Cacife Clandestino lança o álbum “Ouro Latino”

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 4 outubro, 2018 03:06

Começando com a intro “Oráculo”, afirmando que ‘sabedoria vale ouro’, o Cacife Clandestino apresenta seu novo álbum, “Ouro Latino”, já disponível em todas as plataformas digitais pela gravadora Deck. 

Logo no início, o duo carioca formado por Felp 22 (voz) e Terror dos Beats (DJ) convida o ouvinte a conhecê-lo: “Mano, cê não sabe o que é Cacife Clandestino. Junto com a minha banca nossa história vira hino. (…). Tu sabe que minha vida é cantar. Os erros eu não vou repetir”. O Cacife Clandestino fala sobre a realidade urbana, tendo como tema principal a vivência de seu vocalista e compositor. 

O duo iniciou sua carreira em 2010 e ganhou rápido reconhecimento na cena do rap com o sucesso “Beija Flor”, lançado em 2012. Desde então, produzem constantemente, trazendo na bagagem os discos “Sonho de Rua” (2013) e “Conteúdo Explícito, Part. 1” (2016), a mixtape “Marginal” (2017) e inúmeros singles de sucesso, entre eles “Dona do Baile”, “De Ninguém”, “Sangue Bom”, “Tudo ou Nada”, “Fortaleza” e “Roda Gigante, que acumulam mais de 30 milhões de execuções no YouTube.

“Ouro Latino” é o primeiro álbum do Cacife Clandestino em parceria com a Deck. O disco foi gravado, mixado e masterizado no estúdio da Medellin Records (RJ), com produção geral assinada por WC no Beat. Para criar suas 12 faixas inéditas, todas assinadas por Felp 22, eles contaram com outros produtores em algumas faixas: PEP, Lotto e Rick Beats. “Começamos o processo do álbum com mais de 200 músicas para serem escolhidas. Otimizamos tudo em quatro meses de produção, com muito trabalho”, conta Felp. 

Além de firmar parcerias que colaboram na sonoridade e produção do álbum, Felp 22 e Terror dos Beats convidaram alguns nomes ascendentes do rap nacional para cantar e assinar junto deles algumas das músicas. “As participações que estão no álbum fluíram naturalmente. Eu já queria trabalhar com cada um deles”, diz Felp.

Entre os convidados que dividem os vocais com Felp estão Xamã na música “Medellin Gang”, Cinthya Luz canta sobre a superação de quem vive nas “Ruas Escuras” e Matuê em “Terapia”, todas essas com seus clipes já disponíveis no YouTube. O trio Class A colabora com a música “Pivete”, Froid canta e assina com Felp a canção “Uzi” e Knust participa de “Ring Ring”, afirmando que “a meta aqui é sempre ser melhor que ontem”. Primeiro a integrar o grande time para o CD, Pelé Milflows está em “Mudei”, faixa do álbum que retrata a discussão de um casal.

Com seu jeito único, Felp 22 cria nas rimas imagens que contam uma história, como nas músicas “Fábrica de Papel” ou “Mambo”. “Captura” encerra o disco avisando que ‘daqui só vou partir quando sair o sol’. Nesse novo trabalho, o Cacife Clandestino conseguiu aperfeiçoar o seu estilo, que já conquistou milhares de fãs por todo o país. A mensagem que fica é a de valorizar a sabedoria para fins prósperos. Esse é o “Ouro Latino” do Cacife Clandestino.

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 4 outubro, 2018 03:06


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

GOOSEBUMPS 2

Facebook

Ferrugem