IMS lança documentário “Cabra marcado para morrer”, de Eduardo Coutinho, com extras exclusivos

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 26 março, 2014 10:00

IMS lança documentário “Cabra marcado para morrer”, de Eduardo Coutinho, com extras exclusivos

No dia 29 março de 2014, o Instituto Moreira Salles lança em DVD o documentário Cabra marcado para morrer, de Eduardo Coutinho (1933-2014). O lançamento inclui dois filmes inéditos do realizador, produzidos pelo Instituto Moreira Salles em parceria com a Videofilmes: Sobreviventes de Galileia (Brasil, 2013) e A família de Elizabeth Teixeira (Brasil, 2013). Ambos os filmes baseiam-se no retorno de Coutinho a Sapé (Paraíba) e Galileia (Pernambuco), locações originais de Cabra marcado para morrer, onde ele reencontra Elizabeth Teixeira e seus filhos e camponeses que participaram das filmagens em 1964 e no início dos anos 1980.

IMS-Cabra-marcado-para-morrer-PROMO-PHOTOS-26MARCO2014

Além desses dois filmes inéditos, o DVD conta com uma faixa comentada, com a participação de Eduardo Coutinho, Eduardo Escorel, montador do filme, e Carlos Alberto Mattos, crítico de cinema. Como parte integrante do material, foi produzido um livreto de 74 páginas com um depoimento de Coutinho e uma seleção de críticas publicadas no Brasil e no exterior à época do lançamento do filme, nos anos 1980.

A partir do dia 27 de março, uma retrospectiva com documentários de Eduardo Coutinho será realizada no cinema do IMS-RJ. Serão exibidos: Santo forte (1999), Babilônia 2000 (2001), Edifício Master (2002), Peões (2004), O fim e o princípio (2006), Jogo de cena (2007), Moscou (2009) e As canções (2011).

No sábado, 29 de março, às 18h00, após a exibição de Cabra marcado para morrer, Sobreviventes de Galileia e A família de Elizabeth Teixeira, haverá uma mesa de debates com o produtor de Cabra marcado para morrer, Zelito Viana, Eduardo Escorel e o cineasta Walter Lima Jr.

Em paralelo a este lançamento, o cinema de Eduardo Coutinho está sendo homenageado na França, no México e nos Estados Unidos. Em Paris, o festival de documentários Cinéma du Réel exibe Cabra marcado para morrer e Sobreviventes de Galileia (em première mundial) no dia 20 de março, sessão que será apresentada por Paulo Paranaguá. Em Guadalajara, o Festival Internacional de Cine Iberoamericano lança, no dia 24 de março, Eduardo Coutinho: homenaje, livro especialmente editado pelo Instituto Mexicano de Cinema e pelo Conselho Nacional de Cultura e Arte para a ocasião. Nos EUA, o Wexner Center for the Arts da Universidade Columbus (Ohio), exibe Cabra marcado para morrer, O fim e o princípio e Jogo de cena – homenagem que se repetirá no Pacific Film Archive, em Berkeley, Califórnia, e no Lincoln Film Center de Nova York.

Sobre a coleção de DVDs IMS:

Os títulos da coleção IMS têm três linhas: documentários, filmes de ficção e registros de entrevistas, mesas de debates e conferências organizadas pela instituição. “Buscamos filmes que sejam especialmente significativos pelo tema ou pela forma narrativa, que se destaquem na filmografia de determinados realizadores”, explica José Carlos Avellar, curador da programação de cinema do IMS e responsável pela coleção de DVDs. “Algumas vezes, vamos em busca de títulos pouco ou nada conhecidos, outras, da revisão de filmes conhecidos para estimular seu reestudo”, completa. Com esse objetivo, todo DVD da coleção é acompanhado de um livreto com uma análise crítica.

