Criolo no Circo Voador

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 23 janeiro, 2012 17:53

Criolo no Circo Voador

Aos 35 anos, 23 deles dedicados ao rap, Kleber Gomes, o Criolo, apresenta seu primeiro álbum de canções, “Nó na Orelha”, dia 4 de fevereiro, no Circo Voador. O trabalho é um dos discos mais comentados de 2011 e, desde o lançamento, rendeu à Criolo cinco indicações ao VMB (artista do ano, revelação do ano, clipe do ano, melhor música e melhor disco), tendo vencido em três categorias: Melhor Disco, Revelação e Melhor Música (“Não Existe Amor em SP”) e, mais recentemente, o troféu no Prêmio Bravo! de Cultura na categoria Melhor Show.

 

Totalmente autoral, o disco traz dez faixas com produção de Daniel Ganjaman (ex-Planet Hemp e produtor de discos de nomes como Nação Zumbi e Sabotag) e Marcelo Cabral. O álbum foi gravado e mixado em 2010 por Daniel Ganjaman e masterizado por Fernando Sanches no estúdio El Rocha (gravações adicionais estúdio Fine Tuning).

 

Nos shows ao redor do Brasil, Criolo se apresenta com banda completa, formada por Daniel Ganjaman (teclados), Marcelo Cabral (baixo elétrico e acústico), Guilherme Held (guitarra), Curumim (bateria), Maurício Alves (percussão), Thiago França (sax tenor e flauta), Hugo Hori (sax barítono), Gustavo Souza (trompete) e DJ Dan Dan (voz).

 

Criolo é multitalentoso. Compositor de canções contundentes e letras bem construídas, destila versos habilidosos como MC, sem necessariamente utilizar-se de rimas para tal, e profere vocais que surpreendem pela beleza e versatilidade. Paulistano nascido no bairro de Santo Amaro e criado no Grajaú, Kleber Gomes muniu-se de agressividade, humor e delicadeza para criar o trabalho “Nó na Orelha”. Com igual domínio compõe e entoa gêneros diversos como samba, afrobeat, bolero, reggae, rap e romântico.

 

Primeira faixa do disco, “Bogotá” celebra a influência da música africana com sax tenor de Thiago França e vocais das cantoras Verônica Ferriani e Juçara Marçal. Clássico imediato, “Não Existe Amor em SP” exibe poesia e interpretação que não deixam dúvidas a respeito da força da composição e da garganta de Criolo. Para fechar o lado A, Criolo surge com entonação dramática no lamento das agruras de “Freguês da Meia-Noite”, samba canção acirrado por um arranjo de cordas certeiro.

 

Criador da Rinha dos MCs, uma das festas mais autênticas do hip hop dedicada às batalhas de improvisação, Criolo não deixa de representar sua raiz musical em “Nó na Orelha”. Hit dos shows, “Sucrilhos” ressurge com novo arranjo para os já conhecidos versos “Pode colar mas sem arrastar. Se arrastar, favela vai cobrar. Acostumado com Sucrilhos no prato, morango só é bom com a preta de lado”. A malemolência de “Subirudoistiozin”, o alto impacto de “Lion Man“ e a musculosa “Grajauex” completam a lista de raps, sempre bem elaborados, do disco.

 

O reggae “Samba Sambei”, faixa em que Criolo manifesta mais uma faceta vocal, e o samba “Linha de Frente”, com Rodrigo Campos no cavaquinho e percussão, exercitam mais algumas contestações na audiência antes de atar o intrigante nó anunciado no título do álbum. Filho do metalúrgico Cleon Monteiro e da professora de filosofia Vilani Cavalcante, Kleber trabalhou nas lojas Americanas, vendeu calçados no Dic, cocadas na rua e roupas de porta em porta. Cursou alguns anos das faculdades de Artes e Pedagogia e aos 18 anos começou a dar aulas para alunos do ginásio e colegial de escolas da rede pública do Grajaú.

 

Criolo escreveu seu primeiro rap aos 11 anos e sua primeira canção aos 25.  “Ainda há Tempo”, seu primeiro registro em estúdio, em 2006, trazia apenas uma canção, ”Aprendiz”. Mesmo sem lançamento oficial, a tiragem de mil unidades esgotou em poucos dias. Apreciador de sambas e fados e compositor compulsivo, Criolo aguardava a oportunidade de apresentar suas canções em um disco produzido de modo diferente do consagrado pelos talentosos beat-makers de seu universo. Com apoio do centro cultural independente sem fins lucrativos Matilha Cultural – que viabilizou a produção de “Nó na Orelha” – conheceu Daniel Ganjaman e Marcelo Cabral. O processo de gravação e produção do disco aproximou Criolo de uma nova cena e rendeu inclusões de suas músicas nos discos do produtor GuiAmabis e do projeto 3 na Massa.

 

::: Serviço :::

CIRCO VOADOR

Endereço: R. dos Arcos S/N   Lapa – Rio de Janeiro (RJ)

Data: 4 de Fevereiro

Horário: 23:00


Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 23 janeiro, 2012 17:53


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Era uma vez em Hollywood

Facebook

Socorro Virei uma Garota!