O instrumental requintado do Camerata Brasilis na Caixa Cultural

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 2 agosto, 2013 17:10

O instrumental requintado do Camerata Brasilis na Caixa Cultural

O grupo instrumental Camerata Brasilis mostra nos dias 09, 10 e 11 de agosto, na CAIXA Cultural o repertório do seu primeiro CD, homônimo, com participação especial de Teca Calazans.

Uma pequena orquestra popular de câmara, que se dedica a trabalhar o repertório do choro de todas as épocas com composições e arranjos originais e uma busca da música brasileira para além das fronteiras entre erudito e popular. Assim é a Camerata Brasilis, formada por 9 jovens músicos unidos no fundamento e liberdade da linguagem do choro, com uma sonoridade ao mesmo tempo delicada e arrebatadora. Com uma formação versátil e ímpar, um pouco regional um pouco conjunto de câmara, transita facilmente pelas diversas formações típicas da música instrumental brasileira, como bandas do interior, conjuntos de  cordas dedilhadas, dentre outras.

Formada em 2008, a Camerata Brasiliis, ao mesmo tempo em que não nega a influência direta de outra camerata que marcou época, a Carioca, criada por Radamés e Joel Nascimento, também trabalha no aprofundamento da linguagem musical através da pesquisa e difusão dos grandes compositores da atualidade, reforçando a singularidade de nossa música e de seus filhos prodigiosos.

Compõem o grupo Aline Gonçalves (clarinete e flauta), Maria Souto (flautas, sax tenor e arranjos), Vitor Macedo (clarinete), Luis Barcelos (bandolim e arranjos), Marcos Tannuri (cavaquinho), Glauber Seixas (violão), João Gabriel Souto (violão e arranjos), Pedro Aune (contrabaixo) e Gabriel Leite (percussão). O encontro desses instrumentosrevela a sonoridade do grupo e sua busca pela interseção entre a música de câmara e a de roda, entre a precisão e o swing, entre o escrito e o improvisado.

Seu primeiro disco, batizado com o nome do grupo, com a direção musical de Paulo Aragão e Mauricio Carrilho, é a base deste show. Com musicas inéditas de compositores​contemporâneos, como Mauricio Carrilho (“Suite Terreiro” e “Cangalha, esta em parceria com João Lyra), Nailor Proveta (“Lembranças do Coreto”) e Jayme Vignoli (“Litorânea”), traz também frescor em releituras como uma polca rara de Pixinguinha, “Minha vez”, ou de uma valsa composta originalmente para o piano por Radamés, “Vaidosa no1”.  E os novos compositores não ficaram de fora.  Pedro Paes, instrumentista e compositor da nova geração, veio com o choro-carimbó “Benjamin seja bem-vindo” e o grupo também contribuiu com um choro em inusitado compasso impar, 7/8, intitulado 7 X 0, do violinista Glauber Seixas.

O show contará com a participação especial da cantora Teca Calazans, dando uma mostra do novo trabalho do grupo, o CD “Suíte Popular”, a ser lançado ainda este ano.

SERVIÇO
Camerata Brasilis
Datas: 
09 a 11 de agosto de 2013 (sexta-feira a domingo)
Horário: 
19hs
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Teatro de Arena
Endereço: Av. Almirante Barroso, 25 – Centro/Metrô Estação Carioca
Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). Além dos casos previstos em lei, clientes CAIXA pagam meia-entrada
Bilheteria: de terça-feira a domingo, das 10hs às 20hs
Classificação: Livre
Lotação: 176 lugares (4 para cadeirantes)
Acesso para pessoas com deficiência
Camerata Brasilis www.cameratabrasilis.com.br

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 2 agosto, 2013 17:10


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Era uma vez em Hollywood

Facebook

Socorro Virei uma Garota!