Soraya Ravenle volta à cena com Instabilidade perpétua

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 28 março, 2017 10:03

Soraya Ravenle volta à cena com Instabilidade perpétua

Depois do sucesso da primeira temporada no CCJF em janeiro e fevereiro, Soraya Ravenle volta à cena com Instabilidade perpétua, seu primeiro solo teatral, agora no MIdrash Centro Cultural. Baseado no livro homônimo do escritor Juliano Garcia Pessanha, composto por ensaios filosóficos, poéticos e historietas, o trabalho oferece ao espectador uma maneira de enxergar a vida através das próprias feridas. Com delicadeza e contundência, Ravenle instiga o público com aspectos filosóficos da existência humana em sociedade.

A encenação despojada é o resultado de um processo colaborativo que, curiosamente, contou com quatro diretoras: Daniella Visco, Georgette Fadel, Julia Bernat e Stella Rabello. Esses diferentes olhares ressaltam a versatilidade da intérprete, uma vez que a cena reúne filosofia, poesia, ficção, música e dança sem que nenhuma dessas formas de expressão se sobreponham às palavras do autor e sem estabelecer fronteiras entre essas linguagens. Pelo contrário, Instabilidade Perpétua borra essas fronteiras em um trabalho sutil e minimalista.

O encontro com a escrita de Juliano Garcia Pessanha foi um momento ímpar na carreira da Soraya Ravenle. Com a obra do autor, a atriz se conduziu a um novo caminho – de ser artista e produtora de um mesmo projeto como resposta ao momento que é entendido como crise cultural por muitos, mas que, para a equipe envolvida, representa uma oportunidade de experimentar novos temas e formas de produzir. “Fui atravessada pela escrita do Juliano, logo que Georgette Fadel me apresentou. Hoje, sei que seu gesto foi desprovido de inocência, já que, por me conhecer profundamente, ela vislumbrou o futuro apaixonamento. Como era possível que alguém, que eu nem conhecia, nomeasse a minha existência, muito além do que eu mesma pude fazer até agora?”

Instabilidade perpétua pensa a arte como o lugar onde a verdade acontece. Verdade pensada como desvelamento, capaz de manter o combate entre o velado e o descoberto. Para o escritor Juliano Pessanha, reconhecer a vida humana como espaço de instabilidade é um convite para um enfrentamento feliz do homem com a tortuosidade do estar vivo. Convite aceito. Soraya Ravenle se debruça sobre si mesma para um renascimento.

O texto foi adaptado pela própria Soraya em parceria com o diretor e dramaturgo Diogo Liberano. “O encontro com Diogo foi precioso, pois ele já conhecia e dialogava profundamente com a obra do Juliano. A mandala se completou com amigos, filha, afilhada, prima, em uma realização absolutamente coletiva, colaborativa e afetiva, movidos pelo desejo de estarmos juntos e fazermos a roda da vida girar… são os novos tempos? Novos nascimentos?!”.

Tanto nas dimensões artísticas como nas de produção, o projeto Instabilidade Perpétua prioriza a criação coletiva, desierarquizada e experimental. Soraya guia a equipe com sua experiência e intuição, mas todas as pessoas envolvidas exercem sua liberdade criativa para além das funções que assinam na ficha artística.

Arriscar-se, expor-se a dimensões esquecidas, abrir-se às possibilidades de ser e pensar novos caminhos para produção teatral são os objetivos centrais do projeto Instabilidade Perpétua, que inclui também circulação independente, apresentação em espaços alternativos e um documentário com estreia prevista para o fim do ano. Esse é o resultado de muitos anos de experiência nos palcos, que conduziram a atriz a um contínuo processo de estudo e desenvolvimento pessoal e profissional, trazendo diferentes memórias, afetos e técnicas, contemplando as experiências vividas, mas também se lançando para o desafio da inovação e reinvenção artística.

SERVIÇO
Instabilidade perpétua
REESTREIA: 09 de março (5ªf), às 20h
Temporada: até 27 de abril
Horário: sempre às quintas, às 20h
Local: Midrash Centro Cultural
Endereço: Rua General Venâncio Flôres, 184 – Leblon / RJ
Tel: (21) 2239-1800
INGRESSOS: R$40,00 e R$20,00 (meia)
Duração: 60 min
Capacidade: 50 espectadores
Classificação Indicativa: 14 anos

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.
Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 28 março, 2017 10:03


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Facebook

Paris Pode Esperar


Um Tio Quase Perfeito