Canal Futura apresenta escolas inovadoras no Brasil e no mundo

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 29 agosto, 2016 16:37

Você já imaginou uma escola onde se aprende tudo na prática? Ou onde, já nos primeiros anos, quem define o que vai estudar é o próprio aluno? E um colégio sem aula ou prova, em que cada estudante segue seu próprio ritmo de aprendizagem? É o que mostra a série documental “Destino: Educação – Escolas Inovadoras”, que estreia na tela do Canal Futura em 1 de setembro (quinta-feira), às 21h, e investiga iniciativas educacionais transformadoras. Doze instituições de ensino espalhadas pelo mundo e inseridas em contextos diferentes reinventaram suas práticas pedagógicas, currículo escolar, infraestrutura, entre outros aspectos, para motivar uma aprendizagem mais dinâmica, conectada com seu entorno e próxima da realidade dos estudantes. Realizado pelo Futura em parceria com o Serviço Social da Indústria (SESI) – Departamento Nacional, o programa conta com consultoria do Instituto Inspirare. A produção é da Cine Group com direção de Sergio Raposo.

Projeto Âncora - Destino Educação (2)

Projeto Âncora - Destino Educação (4)

As escolas foram selecionadas a partir de uma pesquisa sobre tendências da educação, realizada pelo Porvir (programa do Instituto Inspirare), e estão localizadas em nove países: Argentina, Brasil, Colômbia, Dinamarca, Estados Unidos, Finlândia, Holanda, Índia e Inglaterra. São instituições que já adotam uma ou mais tendências, tais como a personalização do ensino, que considera a individualidade de cada aluno; o uso de tecnologia para aprendizagem; a experimentação dos conteúdos teóricos a partir de atividades práticas e projetos; o desenvolvimento de habilidades e competências como liderança, comunicação, cooperação e sociabilidade; a gameficação do processo educativo, que envolve tarefas, desafios, narrativa, pontuação e outros aspectos do universo dos universo dos jogos digitais; e a quebra dos muros invisíveis, conectando a escola com o mundo à sua volta, contextualizando o ensino e levando o aprendizado para fora da instituição.

“Inovação vai além do uso das novas tecnologias. A inovação pode estar na forma como as disciplinas conversam entre si, na maneira como o espaço físico da escola é organizado ou, ainda, na promoção de atividades que desenvolvam nos alunos a percepção da verdadeira importância do aprendizado. A série ‘Destino: Educação – Escolas Inovadoras’ mostra modelos que fogem do tradicional para inspirar gestores e educadores a pensar o novo papel do professor e as necessidades dos estudantes do século XXI. São crianças e jovens que já nascem sabendo usar as tecnologias disponíveis e demandam por metodologias de aprendizagem mais atrativas e mais conectadas com suas realidades. Mas também pretende sensibilizar os jovens para que vejam a escola de uma maneira diferente, usufruindo ao máximo tudo o que este ambiente pode oferecer. O Futura assume a função de ponte para levar até educadores e estudantes as infinitas possibilidades do educar” afirma Lúcia Araújo, diretora do Futura. Há três temporadas, a série “Destino: Educação” investiga diferentes métodos de ensino e lança luz sobre iniciativas que estão transformando a educação do Brasil e do mundo.

Para o diretor de operações do SESI Nacional, Marcos Tadeu de Siqueira, a educação permite que crianças e jovens ampliem seu universo e se realizem profissionalmente, contribuindo também para o crescimento do país. “A inovação e o estímulo à criatividade são fundamentais para possibilitar novas visões de mundo, dando suporte ao exercício da cidadania e transformando esta geração em atores de mudança”, afirma Tadeu.

“Destino Educação – Escolas Inovadoras” apresenta também a visão de especialistas como a diretora executiva do Instituto Inspirare, Anna Penido; o fundador do LABi – Laboratório de Inovação Educacional e PhD em Educação, Rafael Parente; o educador e escritor, André Gravatá; a editora do Porvir, Tatiana Klix; o professor de Políticas Educação Internacional da Universidade de Harvard, Fernando Reimers; o criador do Mundo Maker, Fabio Zsigmond; a socióloga Helena Singer e o pesquisador e doutor em educação Cesar Nunes.

