“PARA MINHA AMADA MORTA” é premiado no 48º Festival de Brasília

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 24 setembro, 2015 11:39

PARA MINHA AMADA MORTA, primeiro longa-metragem de Aly Muritiba, ganhou na última terça (22), os Troféus Candangos de melhor direção; melhor ator coadjuvante, para Lourinelson Vladmir; melhor atriz coadjuvante, para Giuly Biancato; melhor direção de arte, para Monica Palazzo, e melhor montagem, para João Menna Barreto.

PARA MINHA AMADA MORTA-28Julho2015

PARA MINHA AMADA MORTA-28Julho2015-00

Sobre o diretor e os atores:

Aly Muritiba

Roteirista, produtor e diretor cinematográfico, Muritiba já dirigiu 8 curtas metragens, um telefilme e um longa-metragem coletivo, com os quais já conquistou mais de 100 prêmios em festivais de cinema. Suas principais realizações são os curtas A Fábrica (vencedor de mais 60 prêmios em festivais nacionais e internacionais, nominado ao OSCAR 2013), Pátio (vencedor do É Tudo Verdade, e selecionado para a Semana da Crítica do Festival de Cannes), A Gente (vencedor do DOK Leipzig 2013) e Tarântula (selecionado para mostra competitiva do festival de Veneza em 2015).

Seu roteiro de longa metragem Para minha amada morta ganhou o Global Filmaking Award do Sundance Institut em 2013.

Além de realizador, Aly Muritiba é um dos idealizadores e diretores artísticos do OLHAR DE CINEMA, Festival Internacional de Curitiba.

Lourinelson Vladmir

Ator nascido em Curitiba, entre as produções que esteve presente, destacamos: nos curtas O Céu Sobre os Teus Ombros (2015), Feijoada Completa (2013), os longas O Último Romance de Balzac (2010), Curitiba Zero Grau (2010); no teatro em Os Que Ficam (2015) da Companhia do Latão, Em Filha, Mãe, Avó e Puta (2011), Osmo (2000-2007); na televisão participou recentemente nas novelas Verdades Secretas (2015), Império (2015), Boogie Oogie (2014).

Giuly Biancato

Atriz tem 16 anos, compõe músicas, escreve e atua em textos exibidos no youtube, já ganhou o prêmio Ícaro de melhor atriz pelo espetáculo “Romeu e Julieta” (adaptação do livro de Ruth Rocha).

Fernando é um bom homem que cuida do seu filho único, Daniel, um menino tímido e sensível. Depois da morte de Ana, sua esposa, todas as noites Fernando recorda o seu amor, arrumando as coisas de sua amada morta. Um dia ele encontra uma fita VHS, que mudará tudo.

Ficha Técnica:

Roteiro e Direção: Aly Muritiba
Elenco: Fernando Alves Pinto, Lourinelson Vladmir, Mayana Neiva, Giuly Biancato, Vinicius Sabbag e Michelle Pucci
Produtores: Antônio Junior, Marisa Merlo, Aly Muritiba
Direção de Arte: Monica Palazzo
Direção de Fotografia: Pablo Baião
Montagem: João Menna Barreto
Trilha Sonora: Ruído por milímetro
Gênero: drama
País: Brasil
Ano: 2015
Duração: 113 minutos
Produzido por : Grafo Audiovisual
Distribuidora: Vitrine Filmes

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 24 setembro, 2015 11:39


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Dora e a Cidade Perdida

Facebook

O Clube dos Canibais
Meu Nome é Daniel