C. Tangana libera videoclipe de “Pa Que Brille” protagonizado pelo dançarino El Yiyo

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 8 novembro, 2017 17:10

Quanto de flamenco há em ÍDOLO? Como se já não houvesse suficiente reviravolta na rotulagem do som de C.Tangana, agora o artista se inspira no flamenco para colocar imagens em uma das faixas mais românticas e íntimas do álbum: Pa Que Brille.

Realizado por BRBR Films e com C. Tangana praticamente fora de todas as cenas, o vídeo abre mais uma porta para as influências – indiretas – do artista, trabalhando a interseção entre o flamenco e o novo rap. Um trabalho no qual a aliança contínua entre C. Tangana e a nova onda de criadores emergentes de diferentes disciplinas.

O videoclipe – que teve estreia exclusiva no El País e foi exibido pela primeira vez no evento da apresentação do álbum em Madri há algumas semanas – foi dirigido por Luis Rojo e Nacho A. Villar. O coletivo de criações audiovisuais BRBR, muito próximo da atual cena de músicos underground, que já produziu vídeos para Dellafuente, Cálido Lehamo e Emelvi, também foi responsável pelo mini documentário La Construcción del Ídolo que acompanha o álbum. A produtora audiovisual, além disso, já colaborou com C. Tangana antes de sua chegada ao mainstream com obras como o premiado “Madrid en David” (2015) e a realização do videoclipe “Lo Hace Conmigo” (2016).

O rap underground do qual C. Tangana vem, compartilha semelhanças com a essência do mundo do flamenco de onde vem El Yiyo, talento emergente de 20 anos já posicionado como o novo codinome da dança. Ambas músicas vêm do mesmo ponto: a rua, a periferia; algo que facilita o entendimento entre as duas linguagens. “Para mim, o mais importante do flamenco é que é uma cultura popular de qualidade, são coisas realmente boas que encontram seu ponto de partida nas pessoas. O flamenco me influencia principalmente pelas letras, mas o que mais me interessa é que tem essa parte da cultura popular que não é indústria” (C. Tangana).

C. Tangana e El Yiyo também estão unidos por essa visão ampla que vai além de um rótulo e prefere jogar com vários, para provocar encontros entre influências e gêneros. O dançarino, formado em dança clássica e contemporânea, já compartilhou o palco com nomes como Eva la Yerbabuena, Estrella Morente, Joaquín Cortés e Duquende.

A música chega – mais uma vez– pelas mãos de Alizzz, que assina uma versão da faixa diferente da que aparece no álbum e em que podemos ver que o estilo futurista e o toque maximalista dialogam perfeitamente com elementos típicos do flamenco, tanto na trilha sonora como nas imagens. ‘Pa Que Brille’, como obra audiovisual, é uma lição magistral em versatilidade em todos os níveis.

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 8 novembro, 2017 17:10


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

A Estrela de Belém

Facebook

Terra Selvagem