Mostra Spike Lee homenageia um dos maiores nomes do cinema independente contemporâneo

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 28 julho, 2017 10:53

Considerado um dos maiores nomes a abordar a contemporânea situação da comunidade negra norte-americana, Spike Lee ganhou projeção mundial tratando de questões como desigualdade social, relações de poder, criminalidade urbana e atuação da grande mídia com relação à essas temáticas. A Fundação Clóvis Salgado, por meio do Cine Humberto Mauro, homenageia o diretor, roteirista, produtor e ator com a exibição de 20 longas-metragens de sua vasta carreira, no ano em que Lee completa 60 anos. A programação também integra as atividades do 3º Inverno das Artes, iniciativa que visa fomentar a arte e a cultura em Belo Horizonte, durante o período das férias de julho, e continua em cartaz durante o mês de agosto.

Segundo Bruno Hilário, um dos curadores da mostra, trazer o trabalho do cineasta para o Cine Humberto Mauro era um desejo antigo, antes mesmo da mostra O Universo Pulsante da Blaxploitation, realizada em 2016. Sucesso de público, a mostra abordou o movimento cinematográfico que teve seu auge nos anos 1970 e trazia a proposta de filmes feitos por negros, sobre negros, para um público negro.

“Spike Lee ganhou destaque nos anos 80 e 90, coincidindo com o fim da Blaxploitation e o início da cultura hip hop. Seu trabalho na época foi considerado uma reinvenção do cinema negro e teve enorme influência sobre outros diretores afro-americanos”, pontua Bruno. 

O curador destaca ainda outros traços do cinema de Spike Lee, o tom irreverente – típico da década- diálogos rápidos e incisivos; e uma estrutura narrativa que mistura diversas histórias e personagens. “Mais explícito do que Quentin Tarantino e dos irmãos Coen, ele apresentava um cunho profundamente político”, completa.  A contribuição de Spike Lee para o cinema foi reconhecida em 2015, quando o diretor ganhou um Oscar Honorário.

Percurso por diversos Gêneros – A mostra, assim como a obra de Spike Lee, percorre diversos gêneros, da comédia ao documentário, passando por romance, ação, suspense policial e drama. “Spike Lee flerta com vários gêneros do cinema, e isto é claramente perceptível na programação da mostra” afirma Vitor Miranda, produtor do Cine Humberto Mauro, que também contribuiu na curadoria da mostra.

Na programação, encontram-se desde o seu primeiro longa-metragem Ela Quer de Tudo, de 1986, até seus filmes mais recentes, como A Doce Sede de Sangue, lançado em 2014.

Um dos destaques é Faça a Coisa Certa, dramédia de 1989 que rendeu ao diretor uma indicação ao Oscar de Melhor Roteiro Original. Protagonizado pelo próprio Spike Lee na pele de Mookie, entregador de pizza num restaurante italiano no Brooklyn, a história se passa no dia mais quente do ano e segue as tensões raciais crescentes na vizinhança. Criando várias narrativas ao mostrar diversos pontos de vista dos conflitos que, culminando numa tragédia, envolvem paredes de retratos apenas com clientes brancos numa pizzaria frequentada por negros, hip hop alto e vidraças quebradas. Do the Right Thing foi sucesso de crítica e público e, até hoje, é classificado entre os melhores filmes de todos os tempos.

O drama biográfico Malcolm X (1992), sobre uma das figuras mais notáveis da luta pelos direitos civis nos Estados Unidos, e o documentário 4 Little Girls (1997), que relembra o ataque terrorista organizado por supremacistas brancos responsável pela morte de quatro meninas negras no interior do Alabama, em 1963, entram na programação.

Trajetória –  Nascido Sheldon Jackson Lee, no sul dos Estados Unidos, antes da luta dos afro-americanos por direitos civis mais abrangentes. Ainda criança, mudou-se com sua família para Nova York – mais especificamente o Brooklyn, vizinhança negra e cenário de vários de seus trabalhos, e recebeu uma criação que o incentivou às artes e à conscientização política (pai músico de jazz, mãe professora). Seus primeiros trabalhos, curtas-metragens produzidos durante a faculdade, já traziam abordagens críticas à realidade racista da sociedade norte-americana e da própria indústria do cinema, como é o caso de The Answer, de 1980.

Palestra – No dia 10 de agosto, às 19h, o Cine Humberto Mauro convida o pesquisador e curador especializado em cinema negro Heitor Augusto para ministrar uma palestra sobre a carreira e estética do diretor Spike Lee. Haverá emissão de certificados, mas não será necessário realizar inscrição prévia, os ingressos serão distribuídos meia-hora antes do evento.

Heitor Augusto

Crítico de cinema, pesquisador, professor e jornalista. Um dos oito selecionados para o Berlinale Talent Campus, programa do Festival de Berlim para jovens críticos. Redator da Interlúdio, revista eletrônica de crítica de cinema, entre 2011 e 2016. Tem textos publicados em diversos veículos da mídia impressa e on-line, além de catálogos de mostras de cinema. Ministrou os cursos Blaxploitation e o Cinema Negro, Historiografia do Cinema Brasileiro, Multiplicidades do Cinema Africano. Pesquisa o cinema Blaxploitation, sobre o qual prepara um livro de ensaios a ser lançado neste ano. Mantém o blog Urso de Lata.

SERVIÇO

Mostra Spike Lee

Local: Cine Humberto Mauro – Palácio das Artes- Av. Afonso Pena, 1537

Dia: 28 de julho a 17 de agosto  

Entrada Gratuita

Informações para o público: (31) 3236-7400

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 28 julho, 2017 10:53


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Aprendiz de Espiã

Facebook