11º FIL – Festival Internacional de Intercâmbio de Linguagens volta ao Rio de Janeiro

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 18 setembro, 2013 16:09

11º FIL – Festival Internacional de Intercâmbio de Linguagens volta ao Rio de Janeiro

Em seu 11º. ano, o FIL – Festival Internacional Intercâmbio de Linguagens, volta ao Rio de Janeiro, de 19 a 29 de setembro, trazendo para a cidade uma programação cultural repleta de curiosidades, novidades e encantamento. A cada ano, o pioneiro festival multidisciplinar se torna mais múltiplo, inédito e convergente. Nesta edição, a programação conta com atrações vindas da Espanha, França, Alemanha, Dinamarca, Quebec, Bósnia, Inglaterra e, claro, do Brasil.

 Com o objetivo de ampliar e aprofundar o intercâmbio criativo, formar novas plateias e proporcionar uma viagem de descobertas, durante dez dias o FIL ocupará vários espaços da cidade, entre eles: Teatro Municipal do Jockey – Centro de Referência Cultura Infância, Oi Futuro Flamengo, Oi Futuro Ipanema, Midrash Centro Cultural, Teatro Ipanema, Teatro Municipal Café Pequeno e Teatro Carlos Gomes. A programação está recheada de espetáculos (mais de 20 montagens), performances, ateliers, oficinas, mesas-redondas, mídias digitais, que trazem em seu conteúdo poético o circo, a dança, as artes visuais, a música, o teatro de animação, objetos, bonecos e misturas.

 “A ideia do FIL sempre foi a de criar o que chamo de ‘entre mundos’, conexões e contato entre as artes, gerações, públicos, linguagens, sem limitações, mas com muito acolhimento. O FIL deseja, além de provocar a curiosidade, refinar a percepção poética, inventar novas formas de pensar e de realizar intercâmbios, com nós mesmos e com os outros”, afirma a autora e diretora teatral Karen Acioly, criadora do FIL e responsável pelo festival.

Abrindo a programação temos o espetáculo “Suspend’s”, fruto de uma parceria entre a Compagnie 9.81, de Eric Lecomte, da França, o diretor Claudio Baltar e o festival Multiplicidade, do artista gráfico Batman Zavareze, do Brasil. Um espetáculo de leveza e poesia onde os artistas executam coreografias entre o céu e a terra, numa verdadeira dança vertical. A sessão de abertura contará com uma apresentação especial do Coro de Crianças da Fundação OSB, criado em 2010 pela Fundação Orquestra Sinfônica Brasileira.

 Outro destaque é o espetáculo espanhol “Sienta La Cabeza”, onde a companhia, de mesmo nome, põe em cena um excêntrico ‘Salão de Beleza’, com a criação e a fantasia visual e sonora de duas cabeleireiras e um DJ que realizam verdadeiras esculturas de cabelo nos espectadores.

 Resultado de uma parceria com o FIL, a Companhia Hippolyte a Mal au Cœur, da França, apresenta o espetáculo “Seule Dans Ma Peau D’ane/Sozinha Na Minha Pele De Asno”. Uma linda e triste história de amor, onde um rei, devastado pela morte de sua rainha, manda que levem sua filha embora por não conseguir suportar por perto nada que lembre sua amada. Mais tarde, ao ser obrigado a se casar novamente, ele se apaixona por uma bela princesa e a pede em casamento. Só não sabia que aquela linda moça era a sua filha.

 Entre os espetáculos nacionais, a estreia do infantil “O Mundo Encantado de Buarque de Hollanda”, da Raccord Produções, com Anna Markun. Uma trupe de saltimbancos e o menino Chico e sua incrível imaginação, embarcam em uma viagem musical, levando o espectador a desvendar personagens e histórias da cidade onde moram, embalados por músicas de Chico Buarque.

