Coletivo Bonobando estreia seu primeiro infantojuvenil, ‘Jongo Mamulengo’, no Teatro Ipanema

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 18 maio, 2017 14:07

Coletivo Bonobando estreia seu primeiro infantojuvenil,  ‘Jongo Mamulengo’, no Teatro Ipanema

Numa celebração à cultura brasileira, com foco em três patrimônios imateriais do país, o Coletivo Bonobando apresenta seu primeiro infantojuvenil: o espetáculo Jongo Mamulengo, parceria com o Jongo da Serrinha e o Cordão do Boitatá, que estreia dia 27 de maio, no Teatro Ipanema, com direção de Adriana Schneider. Na montagem, o jongo, o samba e o mamulengo (teatro de bonecos popular de Pernambuco) são os protagonistas da história contada por atores, músicos e os bonecos confeccionados pelo especialmente pelo Mestre Zé Lopes, mamulengueiro pernambucano. No mesmo teatro, o coletivo, formado por jovens de territórios populares do Rio, vai apresentar o seu já bem-sucedido espetáculo adulto, Cidade Correria. Elogiada por crítica e público, a montagem apresenta uma cidade caótica, com cenas que transbordam urgências cotidianas, contradições, alegrias, delírios, feridas e potências.

O Coletivo Bonobando surgiu em 2014 a partir de uma residência artística realizada na Arena Carioca Dicró, na Penha e, em 2016, iniciou uma parceria artística com o Jongo da Serrinha (ONG que há 50 anos desenvolve trabalhos artísticos e culturais no Morro da Serrinha). O infantojuvenil Jongo Mamulengo nasceu a partir desse encontro cultural e se propõe a contar, de maneira lúdica e poética, a história do jongo e do samba no contexto do Morro da Serrinha, com mamulengos que representam importantes figuras históricas como Vovó Maria Joana, Mestre Darcy, Silas de Oliveira, Mano Décio, Aniceto do Império, Tia Ciata, Clara Nunes, Dona Ivone Lara, Tia Maria do Jongo e Princesa Isabel.

O processo envolveu um intercâmbio dos jovens artistas do coletivo com o mamulengueiro Zé Lopes, da Zona da Mata de Pernambuco, também responsável pelos mais de 20 bonecos que estão no espetáculo. No palco, integrantes do Jongo da Serrinha e do Cordão do Boitatá também estarão em cena tocando e dançando.

A história de “Jongo Mamulengo” também passa pelo surgimento das primeiras favelas e Escolas de Samba da cidade e pela forte presença de personagens femininos no fortalecimento do jongo e do samba – mulheres como Dona Ivone Lara, Tia Ciata, Vovó Maria Joana e Tia Maria do Jongo. “O Jongo Mamulengo é um casamento perfeito entre todos esses grupos e artistas”, celebra Adriana Schneider, que trabalhou no processo de registro do mamulengo como patrimônio imaterial do país. A gente criou os bonecos inspirados em pessoas que são fundamentais na trajetória do jongo e do Império Serrano. Temos o boneco do Mestre Darcy (que dedicou a sua vida à manutenção e à divulgação do jongo), por exemplo, que é quem vai funcionar como apresentador da peça e costumar as histórias que são contadas no quintal da Vovó Maria Joana, mãe dele”, acrescenta a diretora.

SERVIÇO
Jongo Mamulengo
Temporada: de 27 de maio a 25 de junho
Dias e horários: sábados e domingos, às 16h
Teatro Ipanema
Endereço:
Rua Prudente de Moraes, 824, Ipanema
Telefone: 2267-3750
Preço: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia)
Lotação do teatro: 192 pessoas
Duração: 50 minutos
Classificação indicativa: livre

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.
Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 18 maio, 2017 14:07


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Transformers - O último Cavaleiro

Facebook

Homem Aranha: De volta ao Lar




Tal mãe Tal Filha