CAIXA Cultural São Paulo inaugura a exposição “Poty, de todos nós”

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 16 dezembro, 2014 12:05

A CAIXA Cultural São Paulo inaugura em 13 de dezembro a exposição “Poty, de todos nós”. A mostra, que tem curadoria da equipe técnica do Museu Oscar Niemeyer (MON), narra o trabalho do gravador, ilustrador e muralista Poty Lazzarotto (1924-1998), reunindo cerca de 100 obras da vasta produção do artista. Dentre o material exposto estão desenhos em nanquim bico de pena, aquarelas, litogravuras com temas de cinema, desenhos sobre Xingu e o esboço do painel do Memorial da América Latina.

Poty Lazzarotto nasceu em Curitiba (PR) e residiu a maior parte de sua vida lá. Mudou-se para o Rio de Janeiro (RJ) em 1942, quando ganhou uma bolsa de estudos do Estado do Paraná para estudar na Escola Nacional de Belas Artes. Foi aluno de Carlos Oswald, no Liceu de Artes e Ofícios, ocasião em que recebeu do governo francês uma bolsa para se aperfeiçoar em Paris (1946/47). Poty recebeu medalha de ouro e Prêmio de Viagem ao País na seção de Artes Gráficas do Salão Nacional de Arte Moderna. Em São Paulo (SP), fundou a Escola Livre de Artes Plásticas (1950). Esteve no Xingu, em 1967, com os sertanistas Orlando Villas Boas e Noel Nutels, ocasião em que fez cerca de 200 esboços sobre hábitos e costumes dos índios.

O artista passou por diversas fases: das gravuras que retratam o cotidiano e contam como uma espécie de crônica a vida das pessoas em suas cidades, a desenhos, histórias em quadrinhos e ilustrações de revistas, jornais e livros. Ilustrou edições de autores como Guimarães Rosa, Euclides da Cunha, Jorge Amado, Dalton Trevisan, Graciliano Ramos, Mário Palmério e Darcy Ribeiro, além da versão ilustrada das Obras Completas de Machado de Assis (1988) e o livro “Novelas Paulistanas”, de Antonio de Alcântara Machado.

Em 1988, criou painéis para o Memorial da América Latina, em São Paulo e dois painéis em concreto para a “Robert Bosch”, em Campinas (SP). Em Curitiba, fez mais de 40 painéis, como o da Pontifícia Universidade Católica de Curitiba (PUC-PR), Teatro Guaíra, Praça 19 de Dezembro (Homem Nu), Torre da Telepar, Painel Palácio da Avenida, Palácio Iguaçu, entre outros.

Em 2012, O MON realizou uma exposição sobre o artista, de título homônimo. Foi uma das mostras mais vistas do Museu, com quase 200 mil visitantes nos seis meses de exibição. Segundo Estela Sandrini, diretora cultural do Museu Oscar Niemeyer, Poty foi um dos mais representativos artistas paranaenses. “Principalmente por falar da sua gente, sua história, sua obra tem um valor estético singular”, ressalta.

“Poty, de todos nós” fica em cartaz até 1º de março de 2015. A visitação é gratuita e conta com o patrocínio da Caixa Econômica Federal. Na abertura da exposição, 13 de dezembro, haverá visita guiada com a diretora cultural do MON Estela Sandrini, às 11h40min.

SERVIÇO
Exposição “Poty, de todos nós”
Data: 13 de dezembro de 2014 à 1º de março de 2015
Horário: terça-feira a domingo, das 9h às 19h
Local: CAIXA Cultural São Paulo
Endereço: Praça da Sé, 111 – Centro – São Paulo (SP)
Entrada: franca
Classificação etária: livre
Informações: (11) 3321-4400
Acesso para pessoas com deficiência
Patrocínio: Caixa Econômica Federal

Visita guiada com Estela Sandrini
Data: 13 de dezembro de 2014
Horário: 11h40min

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 16 dezembro, 2014 12:05


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

MIB: Homens de Preto

Facebook

Kardec