Toinho Melodia, ícone da velha guarda do samba de São Paulo, e a banda Inquilinos do Universo agitam o sábado (19/01) do Urucum

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 16 janeiro, 2013 12:05

Toinho Melodia, ícone da velha guarda do samba de São Paulo, e a banda Inquilinos do Universo agitam o sábado (19/01) do Urucum

No próximo sábado 19/01 o Espaço Urucum recebe Toinho Melodia, ícone da velha guarda do samba de São Paulo, e a banda Inquilinos do Universo.

Sobre Toinho Melodia

Toinho Melodia é um músico da Velha Guarda do Samba de São Paulo que continua em atividade. Natural de Pernambuco, veio para São Paulo aos 11 anos de idade e na capital paulista encontrou o samba na beira dos campos onde jogava futebol, uma de suas paixões da adolescência. As rodas de samba caminhavam lado a lado com o futebol de várzea e dai foi um pulo para Toinho acabar conhecendo a Unidos de Vila Maria, escola de samba na qual fez parte por quase duas décadas.

Na Unidos de Vila Maria o pernambucano fez de tudo: empurrou carro, desfilou, compôs e cantou samba enredo. “Eu fazia tudo por amor, amor ao samba, amor ao meu pavilhão. E tudo era bem diferente do que é hoje, naquela época quando os cordões carnavalescos se encontravam nas ruas saía até tapa. Eu já bati e já apanhei muito pela Vila Maria”, conta com orgulho Toinho, que se desligou da escola por uma decepção, “compus um samba lindo para concorrer para o próximo Carnaval, a comunidade toda cantava, a quadra vibrava quando eu cantava e todos davam como certo a vitória do meu samba enredo, caso o concurso fosse justo, mas não foi o que aconteceu. Meu samba foi eliminado e não por vaidade, mas por ter certeza da injustiça que tinham feito comigo eu acabei perdendo o prazer de freqüentar a Vila Maria, tenho certeza que houve preconceito por eu ser negro e meu parceiro na composição ser deficiente físico”, explica.

Tempos depois, por influência de um amigo, Toinho começou a freqüentar o Vai Vai e fez história na ala de compositores da escola, “meu amigo Miguelzinho, repique de mão, Vaivaiense doente me chamou pra ir à Bela Vista. Fiquei com medo porque lá só tinha ‘ão’ e eu sou ‘inho’, sou Toinho, porém encarei”, mas cansado da transformação que o Carnaval foi passando, se distanciou de vez logo em seguida. “Várias coisas me desagradaram, desde o fato das pessoas se preocuparem mais em elevar seu nome do que o nome do samba e da escola, até o lado comercial que as escolas aceitaram deixar em primeiro plano. Não acho justo as pessoas da comunidade pagaram valores altos para desfilar, as escolas estão na periferia e seus moradores são de classe baixa, não acho justo se preocuparem mais com a beleza da fantasia pra ganhar nota do que com o conforto das baianas, não acho justo as modelos, as vedetes serem tratadas com mais importância do que as pessoas da comunidade, por isso me afastei por vinte anos”, relembra o sambista. Mas, esses vintes anos não foram capazes de destruir amizades importantes que Melodia fez dentro do samba e o responsável por sua volta a atividade foi o grande amigo Chapinha, um dos fundadores do Samba da Vela. Nordestino como Toinho, Chapinha se indentificou com o amigo desde os tempos de Vai Vai e nunca mais se afastaram, então, após grande insistência conseguiu levar o amigo para conhecer a comunidade de Santo Amaro, que não só conheceu como compôs também para os cadernos da roda de samba. A partir disso Toinho conheceu outros projetos e hoje faz parte do Kolombolo Diá Piratininga, do Pagode da 27 e de um projeto de Sorocaba, o Panela do Samba. “São Paulo ainda tem samba de verdade sim, fico muito feliz em ver esses meninos levantando a bandeira da fonte que dá a água que bebi, tocando meus mestres Jangada, Toniquinho Batuqueiro e Talismã, por exemplo. Eu canto samba de São Paulo com muito orgulho, sou paulibucano, mistura de paulista e pernambucano e digo mais, o poeta perdeu oportunidade de ficar quieto quando disse que isso aqui é o túmulo do samba, não é não, hoje São Paulo tem muitos projetos que elevam a cultura do samba na sua mais pura essência, aquele samba que veio lá da minha mãe África e tenho grande e verdadeira admiração”, conta Toinho Melodia emocionado.

Inquilinos do Universo – Samba e Choro

É um grupo de samba formado por músicos da Vila Madalena, Pompéia e do Jaguaré. Com um público fiel e animado, o grupo apresenta clássicos do samba de raiz como canções de Cartola, Noel Rosa, Zé Kéti, Adoniram Barbosa, Nelson Cavaquinho, Paulo César Pinheiro, Chico Buarque, Clara Nunes entre outros, além de composições próprias. Os músicos possuem as mais diversas formações e influências. Todos fazem parte de agremiações importantes do carnaval paulistano como Bateria da Nenê da Vila Matilde, Velha guarda da Águia de Ouro, Ala dos compositores da Pérola Negra e Tom Maior.

SERVIÇO
Toinho Melodia e a banda Inquilinos do Universo
Data: 19/01
Espaço Urucum

Endereço: Rua Cardeal Arcoverde, 1.598, Vila Madalena
Telefone: 2309-7409
Preço: Mulher R$ 12,00 / Homem R$ 15,00 até 1h, após Mulher R$ 15,00 / Homem R$ 20,00
Estacionamento: R$ 15,00
Abertura da casa: sexta e sábado: a partir das 22:00hs
Outros dias da semana: Ver programação
Shows: a partir da meia noite
Lugares: 200
Ar condicionado: Sim
www.casaurucum.com.br

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 16 janeiro, 2013 12:05


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Brincando com Fogo

Facebook

Reino Gelado e a terra dos espelhos