Projeto Âncora - Destino Educação (7)

Projeto Âncora - Destino Educação (8)

DO BRASIL À FINLÂNDIA – PASSAPORTE PARA A MUDANÇA 

Em formato de documentário, “Destino: Educação – Escolas Inovadoras” terá 13 episódios, com 52 minutos cada. Cada um deles é dedicado a uma instituição de ensino e o último apresenta todas as instituições da série, com o objetivo de refletir sobre as iniciativas de inovação no ambiente escolar.

O programa visitou as seguintes escolas: Projeto Âncora (SP – Brasil), Colégio Fontán (Colômbia); Ross School (Estados Unidos), High Tech High (Estados Unidos), The Bath Studio School (Inglaterra), Steve Jobs School (Holanda), Ørestad Gymnasium (Dinamarca), Ritaharju School (Finlândia), The Riverside School (Índia), e3 Civic High School (Estados Unidos), Nave (PE – Brasil) e La Cecilia (Argentina).

Em seu episódio de estreia, em 1 de setembro, às 21h,  “Destino Educação – Escolas Inovadoras” mostra a rotina dos estudantes do Projeto Âncora, em Cotia, município de São Paulo. Uma escola sem aulas, sem turmas, sem séries e sem provas que prioriza um ensino humanizado e trabalha com uma filosofia educacional inspirada na Escola da Ponte de Portugal. A metodologia foge das padronizações escolares convencionais e leva em conta os interesses, as necessidades, as aptidões e potencialidades de cada aluno com o objetivo de desenvolver autonomia. Para isso, o educando é quem faz o planejamento do seu dia e escolhe os assuntos que estudará, enquanto o educador o auxilia a cumprir suas tarefas diárias em um movimento de aprender junto, na troca de experiências, de ideias, de gostos e de sonhos. A O Projeto Âncora atende cerca de 200 crianças em situação de vulnerabilidade social e o episódio mostra o trabalho conjunto da gestão da escola, coordenadoras pedagógicas e corpo docente junto com os alunos e as famílias.

Ainda no Brasil, um dos episódios será dedicado ao Núcleo Avançado em Educação – NAVE, em Pernambuco, que une o ensino básico à formação profissional, com foco na Indústria Criativa. Nos Estados Unidos, a série apresenta a Ross School, que tem como missão mudar a maneira que a educação é vista, através de um currículo interdisciplinar, que estimula o pensamento crítico integrado e a formação de líderes inovadores para uma imersão na comunidade global, facilitando um crescimento e aprendizado para toda a vida; a escola High Tech High, que recebe mais de 2000 visitantes por ano de todo o mundo por causa de seu modelo de aprendizagem através de projetos e seu sistema de formação de professores; e a e3 Civic High School, que desenvolve as habilidades intelectuais e técnicas de seus alunos a partir da investigação e do engajamento dos mesmos em solução de problemas e desafios práticos específicos.

Também serão apresentados o Colégio Fontán, na Colômbia, que oferece educação personalizada, busca pela excelência em cada tema e desenvolve as competências intelectuais, pessoais, sociais e emocionais, e a  La Cecilia, na Argentina, onde a média é de seis alunos por professor e não há divisão de turmas por idade ou ano escolar. O programa passa ainda pela Inglaterra, na The Bath Studio School, que tem uma abordagem bem diferente das escolas tradicionais e o ensino é conduzido por meio de projetos empreendedores, em ambientes que reproduzem o que o jovem encontrará no mercado de trabalho; pela Holanda, na Steve Jobs School, que tem salas de aula com sofás e cadeiras esparsas para que as crianças sintam-se em casa e duas vezes por semana os pais ministram workshops sobre temas diversos, como ioga, fotografia e finanças; e pela Dinamarca, na escola Ørestad Gymnasium, onde há 11 especializações junto do ensino regular: Saúde, Biotecnologia, Ciência, Mídia, Jornalismo, Língua, Inovação, Globalização, Psicologia, Música e Design. Na The Riverside School, localizada na Índia, a série mostra como os alunos aprendem em três estágios – o da experiência, reflexão e resolução de desafios e problemas, e na Ritaharju School, Finlândia, desvenda o formato de aprendizagem por meio de jogos e do uso das tecnologias, interagindo intensamente com os professores pela internet.

O diretor da série Sergio Raposo, da Cine Group, acompanhou as gravações de perto e conta que o mais surpreende foi descobrir que existem inúmeras formas de inovar com recursos diferentes. “Todas as iniciativas retratadas na série buscam aprimorar a forma como o aluno constrói o conhecimento. São olhares voltados para as necessidades dos estudantes, para que ele consiga ter ferramentas para usar no futuro. Foi uma experiência transformadora”, comenta Raposo.

