Exposição: Coleção de obras políticas assinadas por Fernando Botero

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 10 julho, 2011 17:29

Exposição: Coleção de obras políticas assinadas  por Fernando Botero

Depois do sucesso da edição realizada em 2007 no Memorial da América Latina, em São Paulo, quando foram recebidos 25 mil visitantes em apenas um mês de mostra, a exposição “Dores da Colômbia” voltou ao País em março, dando início a um percurso que inclui além do Museu Oscar Niemeyer em Curitiba, os espaços da Caixa Cultural Brasília, Rio de Janeiro e Salvador.

 

A iniciativa reúne 67 obras doadas pelo artista colombiano Fernando Botero ao Museu Nacional da Colômbia entre 2004 e 2005. “Sempre quis trazer essa coleção de volta ao Brasil. O conjunto dessa obra mostra como a arte pode denunciar a violência e propõe uma reflexão sobre a sociedade”, diz a produtora executiva da Aori, Denise Carvalho, responsável pelo retorno da mostra ao País.

 

As seis aquarelas, 36 desenhos e 25 pinturas, que já percorreram várias cidades européias e latino-americanas, mostram os abusos sofridos pelo povo colombiano como consequência da ação de grupos guerrilheiros, políticos e paramilitares. O conflito que resultou no exílio de 1,5 milhão de colombianos nas últimas décadas é ao mesmo tempo um movimento social que busca as bases para a busca da justiça no país.

 

Embora retrate uma situação trágica de um período bem determinado, Botero criou as composições com pinceladas de cores vibrantes capazes de atrair e envolver cada vez mais pessoas de todo o mundo no drama colombiano e de outros países que vivem conflitos sociais.

 

“Dores da Colômbia” dialoga com uma corrente artística que vincula a arte à política. Dentro desse contexto encontramos outros mestres importantes que imprimiram discurso e fatos históricos em suas telas. Francisco Goya, com “Desastres da Guerra” e Pablo Picasso com “Guernica”, recriam a sua maneira, atos cometidos durante períodos de turbulência vividos em seus países.

 

“Dores da Colômbia” tem curadoria do próprio Museu Nacional da Colômbia, localizado em Bogotá. De acordo com a diretora do Museu, Maria Victoria Robayo, o conjunto se integra ao programa de exposições itinerantes que tem como um de seus objetivos fazer um apelo à consciência para evitar que os horrores da guerra se repitam.

 

“Botero disse várias vezes que, apesar de não residir na Colômbia há mais de 40 anos, sente-se muito próximo de seu povo. Trata-se de um convite à reflexão sobre as circunstâncias dolorosas que violam os direitos humanos”, explica Maria.

 

::: Serviço :::

Em Curitiba:
18 de maio – vernissage para convidados
19 de maio a 14 de agosto, no Museu Oscar Niemeyer – Curitiba/PR
Rua Marechal Hermes 999, Centro Cívico
(41) 3350-4400
Terça a Domingo de 10h às 18h
Valores:
R$4,00 adultos – R$2,00 estudantes – menores de 12 e maiores de 60 anos a entrada é gratuita
Primeiro domingo de cada mês – entrada gratuita
Classificação livre

 

No Rio de Janeiro:

05 de setembro de 2011 – vernissage para convidados
06 de setembro a 30 de outubro, na CAIXA Cultural
Av: Almirante Barroso, 25 Centro
(21) 2544-4080
Terça a Sábado, das 10h às 22h: Domingo das 10h às 21h
Classificação livre
Entrada franca

 

2012

Em Salvador
Abertura: 12 de junho.

Aberta ao público: de 13 de junho a 27 de julho de 2012 – Caixa Cultural.

Rua Carlos Gomes, 57 – Centro
071 34214200
Classificação livre
Entrada franca

Realização: Aori Produções Culturais
Apoio: Avianca e Associação dos Amigos do Museu Nacional da Colômbia
Patrocínio: Caixa Econômica Federal

 

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 10 julho, 2011 17:29


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Aprendiz de Espiã

Facebook