Theatro Municipal do Rio de Janeiro apresenta “BILLY BUDD” em comemoração ao centenário de Britten

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 13 novembro, 2013 08:01

Theatro Municipal do Rio de Janeiro apresenta “BILLY BUDD” em comemoração ao centenário de Britten

No ano do centenário de nascimento do compositor inglês Benjamin Britten, o Theatro Municipal do Rio de Janeiro, espaço da Secretaria de Estado de Cultura, apresenta, pela primeira vez no Brasil, a ópera Billy Budd, com produção original do Teatro Municipal de Santiago do Chile. A montagem, que conta com o patrocínio da Petrobras, estreia em 17 de novembro para um total de cinco apresentações, sob a direção cênica de Marcelo Lombardero e direção musical e regência de Isaac Karabtchevsky, à frente do coro e da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal e direção cênica de Marcelo Lombardero. O elenco, exclusivamente masculino, terá 18 solistas, destacando-se o barítono Leonardo Neiva no papel-título, o tenor canadense Roger Honeywell (Capitão Vere), o barítono argentino Hector Guedes (John Claggart) e os barítonos Homero Velho (Mr. Redburn) e Daniel Soren(Mr. Flint), além de 56 integrantes do Coro do TM e 22 meninos do Coro Infantil da UFRJ, em participação especial.

“Poder apresentar pela primeira vez no país essa obra tão singular, cantada por mais de noventa vozes masculinasnuma produçãovibrante e impecável, dirigida por um dos melhores diretores da América do Sul, Marcelo Lombardero, é uma grande satisfação”, comenta Carla Camurati, presidente da Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

O Maestro Isaac Karabtchevsky, que elaborou a programação artística do Theatro Municipal, completa: “A decisão de se montar esta ópera no Rio é providencial. Um teatro da importância do Theatro Municipal do Rio de Janeiro não poderia deixar passar em branco o centenário deste importante compositor. Decisão abraçada desde o início por Carla Camurati, esta montagem mostra ao público de todo o Brasil, em primeira audição – ainda que tardia – uma das obras-primas do repertório operístico”.

Terceiro título de ópera na temporada 2013, Billy Budd, que celebra o centenário de nascimento de seu autor Benjamin Britten, é uma adaptação para ópera a partir do conto homônimo do autor de Moby DickHerman Melville, e libreto do romancista E. M. Forster (autor de best-sellers como Passagem para a India e Maurice, que ganharam versões cinematográficas) e Eric Crozier. A ópera, que estreou mundialmente em 1951 com grande sucesso, é ambientada em 1797, a bordo do Indomável, navio britânico que enfrenta a guerra entre Inglaterra e França, contando apenas com personagens masculinos. A trama se centra nas recordações do Capitão Vere, que evoca esses dias em que se permitiu a injusta condenação do jovem bondoso e ingênuo que dá nome à obra.

O diretor Marcelo Lombardero reproduz com grande realismo o navio em que se passa a trama, tanto a partir da rica cenografia, como de projeções e delicados desenhos, que se fundem ao ambiente e dão a impressão de que o próprio teatro é uma grande embarcação. “As projeções são usadas como um elemento cenográfico e não onírico. Optei por este olhar quase cinematográfico, que tem um ar dos filmes dos anos 60, por ser uma ópera que será apresentada pela primeira vez ao público. Além disso, essa história se conta a partir do conjunto, é épica, com 18 solistas, coro grande, etc, então acho que uma abordagem abstrata não seria o melhor caminho”, explica. “A obra tem várias leituras e subtextos. É por um lado uma parábola bíblica em que Billy é Jesus, John Claggart é o demônio e o Capitão Vere é Pilatos, mas também fala da intolerância ao que é diferente. Fala ainda do embate entre a justiça e a legalidade. Todos trabalham para que o status quo se mantenha, pois a liberdade do homem era um perigo para o poder instituído. Há ainda o fato de que Britten e Foster quiseram fazer um manifesto homossexual. Britten sempre falou em suas obras sobre a estigmatização do diferente”, completa.

SERVIÇO
Billy Budd
Data: 
17 de novembro, às 17h
19, 21 e 25 de novembro, às 20h
23 de novembro, às 21h
Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Endereço: Praça Floriano, s/nº – Centro

Palestra ‘Falando de Ópera’
Data: 
17/11 – 15h30 às 16h30
19, 21 e 25/11 – 18h30 às 19h30
23/11 – 19h30 às 20h30
Apresentação: Maestro Silvio Viegas
Endereço: Salão Assyrio / Av. Rio Branco, s/nº – Centro
Entrada Franca, mediante a apresentação do ingresso

Preços:

  • Frisa/Camarote – R$ 504,00
  • Plateia / Balcão Nobre – R$ 84,00
  • Balcão Superior – R$ 60,00
  • Galeria – R$ 25,00

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 13 novembro, 2013 08:01


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Era uma vez em Hollywood

Facebook

Socorro Virei uma Garota!