Após a exibição na tela do Futura, às quintas-feiras, os episódios do “Destino Educação – Escolas Inovadoras” também ficarão disponíveis online em www.futura.org.br/escolasinovadoras.

Em 2015, o Futura e o SESI – Departamento Nacional lançaram a série “Destino: Educação Brasil – Diferentes realidades. Diferentes respostas.” (www.destinoeducacao.org.br), que acompanhou a realidade de 25 municípios brasileiros que tiveram destaque no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). A série mostrou como esses municípios estão investindo e transformando a educação básica através de diferentes experiências.

SÉRIE INSPIRA LIVRO 

Inspirado na série, será lançado o livro “Destino: Educação – Escolas Inovadoras”, uma parceria do Futura com a Fundação Santillana/Editora Moderna. A publicação refletirá sobre temas como a arquitetura e os espaços do ambiente escolar, a personalização do ensino, o uso de tecnologia, a educação integral, os métodos de avaliação e tutoria, entre outras inovações apresentadas no programa. “Apresentar práticas criativas que possam inspirar iniciativas adequadas às distintas realidades brasileiras é fundamental para democratizarmos as inovações educacionais. As propostas e ideias dessa obra são um convite ao leitor para conhecer as imensas possibilidades de fazer educação e imaginar novas ações que dialoguem com os anseios e as necessidades da nova geração de alunos”, comenta André Lázaro, diretor da Fundação no Brasil.

Participam do livro a gerente de Conteúdo do Canal Futura, Debora Garcia; o especialista em estudos de tecnologia aplicada à educação, Paulo Blikstein; a diretora executiva do Instituto Inspirare, Anna Penido; o educador e escritor, André Gravatá; a editora do Porvir, Tatiana Klix; a professora de Psicologia Educacional da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Telma Vinha; a socióloga Helena Singer e o pesquisador e doutor em educação Cesar Nunes.

O livro “Destino: Educação – Escolas Inovadoras” está disponível gratuitamente para download, por meio do link: www.futura.org.br/escolasinovadoras.

ESTREIA

“Destino Educação – Escolas Inovadoras”

1 de setembro de 2016, quinta-feira

Data e horário de exibição: quintas-feiras, às 21h

Reprises:

Duração: 52 minutos

Classificação: livre

Ficha técnica:

Produção Executiva: Monica Monteiro e Fatima Pereira

Direção Geral: Sergio Raposo

Assistência de Direção: Alessandra Perret

Roteiro:Bel Mercês

Direção de Produção: Vanusa Spindler

Equipe de Produção: Maria Luiza Khouri, Fernanda Mesa e Julia Bonzi

Direção de Fotografia: Robson Bolsoni

Parceiro de conteúdo: Instituto Inspirare

Equipe de Pesquisa: Valeria Saccone e Tatiana Azevedo

Edição: Adriana Borges

Som: Jailson Lessa

Assistência de Câmera: Emerson Guimarães

Equipe de Pós Produção: Bernardo Cosendey, Juliana Barauna e Pedro Capdeville

Videografismo: Alexandre Aranha e Cristian Meza

Trilha Sonora Original e Mixagem Arpx Audio

Finalização: Glauco Guigon

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 29 agosto, 2016 16:37


Escreva um comentário

2 Comentários

  1. olga dezembro 13, 18:41

    Excelente forma de se pensar numa nova metodologia para ser usada tão logo qto possível diante de uma necessidade emergente de se ensinar com interesses nos alunos. Excelentes exemplos e creio que a aprendizagem é muito mais significativa.

    Responder a esse comentário
  2. Clair Lima Vasconcelos agosto 7, 14:24

    Precisamos nos unir para promover pessoas. Desenvolver seus talentos. Passar uma borracha no que não dá certo. Eu me emociono quando vejo estas iniciativas. Sou educadora de Língua Portuguesa agora estou readaptada, mas continuo junto com os professores auxiliando a pensar todas as possibilidades de trabalhar com o nosso aluno. Por que em todos os anos de trabalho eu ganhava meu dia quando meu aluno vinha para a escola e dizia trabalhei o dia todo estou cansado mas vim porque tinha aulça de português e e é muito gostoso ouvir , participar, dar minha opinião. Me sinto importante professora. Eu sou uma entusiasta.

    Responder a esse comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Aprendiz de Espiã

Facebook