ANCINE divulga contemplados no edital de coprodução Brasil-Argentina 2016

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 7 novembro, 2016 10:49

A ANCINE e o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) anunciaram na última quinta-feira, 3 de novembro, os projetos vencedores do edital de coprodução Brasil-Argentina 2016, promovido em parceria com o INCAA – Instituto Nacional de Cinema e Artes Visuais, da Argentina. O concurso binacional disponibiliza o equivalente a 1 milhão de dólares para a produção de quatro longas-metragens.

Ancine-Logo 2015-2016

logo incaa [Converted] copy

A comissão de seleção da Chamada Pública PRODECINE 07/2016 – Coprodução Argentina-Brasil formada pela assessora internacional da ANCINE, Ana Julia Cabral, pela produtora Vania Catani, pela cineasta Sandra Kogut, pelos produtores argentinos Ignácio Rey e Estebán Mentasti, e pelo gerente de assuntos internacionais do INCAA, Bernardo Bergeret, selecionou quatro longas-metragens entre os 27 habilitados, dois com participação majoritária de cada país.

Entre os projetos com participação majoritária de empresas brasileiras, os vencedores foram “O caso Morel”, de Suzana Amaral, apresentado pela empresa argentina Campo Cine, tendo a brasileira Bossa Nova Filmes como coprodutora majoritária; e “Solar Scenarium”, de Pena Cabreira e Claudio Fagundes, apresentado pela argentina Cinematres, tendo a brasileira Cubo Filmes como parceira majoritária.

Já entre os projetos majoritariamente argentinos, foram contemplados “A família submersa”, de Maria Alché, apresentado pela produtora brasileira Bubbles Produções Artísticas, tendo a argentina Pasto SRL como parceira; e “Rojo”, de Benjamin Naishtat, apresentado pela Desvia Produções Artísticas e Audiovisuais, que tem a Pucará Cine como produtora majoritária argentina.

Desde 2011, a ANCINE realiza anualmente editais de coprodução com a Argentina, em parceria com o INCAA. Entre os ganhadores de edições anteriores estão os filmes “El Ardor”, de Pablo Fendrik, que fez parte da programação oficial do Festival de Cannes 2014; e “Mate-me por favor”, de Anita Rocha da Silveira, selecionado para o Festival de Veneza e premiado com o troféu Redentor de melhor direção de ficção no Festival do Rio em 2015.

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 7 novembro, 2016 10:49


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

O Parque dos Sonhos

Facebook

Happy Hour - Verdades e Consequências