Grupo Zumb.boys oferece treinamento gratuito de breaking

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 3 fevereiro, 2017 13:06

Grupo Zumb.boys oferece treinamento gratuito de breaking

O Grupo Zumb.boys, que tem a frente o diretor Márcio Greik, ao longo dos anos vem construindo um trabalho sólido no que diz respeito às danças urbanas. O grupo formado exclusivamente por b-boys vem realizando intervenções urbanas, estudos de campo e interagindo com outras linguagens artísticas, com o objetivo de aprimorar o seu trabalho e sua pesquisa. O resultado são espetáculos potentes, sensíveis e que propõe importantes reflexões sobre o comportamento na sociedade contemporânea.

Agora, contemplados pelo 21° Edital de Fomento à Dança de São Paulo, o grupo dá continuidade a suas pesquisas anteriores e ao seu treinamento corporal. E como parte das ações deste grande projeto oferece um treinamento aberto e gratuito, para aproximar aqueles que de alguma forma se interessam pelo trabalho do grupo.

O Zumb.boys vem desenvolvendo ao longo de quase 10 anos estudos práticos e teóricos, mais especificamente da técnica breaking, como linguagem artística. A partir desses estudos, o grupo organizou uma série de procedimentos/exercícios e propostas relacionadas tanto à técnica, quanto corpo e espaço, sendo estes cênicos ou não.

“Desejamos construir um espaço para prática de breaking onde possamos compartilhar não só conhecimentos técnicos, mas também nossas experiências profissionais e pessoais, para juntos descobrirmos novos saberes” – explica Márcio Greik, diretor do grupo Zumb.boys.

O Grupo Zumb.boys vem apresentando um trabalho inédito na cena do breaking e hip-hop, expandindo as possibilidades de investigação corporal e corroborando com novas estruturas de pensamento criativo, valorizando a cultura de danças urbanas, fortalecendo a cena e elevando seu patamar de pesquisas nessa modalidade. O grupo surgiu em 2007, com a proposta do diretor Márcio Greyk de criar uma linha de pesquisa nas danças urbanas, transformando a ideia de ser uma dança apresentável apenas nas ruas, para ser levada aos palcos, através de uma estrutura de pesquisa, produção e criação.

O grupo traz em sua formação os bailarinos Márcio Greyk, Danilo Nonato, David Xavinho, Guilherme Ferreira e Vinicios Silva Costa, que possuem diferentes históricos na dança contemporânea, participando inclusive do processo criativo de importantes companhias como OMSTRAB, Cia. de Dança, Teatro Ivaldo Bertazzo e entre outros.

A partir de 2008, aprofundou sua pesquisa em danças urbanas, ampliando o seu foco de ação de acordo com seus experimentos e necessidades, propondo reflexões e vivências por meio da dança. Contemplado pelo Programa VAI – Valorização de Iniciativas Culturais, da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, criou em 2008 seu primeiro espetáculo, intitulado B.E.C.O [B.boys em Construção Original], e em 2009, o “Método de ensino Zumb.boys” cujo a didática de ensino é fundamentada na pesquisa dos movimentos, nas discussões da relação entre espaço, dança e musicalidade, voltado tanto para o público iniciante quanto para o experiente, preparando os corpos para a cena, o palco e dança.

Em 2010, contemplado pelo ProAc – Hip Hop, da Secretaria Estadual de Cultura de São Paulo, circulou com o “Bloco Original Dança de Rua”, além de se apresentar em diversas unidades do CEU, Sala Crisantempo, Centro Cultural São Paulo, Virada Cultural Paulista e Festival ABCDança.

Sentindo a necessidade de pesquisar algo que criasse maior interação com o público, em 2012, em uma produção independente, estreou “Dança por Correio”, primeiro espetáculo de intervenção urbana, com caráter performático do grupo. Com este projeto, o grupo já se apresentou em cerca de 40 cidades diferentes, interagindo com diversos públicos e com este projeto foi vencedor do prêmio APCA de Dança.

Em 2014, em outra produção independente, o grupo criou o espetáculo “Ladrão”, e em um processo de imersão nas regiões periféricas da cidade.

Primeiro grupo de danças urbanas a ser contemplado no Fomento à Dança de São Paulo (17ª edição do edital), o Grupo Zumb.boys intensificou a sua pesquisa em danças urbanas e deu continuidade à pesquisa do espetáculo “Ladrão”,  convidou artistas de outras áreas da dança e outras linguagens como teatro e música, para participar do processo criativo do espetáculo “O que se rouba”, que estreou no dia 23 de outubro de 2016, no Teatro Flávio Império.

SERVIÇO
TREINAMENTO DE BREAKING – GRUPO ZUMB.BOYS
Local: CRDSP – Centro de Referência da Dança de São Paulo.
Data: 04 e 11 / 02 / 17
Horário: Das 10 às 13h
Inscrições: produção@zumbboys.com

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.
Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 3 fevereiro, 2017 13:06


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Dora e a Cidade Perdida

Facebook

Reino Gelado e a terra dos espelhos