Zé Guilherme canta Orlando Silva com participação especial de Ana Luiza

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 31 março, 2017 17:10

Zé Guilherme canta Orlando Silva com participação especial de Ana Luiza

Intérprete cearense radicado em São Paulo, Zé Guilherme apresenta-se no dia 29 de abril (sábado, às 21h) com repertório de seu terceiro CD Abre a Janela – Zé Guilherme Canta Orlando Silva, no Bistrô Esmeralda, lançado em 2015. O show tem participação especial da cantora Ana Luiza.

O trabalho é uma bela homenagem a um dos mais significativos intérpretes da música popular brasileira, que completaria 100 anos na época do lançamento do disco. O trabalho é norteado por uma releitura delicada e pessoal de 18 canções do repertório do Cantor das Multidões, selecionadas em um longo processo de pesquisa sobre sua trajetória.

Entre as músicas do show, destaque para “A Jardineira”, “A Primeira Vez”, “Abre a Janela”, “Aos Pés da Cruz”, “Curare”, “Faixa de Cetim”, “Lábios Que Beijei”, “Lealdade”, “Malmequer”, “O Homem Sem Mulher Não Vale Nada”, “Pela Primeira Vez”, “Preconceito” e “Alegria”, entre outras. O roteiro traz ainda as inéditas “Franqueza” e “Espelho”, ambas de Luis Felipe Gama, sendo a segunda uma parceria com o próprio Zé Guilherme.

Na apresentação, Zé Guilherme também tece alguns comentários, entre uma e outra canção, a respeito da vida e obra de Orlando Silva, bem como sobre o contexto social da época e as razões que nortearam sua escolha do repertório. O intérprete se apresenta acompanhado por Cezinha Oliveira (direção musical e violão), Adriano Busko (percussão) e Pratinha Saraiva (flautas e bandolim).

O show Abre a Janela – Zé Guilherme Canta Orlando Silva já foi apresentado no Sesc Belenzinho, Museu da Casa Brasileira e Bistrô Esmeralda. No dia 24 de maio, o artista se apresenta no Sesc Santana, em São Paulo.

Concepção do CD

A trajetória de Orlando Silva é marcada por apurado critério na escolha das canções, ele só cantava o que lhe tocava a alma. O colorido, o swing e a brasilidade da sua obra foi o mote principal das escolhas de Zé Guilherme. A seleção levou em consideração, além da afinidade artística, a época de seu apogeu – de 1935, quando gravou o primeiro disco, até 1942. O roteiro contempla um perfil mais leve e alegre do cantor como na maioria dos sambas que trazem sempre um toque de humor nas letras. Zé Guilherme não esconde a relação afetiva com o trabalho: “Abri a janela do meu coração para me apossar, com respeito e reverência, dos sucessos de Orlando Silva e reapresentá-los ao público pela minha voz, pela minha forma de cantar”.

A produção musical é assinada por Cezinha Oliveira que inseriu elementos clássicos nos arranjos como piano, baixo acústico, acordeon, trombone e violão de sete cordas, entre outros, dando “requinte” sonoro ao disco sem cair no mero saudosismo. Abre a Janela – Zé Guilherme Canta Orlando Silva foi concebido com base no tripé interpretação, arranjos e composições, e mostra que a chamada “música antiga” do Brasil pode se manter clássica em sua origem, popular em sua apresentação e sofisticada em sua concepção.

Sobre a concepção dos arranjos, Cezinha explica que, para todos os sambas, inspirou-se nos conjuntos regionais e nas orquestras que acompanhavam os artistas nas rádios. O instrumental era, geralmente, formado por acordeon, violão, percussão e instrumento solo de sopro. Apenas as marchinhas “A Jardineira” e “Malmequer” seguem outro caminho. A primeira tem introdução influenciada pela música barroca e a segunda ganhou um andamento mais jazzístico.

Músicos de primeira linha participaram da gravação: Thadeu Romano (acordeon), Breno Ruiz (piano), Meno Del Picchia (baixo acústico), Maik Oliveira (cavaquinho), Pratinha (flautas e bandolim), Adriano Busko (percussão), Allan Abbadia (trombone), Luque Barros (violão de 7 cordas e vocal), Cezinha Oliveira (violão, guitarra e vocal) e João Pedro Verbena (guitarra).

Repertório do CD: “A Jardineira” (Benedito Lacerda e Humberto Porto), “Dama do Cabaré” (Noel Rosa), “A Primeira Vez” (Armando Marçal e Bide), “Abre a Janela” (Marques Júnior e Roberto Roberti), “Aos Pés da Cruz” (Marino Pinto e Zé da Zilda), “Cidade do Arranha-céu” (Edgard Cardoso e Ranchinho e Alvarenga), “Cidade Brinquedo” (Silvino Neto e Plínio Bretas), “Curare” (Bororó), “Faixa de Cetim” (Ary Barroso), “Lábios Que Beijei” (J. Cascata e Leonel Azevedo), “Lealdade” (Wilson Batista e Jorge de Castro), “Malmequer” (Newton Teixeira e Cristovão de Alencar), “Meu Consolo É Você” (Nássara e Roberto Martins), “Meu Romance” (J. Cascata), “O Homem Sem Mulher Não Vale Nada” (Arlindo Marques Jr. e Roberto Roberti), “Pela Primeira Vez” (Noel Rosa e Cristovão de Alencar), “Preconceito” (Marino Pinto e Wilson Batista) e “Alegria” (Assis Valente e Durval Maia).

SERVIÇO
Show: Zé Guilherme
Em Abre a Janela – Zé Guilherme Canta Orlando Silva
Músicos: Cezinha Oliveira (violão / direção musical), Adriano Busko (percussão), Pratinha Saraiva (flauta).
Data: 29 de abril. Sábado, às 21h
Bistrô Esmeralda
Endereço: Rua Esmeralda, 29 – Aclimação/SP
Tel.: (11) 95850-0040
Ingressos: R$ 30,00 (meia: R$ 15,00)
Reservas: (11) 95850-0040 ou contato@bistroesmeralda.com.br
Duração: 90 min
Lotação: 45 lugares
Cesura: Livre
Abertura da casa: 19h. Ar condicionado. Estacionamento nas imediações.

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.
Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 31 março, 2017 17:10


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Facebook

Paris Pode Esperar


Um Tio Quase Perfeito