6º Olhar de Cinema promove mostra em homenagem à cineasta tailandesa Anocha Suwichakornpong

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 27 abril, 2017 15:50

Anocha Suwichakornpong, a premiada cineasta tailandesa, é o tema da mostra Foco na 6º Olhar de Cinema – Festival Internacional de Cinema, que ocorrerá entre os dias 7 e 15 de Junho na capital do estado do Paraná, Brasil.

O festival vai apresentar os dois longas metragens de Suwichakornpong, História Mundana (2009) e Dao khanong (2016) (FOTO ABAIXO) – este segundo terá sua estreia no Brasil – assim como uma seleção de seus brilhantes filmes de curta e média metragens. Além dos filmes de Suwichakornpong, o Olhar de Cinema irá exibir também a restauração recente de Objeto Misterioso ao Meio-Dia (2000), o primeiro longa-metragem do consagrado cineasta tailandês Apichatpong Weerasethakul, que Suwichakornpong selecionou para projetar juntamente com a estreia internacional de seu lindo média-metragem, Fantasmas (2005). A diretora estará pessoalmente no Olhar de Cinema entre os dias 10 e 13 de Junho, para as exibições de seus filmes e também para dar uma Masterclass.

Suwichakornpong nasceu em 1976 na Província de Chonburi, na Tailândia. Ela morou na Inglaterra na década de 1990, estudou cinema na Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, e sempre tem buscado um olhar de viajante a seus delicados filmes, que se transformam constantemente para incorporar novas histórias e personagens. Seu filme Graceland (2006) foi o primeiro curta metragem tailandês selecionado para o Festival de Cannes, e seu primeiro longa metragem História Mundana (2009) recebeu o Prêmio Tigre no Festival de Roterdã quatro anos depois. Ela também teve estreias mundiais de seus filmes em outros festivais prestigiados como de Oberhausen e Locarno, onde Dao khanong (2016) – uma ficção sobre uma jovem realizadora que pesquisa a recente história política da Tailândia – estreou na Competitiva Internacional.

Ela conta como uma figura essencial entre os cineastas tailandeses independentes contemporâneos, muitos dos quais trabalharam com ela através de sua produtora Electric Eel Films (http://www.electriceelfilms.com), que comemora seu décimo aniversário este ano. Suwichakornpong recentemente também co-fundou Purin Pictures (www.purinpictures.org), uma iniciativa voltada para a produção de filmes por todo o Sudeste Asiático.

“Anocha Suwichakornpong é uma cineasta contemporânea que trabalha com temas contemporâneos”, diz Antônio Júnior, diretor e diretor artístico de Olhar de Cinema. “Ela representa nosso mundo em uma mistura de memória e resistência, passado e presente, real e fantástico, englobando tendências tanto do cinema ficcional quanto do documental desde o nascimento da arte. Atualmente, Anocha tem sido uma alquimista na busca em criar estruturas pessoais para realizar as singulares potencialidades de seus personagens e histórias”

A cineasta estará presente no Festival, “Estou muito feliz e empolgada em ter uma retrospectiva no Olhar de Cinema. Essa será minha primeira ida ao Brasil, um país que gostaria de conhecer melhor, talvez através de seu cinema e das histórias, vidas e sonhos de seu povo. O cinema é uma maneira de nos conectarmos com o mundo e uma maneira de alcançar memórias. Acima de tudo, entretanto, cinema é sobre compartilhar. Proponho que nós compartilhemos juntos de momentos para criarmos uma memória coletiva que ultrapasse limites e fronteiras, uma memória resiliente a todas as formas de repressão e discriminação. Que possamos viver e rememorar”, diz Suwichakornpong,

Segue abaixo a lista dos filmes confirmados para a mostra Foco.

– Dao khanong (Tailândia/Países Baixos/França/Qatar, 2016, 105min; cópia fornecida por Luxbox)

– Anoitecer (Nightfall) (Tailândia, 2016, 16min, co-dirigido por Suwichakornpong e Tulapop Saenjaroen; cópia fornecida por Electric Eel Films)

– Estrangeiro (Pohn talay) (Tailândia, 2012, 16min; co-dirigido por Suwichakornpong e Wichanon Somunjarn; cópia fornecida por Electric Eel Films)

– Almoço (Lunch) [Singapura, 2010, 28min; originalmente parte do longa metragem Café da Manhã, Almoço, Jantar (Breakfast Lunch Dinner); cópia fornecida por Wormwood Films Pte. Ltd. e Tay Bee Pin]

– História Mundana (Jao nok krajok) (Tailândia, 2009, 79min; cópia fornecida por Electric Eel Films)

– Como. Amor. Verdadeiro. (Like. Real. Love.) (Tailândia, 2008, 40min; cópia fornecida por Electric Eel Films)

– Espelho Negro (Black Mirror) (Tailândia, 2008, 3min; cópia fornecida por Electric Eel Films)

– Graceland (Tailândia, 2006, 18min; cópia fornecida por Electric Eel Films)

– Fantasmas (Ghosts) (Tailândia/Estados Unidos, 2005, 35min; cópia fornecida por Electric Eel Films)

– Objeto Misterioro ao Meio-Dia (Dokfa nai meuman) (Tailândia, 2000, 84min, dirigido por Apichatpong Weerasethakul; cópia fornecida pela Cinemateca de Bologna)

A mostra Foco tem curadoria de Aaron Cutler, um dos três programadores de longas metragens do Olhar de Cinema – Festival Internacional de Cinema de Curitiba.

O 6º Olhar de Cinema é uma realização da Grafo Audiovisual em parceria como o Ministério da Cultura, é apresentado pela Petrobras e BNDES e conta com patrocínio Sanepar.

6º Olhar de Cinema – Festival
Internacional de Curitiba

De 7 a 15 de junho

Locais: Shopping Nova Batel e Shopping
Crystal (Espaço Itaú de Cinema) e Sesc Paço da Liberdade

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 27 abril, 2017 15:50


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Em ritmo de fuga

Facebook

Homem Aranha: De volta ao Lar




Tal mãe Tal Filha