:::: PROGRAMAÇÃO COMPLETA - CLIQUE AQUI ::::

QUINTA | 27 DE MARÇO

14h00: Moscou
(Brasil, 2009. 78’)

16h00: O fim e o princípio
(Brasil, 2006. 110’)

18h00: Jogo de cena
(Brasil, 2007. 105’)

20h00: As canções
(Brasil, 2011.90’)

SEXTA | 28 DE MARÇO

14h00: Babilônia 2000
(Brasil, 2001. 80’)

16h00: Peões
(Brasil, 2004. 85’)

18h00: Edifício Master
(Brasil, 2002. 110’)

20h00: Santo forte
(Brasil, 1999. 80’)

SÁBADO | 29 DE MARÇO

14h00: Cabra marcado para morrer
(Brasil, 1964-1984. 119’)

16h15: A família de Elizabeth Teixeira
(Brasil, 2013. 65’)

Sobreviventes de Galileia
(Brasil, 2013. 27’)

18h00: Cabra marcado para morrer
Mesa de debates: Walter Lima Jr.,
Zelito Viana e Eduardo Escorel.
Mediação de José Carlos Avellar

20h00: Cabra marcado para morrer
(Brasil, 1964-1984. 119’)

DOMINGO | 30 DE MARÇO

14h00 e 18h00: Cabra marcado para morrer
(Brasil, 1964-1984. 119’)

16h15 e 20h00: A família de Elizabeth Teixeira
(Brasil, 2013. 65’)
Sobreviventes de Galileia
(Brasil, 2013. 27’)

TERÇA-FEIRA | 01 DE ABRIL

15h00: Babilônia 2000
(Brasil, 2001. 80’)

17h00: Santo forte
(Brasil, 1999. 80’)

19h00: Santa Marta, duas semanas no morro
(Brasil, 1986. 54’)

20h00: Edifício Master
(Brasil, 2002. 110’)

QUARTA-FEIRA | 02 DE ABRIL

15h00: Peões
(Brasil, 2004. 85’)

17h00: Moscou
(Brasil, 2009. 78’)

19h00: Boca do lixo
(Brasil, 1992. 50’)

20h00: As canções
(Brasil, 2011. 90’)

QUINTA-FEIRA | 03 DE ABRIL

15h00: Cabra marcado para morrer
(Brasil,1964 -1984. 119’)

17h00: O fim e o princípio
(Brasil, 2006. 110’)

19h00: Santa Marta, duas semanas no morro
(Brasil, 1986. 54’)

20h00: Cabra marcado para morrer
(Brasil,1964 -1984. 119’)

SEXTA-FEIRA | 04 DE ABRIL

15h00: Boca do lixo
(Brasil, 1992. 50’)

16h00: Cabra marcado para morrer
(Brasil,1964 -1984. 119’)

18h00: Jogo de cena
(Brasil, 2007. 105’)

20h00: Cabra marcado para morrer
(Brasil,1964 -1984. 119’)

Sinopses e fichas técnicas

Cabra marcado para morrer
Direção: Eduardo Coutinho
(Brasil, 1964-1984. 119’, 12 anos)
Sinopse
Em 1962, Eduardo Coutinho filmou na Paraíba um comício em protesto pela morte do líder camponês João Pedro Teixeira. Dois anos mais tarde, dirigiu um filme de ficção sobre a trajetória de João Pedro, cuja filmagem foi interrompida em 31 de março de 1964 com o golpe militar. 17 anos depois, Coutinho retoma as filmagens e reencontra alguns dos personagens que participaram das filmagens nos anos 1960, como os membros das Ligas Camponesas de Sapé e de Galileia. Concluído em 1984 como um documentário, o filme investiga também a trajetória da viúva de João Pedro Teixeira, Elizabeth, e a de seus filhos.

A família de Elizabeth Teixeira
Direção: Eduardo Coutinho
(Brasil, 2013. 65’, 12 anos)
Sinopse
Depois da conclusão de Cabra marcado para morrer (1964-1984), Eduardo Coutinho manteve contato regular com Elizabeth Teixeira, mas não com seus filhos. No início de 2013, o realizador faz uma visita a Elizabeth e sua família no Rio de Janeiro e na Paraíba.

Sobreviventes de Galileia
Direção: Eduardo Coutinho
(Brasil, 2013. 27’, 12 anos)
Sinopse
Em janeiro de 2013, Eduardo Coutinho vai a Pernambuco para reencontrar dois dos personagens de Cabra marcado para morrer (1964-1984): Cícero e João José (o Dão da Galileia).

Santo forte
Direção: Eduardo Coutinho
(Brasil, 1999. 80’, 16 anos)
Sinopse:
Em 5 de outubro de 1997, uma equipe de cinema entra na favela Vila Parque da Cidade, situada na Gávea, zona sul do Rio de Janeiro. Os moradores assistem à missa celebrada pelo Papa no aterro do Flamengo. Em dezembro, a equipe volta à favela para descobrir como seus moradores vivem a experiência religiosa. Católicos, umbandistas ou evangélicos, todos eles têm em comum a crença numa comunicação direta com o mundo espiritual através da intervenção, em seu cotidiano, de santos, orixás, guias ou do Espírito Santo.

