Exposição Texturas Poéticas Monotipias de Gilson Bezerra em São Paulo

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 30 julho, 2012 11:02

Exposição Texturas Poéticas Monotipias de Gilson Bezerra em São Paulo

Em sua primeira mostra individual, Gilson Bezerra expõe 10 monotipias criadas no primeiro semestre de 2012. A exposição abriu dia 19/07 e vai até 17/08, no Espaço Mundo Mundano.

Ao contrário do uso tradicional da técnica, que utiliza uma única impressão para feitura de monotipias, o artista desenvolveu seu próprio método de execução. Os trabalhos são produzidos por meio de várias impressões manuais sobre o suporte (papel). Lançando mão de tintas específicas e matrizes previamente montadas (outra característica que diferencia seu trabalho) obtém resultados que ele denomina Texturas Poéticas.

Historicamente, a monotipia teve origem no século 17, com Giovanni  Benedetto Castiglione (1616-1670), do qual foram preservadas algumas monotipias. Alguns artistas chegaram a utilizar monotipias em seus trabalhos, esporadicamente ou com maior freqüência, como foi o caso de Edgar Degas, que produziu uma série significativa de monotipias. Na gravura contemporânea, percebemos um novo impulso da monotipia.

SOBRE O ARTISTA

Gilson Bezerra nasceu em Caruaru/PE e mora em São Paulo/SP. Autodidata, o resultado de suas pesquisas estéticas são reflexo de muita experimentação. Sempre inquieto e em busca de novas ferramentas para execução de suas monotipias, tem se dedicado exclusivamente a esta técnica.

SERVIÇO
Exposição: Texturas Poéticas: Monotipias de Gilson Bezerra
Data: De 19/07 a 18/08 – de Segunda a Sexta-feira das 10h às 20h
Local: Espaço Mundo Mundano
Endereço: Rua Mourato Coelho, 25 – Pinheiros
Todas as obras estão à venda
Entrada: Gratuita
Informações: www.mundomundano.com.br e www.gilsonbezerra.com.br

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 30 julho, 2012 11:02


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Dora e a Cidade Perdida

Facebook

O Clube dos Canibais
Meu Nome é Daniel