Quarteto de cordas executa Philip Glass e John Cage no Paço das Artes

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 7 maio, 2014 17:10

Quarteto de cordas executa Philip Glass e John Cage no Paço das Artes

O Paço das Artes –instituição da Secretaria de Estado da Cultura—recebe neste sábado (10), às 19h, o projeto Ensemble Contemporânea, idealizado pelo maestro Leandro Oliveira, dentro do programa Concertos Contemporâneos. A entrada é gratuita.

Dedicado à música de nosso tempo, o projeto será apresentado em duas formações – quarteto de cordas, formado por Simona Cavuoto (violinos), Amanda Martins (violinos), Marialbi Trisólio (violoncelo), Peter Pas (viola), e o quarteto acompanhado da soprano Regiane Martinez.

Ao longo da noite, serão executadas as peças “Quarteto nº 3 – Mishima” (1985), de Philip Glass, “Dois Poemas de Stefan George” – intermezzo de “A Musa do Subsolo” (2014), de Leandro Oliveira, e “Quarteto em Quatro Partes” (1950), de John Cage.

Quarteto de Cordas em Quatro Partes, de John Cage (1912 – 1992), foi composto em 1950 e é  uma das últimas obras do compositor a não se valer de técnicas aleatórias. Funda-se de forma deliberada no fascínio do compositor com a cultura oriental – mais precisamente a tradição hinduísta – e suas reflexões particulares sobre o silêncio (que resultariam em 4’33”, criada dois anos mais tarde).

“É uma obra fascinante por antecipar diversas vertentes do minimalismo – não apenas a economia e repetição de padrões comum do estilo norte-americano, mas sobretudo pelo aspectos meditativo quase místico que será fundamental para entender obras de compositores como Arvo Part e Henrik Gorecki”, diz Leandro Oliveira.

Philip Glass (1937) também se inspira na cultura oriental em seu “Quarteto de Cordas nº 3 – Mishima” (1985). A obra foi criada originalmente para a trilha sonora do filme “Mishima – Uma vida em quatro tempos”, de Paul Schrader, sobre o autor japonês Yukio Mishima. Glass recria a natureza introspectiva do quarteto de cordas para acompanhar as lembranças do escritor nos últimos dias antes de seu suicídio. Como é comum no estilo do compositor, a peça preserva um certo distanciamento de toda carga dramática e emocional preservada no roteiro do filme original, criando um duplo significado à narrativa biográfica prevista no roteiro.

O concerto no Paço das Artes contará, ainda, com a estreia mundial de “Dois Poemas de Stefan George”, do compositor Leandro Oliveira (1978), parte seguinte da pocket-ópera “A Musa do Subsolo”, que teve sua primeira apresentação no Paço das Artes em novembro de 2013. O texto se inserirá no drama como um intermezzo, ou um singelo ato de contrição das musas. De acordo com o compositor, a peça é livremente inspirada em obras de dois extremos recorrentes e inescapáveis da música de nosso tempo – Johann Sebastian Bach e Arnold Schoenberg. “Os dois autores são revisitados em um experimento que tenta sintetizar a nossa realidade pós-tonal, justificando a busca deliberada por dissonâncias numa lógica poética que pretende dialogar com as referências do barroco e do expressionismo alemão”, comenta.

O programa tem aproximadamente 50 minutos e será precedido por uma palestra com o compositor e curador do evento, o maestro Leandro Oliveira.

O evento faz parte da programação da Semana Nacional de Museus, que segue até o dia 18 de maio.

SERVIÇO
Ensemble Contemporânea
Data:
10 de maio (sábado) – 19h
Paço das Artes
Endereço: Avenida da Universidade, 1, Cidade Universitária, São Paulo/SP
GRÁTIS
tel.: (11) 3814-3842

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 7 maio, 2014 17:10


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Dora e a Cidade Perdida

Facebook

O Clube dos Canibais
Meu Nome é Daniel