Babilônia 2000
Direção: Eduardo Coutinho
(Brasil, 2000. 80’, 16 anos)
Sinopse:
Na manhã do último dia de 1999, uma equipe de cinema sobe o morro da Babilônia, no Rio de Janeiro. Nele, existem duas favelas, Chapéu Mangueira e Babilônia. Estas são as únicas favelas situadas na orla de Copacabana, onde, à meia-noite, uma multidão de cerca de um milhão de pessoas se reúne para assistir à queima de fogos de artifício e festejar o réveillon. Durante 12 horas, cinco câmeras digitais, espalhadas pelo morro, registram os preparativos para a festa. Os moradores das favelas fazem um balanço de suas vidas e expressam suas expectativas para o ano 2000.

Edifício Master
Direção: Eduardo Coutinho
(Brasil, 2002. 110’, 16 anos)
Sinopse:
Durante uma semana, Eduardo Coutinho e sua equipe conversaram com 27 moradores de um enorme edifício de apartamentos em Copacabana. Entre eles, um casal de meia-idade que se conheceu pelos classificados de um jornal, uma garota de programa que sustenta a filha e a irmã, um ator aposentado, um ex-jogador de futebol e um porteiro desconfiado de que o pai adotivo, com quem sonha toda noite, é seu pai verdadeiro.

Peões
Direção: Eduardo Coutinho
(Brasil, 2004. 85’, Livre)
Sinopse:
A história pessoal dos metalúrgicos do ABC paulista que tomaram parte no movimento grevista de 1979 e 1980, mas permaneceram em relativo anonimato. Eles falam das origens, da participação no movimento e dos caminhos que suas vidas trilharam desde então. O filme foi rodado no período final da campanha presidencial de 2002, na qual Lula, líder sindical nas greves referidas, foi eleito presidente da República.

O fim e o princípio
Direção: Eduardo Coutinho
(Brasil, 2005. 85’, 16 anos)
Sinopse:
Um filme nascido do zero. Sem pesquisa prévia, sem personagens, locações nem temas definidos, uma equipe de cinema chega ao sertão da Paraíba em busca de pessoas que tenham histórias pra contar. No município de São João do Rio do Peixe, descobre-se Sítio Araçás, uma comunidade rural onde vivem 86 famílias, a maioria delas ligadas por laços de parentesco. Graças à mediação de uma jovem de Araçás, os moradores, na maioria idosos, contam sua vida, marcada pelo catolicismo popular, pela hierarquia, pelo senso de família e de honra. Um mundo em vias de desaparecimento.

Jogo de cena
Direção: Eduardo Coutinho
(Brasil, 2007. 105’, Livre)
Sinopse:
Mulheres desconhecidas e atrizes famosas se revezam em depoimentos pessoais, num jogo em que o espectador nunca sabe quem está representando.

Moscou
Direção: Eduardo Coutinho
(Brasil, 2009. 78’, Livre)
Sinopse:
Em Belo Horizonte, o Grupo Galpão e o diretor de teatro Enrique Diaz se dispuseram a enfrentar o desafio de “montar”, em três semanas, a peça As três irmãs, de Anton Tchekhov. O filme é composto de fragmentos dos workshops, improvisações e ensaios de uma peça que não teve e nem terá estreia.

As canções
(Brasil, 2011. 92’, 12 anos)
Sinopse:
Homens e mulheres contam e cantam as músicas que marcaram suas vidas.

SERVIÇO

Mostra Eduardo Coutinho

De 27 de março a 4 de abril | Terça a quinta: R$ 16,00 (inteira) e R$ 8,00 (meia).
Passaporte com validade para 10 sessões da mostra pode ser adquirido na recepção no valor de R$ 40,00.

Instituto Moreira Salles
Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea
CEP: 22451-040. Rio de Janeiro – RJ
Tel.: (21) 3284-7400; Fax: (21) 2239-5559
De terça a domingo e feriados, das 11h às 20h.

Acesso a portadores de necessidades especiais
Estacionamento gratuito no local
Capacidade da sala: 113 lugares
Ingressos e senhas sujeitos à lotação da sala
O cinema do IMS funciona de terça a domingo.

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 26 março, 2014 10:00


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Era uma vez em Hollywood

Facebook

Socorro Virei uma Garota!