jallageas, pós-doutora em Cinema e especialista em Tarkovski no Brasil. Para Philipe Ratton, Gerente de Cinema e também curador da mostra, “a presença destes convidados amplia o aspecto de formação de público do evento, discutindo questões relativas à estética de Tarkovski a partir do ponto de vista de profissionais que conviveram e trabalharam com ele. Indivíduos que, sendo assim, são guardiões de uma memória muito particular sobre determinados momentos de sua vida. Além disso, convidamos pesquisadores de renome internacional, especializados na carreira do diretor, que trarão conceitos sobre a universalidade das obras”, explica.

Tarkovski – Eterno Retorno ainda contempla a produção e distribuição de um catálogo que reúne bibliografias, estudos, pesquisas e debates relevantes sobre a obra do autor.

História Permanente do Cinema Especial Andrei Tarkovski – Com o intuito de incentivar a reflexão crítica sobre a obra do cineasta, o tradicional projeto História Permanente do Cinema apresenta sete sessões especiais comentadas por críticos, teóricos e pesquisadores.

SERVIÇO

Mostra Tarkovski – Eterno Retorno

Período: 20 de janeiro a 9 de fevereiro

Local: Cine Humberto Mauro – Palácio das Artes, Avenida Afonso Pena, 1537 – Centro

Entrada gratuita, com retirada de ingressos 30 minutos antes de cada sessão

Informações para o público: (31) 3236-7400

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 20 janeiro, 2017 12:33


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Dora e a Cidade Perdida

Facebook

O Clube dos Canibais
Meu Nome é Daniel