Oficina Cultural Oswald de Andrade recebe o Grupo Camerata Erudita que se apresenta com o maestro convidado Israel Menezes

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 20 abril, 2013 18:43

Oficina Cultural Oswald de Andrade recebe o Grupo Camerata Erudita que se apresenta com o maestro convidado Israel Menezes

Dia 26 de abril de 2013, às 20h30, o grupo paulistano Camerata Erudita faz concerto gratuito de obras de compositores internacionais na Oficina Cultural Oswald de Andrade, com regência do maestro Israel Menezes. O grupo tem como prática convidar solistas para suas apresentações e no próximo concerto haverá a participação do violista William Rodrigues.

O repertório atual da Camerata Erudita é composto pelas obras Concerto Para Viola em Dó Menor – Johann Cristian Bach (Henri Casadesus) e Concertos Grossos OP 6 – Nºs 01 e 03 – Arcangelo Corelli.

Repertório

Concerto Para Viola em Dó Menor – Johann Cristian Bach (HENRI CASADESUS)

Considerado um dos mais belos já escritos, mas ainda poucos sabem que ele é na verdade um grande (e belíssimo) engodo de Henri Casadesus. Casadesus era um exímio violista e aficionado em música antiga. Tornou-se importante intérprete de compositores barrocos e classicistas e pesquisador da música e dos instrumentos dos séculos XVII e XVIII. Formou, com seu irmão, cunhada, esposa e um amigo a Societè des Instruments Anciens (1901-1939), que se dedicou por quase quarenta anos a divulgar a música antiga e a executá-la com instrumentos de época: viola d’amore (Henri Casadesus), quinton (Marius Casadesus), viola da gamba (Lucette Casadesus), baixo de viola (M. Devilliers) e cravo (Regine Palamí-Casadesus). Ocorreu então que os membros da Societè, Henri e Marius, se enveredaram pela composição e, não se sabe se tímidos por não acharem suas obras muito boas, ou querendo prestar homenagens a outros compositores ou simplesmente por acharem que composições suas não trariam repercussão, colocaram os nomes de outros autores já consagrados em suas obras, inventando histórias de que teriam descoberto peças inéditas dos mesmos. Com grande conhecimento as características compositivas dos que interpretavam, surgiram então obras com autorias forjadas, como a Suíte para Quarteto de Cordas e o Concerto em Ré para Pequena Orquestra, de C.P.E.Bach e os Concertos para Viola e Orquestra em Si Menor de Händel e em Dó Menor de J.C.Bach. Todas foram compostas, na verdade, por Henri Casadesus, que as publicava como sendo apenas seu editor.
No intuito de homenagear seus autores prediletos, Casadesus não percebia que sua obra era de grande qualidade e que merecia levar o nome verdadeiro do autor. Essas peças foram executadas por anos a fio com as autorias forjadas que o musicista francês lhes deu. Mais recentemente optou-se por colocar a autoria de Henri Casadesus e acrescentar ao título da música que se trata de obra “no estilo” do autor que aparecia na edição original. Ainda assim, é muito comum até os dias atuais que se vejam essas obras sendo executadas sob as autorias que lhes foram atribuídas por ele.

Concertos Grossos OP 6 – Nºs 01 e 03 – Arcangelo Corelli

Arcangelo Corelli foi o mais famoso violinista-compositor do barroco e um dos mais influentes depois de Cláudio Monteverdi. Embora sua produção integral resuma-se a seis antologias, sua escrita instrumental era admirada pelo refinamento harmônico e estilo brilhante, tendo sido referência crucial para muitos compositores, entre eles Johann Sebastian Bach e Georg Friedrich Haendel. Sobre ele repousa o mérito de ter favorecido a expansão do CONCERTO GROSSO e contribuído de modo decisivo para o enobrecimento do violino. Derivado da viola, o violino surgiu em meados do século XIV, sempre relegado às festas populares e à idéia de vagabundagem e ao gosto duvidoso. Timidamente introduzido nos salões do início do século XVII, recebeu depois, com Corelli, brilhante tratamento técnico e conquistou definitivamente a corte.Contrariamente à maioria dos grandes nomes da música barroca, Corelli produziu pouco, abordando apenas poucas formas de expressão musical existente em seu tempo. Jamais escreveu para voz. Sua glória repousa inteiramente em seis coletâneas de música instrumental, todas elas dedicadas aos instrumentos de arco. As quatro primeiras delas dedica-se aos trios, a quinta é o famoso livro de sonatas para violino solo e baixo; e a sexta obra, os doze Concertos Grossos.

SERVIÇO
Grupo Camerata Erudita
Data: 26 de abril de 2013, às 20h30
Local: Oficina Cultural Oswald de Andrade
Endereço: Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo/SP
Fone: 11 3222 2662
Lotação: 90 lugares
Duração: 50 minutos
Recomendação: livre
Entrada franca – retirar os ingressos com meia hora de antecedência

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 20 abril, 2013 18:43


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Dora e a Cidade Perdida

Facebook

O Clube dos Canibais
Meu Nome é Daniel