Fotógrafo paulistano, Zarella Neto, expõe “O COSTUREIRO” em Lisboa

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 22 setembro, 2011 02:10

Fotógrafo paulistano, Zarella Neto, expõe  “O COSTUREIRO” em Lisboa

Em sua primeira individual, o fotógrafo Zarella Neto, apresenta na Europa a força de seu trabalho autoral. “O Costureiro” foi um dos projetos selecionados pela Galeria Colorida (www.colorida.pt), em Lisboa, para representar a arte brasileira em Portugal. A mostra abriu no dia 10 de setembro, sob a curadoria de José Roberto Moreira.

 

Escolhida por seu ineditismo, a série de nove ampliações fotográficas traduz a luta desesperada pela vida e a costura de novas tramas em busca do renascimento. Zarella cria em “O Costureiro” uma redenção simbólica e com ela reconstrói o mundo. O real e o absurdo, o profano e divino, a beleza e horror são representados na primeira individual deste jovem artista. “A liturgia de Zarella é puramente simbólica na busca pelo renascimento”, diz Sérgio Franco sobre o trabalho do artista.

 

Fotógrafo profissional, Zarella Neto tem em seu currículo dois Leões de Bronze conquistados no Festival de Cannes. Acostumado com a linguagem da área publicitária, o artista trilha há algum tempo um caminho autoral. A realidade fotografada por ele resulta em trabalhos expostos em uma galeria de fotos disponível em seu site www.zarellaneto.com.br.

 

As alegorias presentes nas imagens captadas conduzem à criação deste e de outros trabalhos. Neles, o fotógrafo diante dos absurdos confere um sentido à realidade. ficcional ou não, é dessa realidade, que em 22 de julho concebeu a polêmica obra “Nossa Senhora do Crack” (http://bit.ly/oKfazE), instalada na rua Apa, no bairro de Santa Cecília (SP). O trabalho demandou cuidados desde a procura da imagem com características específicas – encontrada no Interior de São Paulo – até a montagem da obra no reduto da Cracolândia.

 

Criada para chamar a atenção da sociedade e do poder público, a santa recebeu críticas e elogios, além da presença de curiosos. Devido a grande movimentação, dias depois a obra foi destruída pelos próprios usuários de Crack. O fim da imagem para o artista não foi algo inesperado, para ele a obra cumpriu seu papel.

 

Instalado em um Galpão antigo na região central de São Paulo, Zarella procura constantemente se manter próximo da realidade que o cerca. Sua câmera retrata desde cenários, pessoas, até histórias cotidianas que poderiam se perder. Estes elementos se tornam matéria prima para pesquisa de seu trabalho autoral.

 

::: Serviço :::

Exposição: “O Costureiro” – Zarella Neto
Abertura: 10 de setembro
De 11 a 23 de setembro de 2011
Local: Galeria Colorida • Costa do Castelo – Lisboa | Portugal
Horário de funcionamento: de terça a sábado, das 13h30 às 19h
Grátis
Informações técnicas: 9 ampliações fotográficas em papel fibra de celulose – 75 cm de altura x 1 metro de largura

 

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 22 setembro, 2011 02:10


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Aprendiz de Espiã

Facebook