 Além das peças, o festival oferece Mostras, Oficinas, Mesas Redondas, Exposição e o Especial FIL, que contará com a exibição do curta-metragem “Pietro”, do diretor Hsu Chien Hsin. O grande evento da programação jovem é o “Push in FIL”, que conta com exibição de filmes, apresentações de rappers, exposição de fotos e uma skate session, mini rampa montada na área externa do Teatro Municipal do Jockey.

 Entre as mostras está a “Mostra FIL de Óperas infantis”, com três óperas de câmara pensadas para as crianças de todas as idades. São elas: “The cloud eater/O comedor de nuvens” (Inglaterra/Brasil), “As roupas do Imperador” (Quebec) e “Bagunça!!!! e outras óperas” (Brasil).

Ocupando a programação das mesas redondas teremos: ‘MESA ESCOLA DE FESTIVAIS’, que contará com a participação de representantes dos seguintes principais festivais internacionais da cidade (Multiplicidade, Tempo Festival, Festlip, Festival do Rio, Curta-cinema, Panorama de Dança e FIL). No encontro, o público será convidado a debater sobre a criação de uma escola de festivais e a saber um pouco mais sobre as tarefas e responsabilidades de se organizar um festival; ‘MESA I ENCONTRO DE FESTIVAIS INTERNACIONAIS PARA CRIANÇAS E JOVENS’, que trará o debate sobre as diversas experiências obtidas por organizadores de festivais internacionais para crianças e jovens, das mais diversas linguagens. A mediação será feita pela jornalista Gabriela Romeu, da Folhinha (Folha de São Paulo), e entre as presenças confirmadas está Henilton Menezes, Secretário do Fomento do MinC. A Mesa também traz representantes do SESI Bonecos, FITO (Festival Internacional de Teatro do Objeto), MITA (Mostra Internacional de Teatro de animação), Mostra ComKids, FICI (Festival Internacional de Cinema Infantil), FIT (Festival Internacional de Belo Horizonte), TIC (Festival de Teatro Infantil do Ceará) e II Mostra Internacional de Teatro para Bebês, além de representantes das instituições estrangeiras Festival Les Petit’s Bonheurs, Bureau do Quebec, Instituto da Dinamarca, Instituto SupraSoma (Alemanha) e Consulado Geral da França; e, aberta ao público, a ‘MESA ÓPERA PARA CRIANÇAS’, que contará com a mediação de Inácio de Nonno e com a presença dos compositores Mário Ferraro e Dic Edwards, autores de “O comedor de nuvens” (The Cloud-Eater), Patrick Mathieu, diretor e autor da ópera “As roupas do imperador” e Roberto Bürgel, libretista, autor teatral e compositor de “Bagunçaaa!!!”, onde irão expor os entreveros da natureza de seus trabalhos e do mercado de composição de óperas para o público infantil.

 Na programação de exposições, a EXPO FIL apresenta dois trabalhos: “Minorias” e “Infância”. A primeira, idealizada por Rafucko, trata-se de uma microexposição composta de fotos em dimensões reduzidas, que pretende chamar atenção para a forma como são tratadas as minorias no Brasil. A segunda, nos leva ao imaginário das crianças brasileiras através de uma viagem aos quintais do país, reunindo brinquedos, fotos, documentários e textos que disseminam a diversidade de saberes, fazeres e pensares da infância de povos indígenas ao longo do rio Xingu, do Cariri cearense, do interior de Goiás, da periferia paulistana, do Vale do Jequitinhonha, de comunidades do Velho Chico, entre outras regiões.

 O FIL homenageia este ano o Grupo Sobrevento e dedica a ele uma de suas mostras, a “Mostra Sobrevento”, com quatro espetáculos do grupo: “A Bailarina”, “Mozart Moments”, “Meu Jardim” e “O anjo e a princesa”.

 O FIL é o único festival internacional com atividades para todo o público, incluindo bebês, crianças, jovens e adultos. Ao longo de suas dez edições, o evento apresentou mais de 280 espetáculos e intercâmbios de criação com mais de 20 países.

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 18 setembro, 2013 16:09


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Era uma vez em Hollywood

Facebook

Socorro Virei uma Garota!