“Pequenas Tragédias” , na Caixa Cultural São Paulo, traz montagens inéditas de Pushkin

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 13 março, 2014 23:06

“Pequenas Tragédias” , na Caixa Cultural São Paulo, traz montagens inéditas de Pushkin

Depois de temporada de sucesso no Rio em 2013, no porão da Casa de Cultura Laura Alvim, o espetáculo PEQUENAS TRAGÉDIAS, encenação de quatro peças teatrais escritas pelo poeta russo Alexander Pushkin, chega a São Paulo para uma curtissima temporada de duas semanas na CAIXA CULTURAL SÃO PAULO. A tradução é de Sean McIntyre, Doutor em Letras pela Universidade de Stanford, com especialização em literatura da Europa Central do século XIX. A direção é de Fabiano de Freitas (co-diretor da recente montagem de “O Médico e o Monstro”, e diretor de “Feriado de Mim Mesmo”), e no elenco estão os atores Ana Carbatti (recentemente no ar como a Dra. Judith  em “Amor a Vida”), idealizadora do projeto, e Renato Carrera. O patrocínio é da Caixa Econômica Federal.

A produção dramatúrgica de Pushkin é ainda pouco conhecida no Brasil. Considerado por muitos como o maior poeta russo e fundador da moderna literatura russa, Pushkin é o autor do clássico romance em versos “Eugene Onegin”, considerado por muitos a mais importante obra da moderna literatura russa.

“Pushkin pensava sua arte como uma mensagem dentro de uma garrafa lançada ao mar, para o futuro. Nosso desafio é receber e encarar essa palavra com o olhar da contemporaneidade. O teatro do Pushkin já carregava um forte sentido de experimentalismo, tão intenso para sua época que sua obra dramatúrgica não foi montada em seu tempo. Era realmente uma mensagem pro futuro.”, afirma o diretor Fabiano de Freitas.

“Mozart e Salieri” (1830) é o texto da peça que deu origem ao genial longa-metragem de Milos Forman, “Amadeus”; “O convidado de pedra” (1830) foi inspirado em Don Juan; o esboço dramático “Cena do Fausto” (1825) no Fausto de Goethe; e “Conversa entre o Livreiro e o Poeta” (1824). Os três últimos são encenados pela primeira vez no Brasil.

São releituras de personagens lendários, parte de um dos principais projetos artísticos de Pushkin. Para o autor, estes personagens em conjunto representavam uma resposta artística ao romantismo europeu e uma tentativa de elaboração de um modelo de arte popular dinâmica. Pushkin foi pioneiro no uso da língua coloquial em seus poemas e peças, criando um estilo narrativo – mistura de drama, romance e sátira. Como poeta, fazia uso de expressões e lendas populares, marcando os seus versos com a riqueza e diversidade do idioma russo.

Nestes textos, Pushkin reúne personagens da cultura popular para abordar temas como melancolia, satisfação, genialidade, modernização, desejo e vitalidade. Os personagens centrais da ação colocam em cena questionamentos sobre os desafios da experiência moderna: o isolamento, a fragmentação do indivíduo, o egoísmo de uma sociedade puramente capitalista.

“Tenho um envolvimento profundo com os textos que compõem “PEQUENAS TRAGÉDIAS”. Há dez anos em contato com este material, agora realizo o antigo desejo de viver personagens que me eram ‘proibidas’ por uma simples questão de gênero. Pushkin me abriu esta porta, desmitificando Fausto e Don Juan e dando-lhes a humanidade perfeita para que mesmo uma mulher pudesse representá-los. Além disso, dar voz a um texto brilhantemente escrito para dividir com o público angústias tão inerentes ao artista, é um alento!”, afirma a atriz e idealizadora do projeto Ana Carbatti.

DEBATE ABERTO AO PÚBLICO

Faz parte ainda da temporada paulistana um encontro gratuito e aberto ao público, com o tradutor Sean McIntyre e o diretor e atores da peça, para falar sobre O Teatro de Pushkin. Este encontro acontece no dia 29 de março, sábado, às 16h, no mesmo local onde se apresenta o espetáculo.

SERVIÇO
Espetáculo teatral: “Pequenas Tragédias”
Estreia: 20 de março de 2014 às 19h15
Temporada: de 21 a 30 de março de 2014 (quinta-feira a domingo)
Horário: 19h15
Local: CAIXA Cultural São Paulo – Praça da Sé, 111
Entrada: franca (os ingressos poderão ser retirados na bilheteria com 1 hora de antecedência)
Capacidade: 60 lugares
Duração: 85 min.
Classificação etária: 14 anos
Informações: (11) 3321-4400

Debate: “O Teatro de Pushkin”
Data: 29 de março (sábado) às 16h
Horário: das 16h às 18h (120 minutos)
Capacidade: 80 lugares
Entrada: franca (os ingressos poderão ser retirados na bilheteria com 1 hora de antecedência)
Observação: A participação no debate no dia 29 não dá direito a assistir a peça das 19h15. Para esta,  interessado deverá se apresentar na bilheteria com uma hora de antecedência.

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 13 março, 2014 23:06


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Era uma vez em Hollywood

Facebook

Socorro Virei uma Garota!