Festival de Locarno começa com representantes brasileiros em diversas mostras

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 4 agosto, 2016 11:46

Começa nesta quarta-feira o Festival de Cinema de Locarno, na Suíça. A 69ª edição do evento, que vai até o próximo dia 13 de agosto, terá participação do cinema brasileiro: cinco longas e dois curtas-metragens estarão presentes em diversas seções competitivas e não competitivas. Cinco destas obras contarão com o auxílio do Programa de Apoio à Participação de Filmes Brasileiros em Festivais Internacionais e de Projetos de Obras Audiovisuais Brasileiras em Laboratórios e Workshops Internacionais da ANCINE para viabilizar sua presença no festival. O programa apoia ainda um p rojeto brasileiro participante do workshop de desenvolvimento EAVE Puentes.

Festival de Cinema de Locarno 2016-1

Na programação estarão dois títulos que receberam recursos do Fundo Setorial do Audiovisual por meio de uma linha de investimento do Programa Brasil de Todas as Telas voltada para filmes de autor. Contemplado na edição de 2013, “Beduíno”, trabalho inédito do veterano cineasta Julio Bressane, será exibido na mostra Signs of Life. Já a coprodução com Moçambique, Portugal e França, “Comboio de sal e açucar”, está na seleção do Panorama Piazza Grande, mostra que promove sessões ao ar livre em uma tela gigante. O filme dirigido pelo moçambicano Licinio Azevedo foi contemplado em 2014 pelo Programa Brasil de Todas as Telas.

Outra coprodução na qual o Brasil atua como parte minoritária, o longa de estreia do diretor argentino Eduardo Willians, “El auge del humano”, coproduzido com Argentina e Portugal, concorre na Mostra Cineastas do Presente.

A participação brasileira conta ainda com o longa “A destruição de Bernardet”, mistura de ficção e documentário sobre o crítico Jean-Claude Bernardet, dirigido por Claudia Priscilla e Pedro Marques, programado para a Mostra Histoire (s) du Cinèma, na qual será exibido sempre em sessão conjunta com o curta “Compêndio da vida de um homem gasto e o seu último desejo perante ela”, de Eugenio Puppo e Ricardo Carioba, que conta com Bernardet no elenco.

Beduíno”, “Comboio de sal e açúcar”, “El auge del humano”, “A destruição de Bernardet”, e “Compêndio da vida de um homem gasto e o seu último desejo perante ela”, seguem para o Festival de Locarno contando com o Programa de Apoio da ANCINE.

Festival de Cinema de Locarno 2016-2

Coprodução Portugal-Brasil disputa o Leopardo de Ouro

Selecionada para a Competição Internacional Principal, a coprodução “O Ornitólogo”, do cineasta português João Pedro Rodrigues, concorre ao Leopardo de Ouro, com mais 16 filmes. Em 2011, o projeto do longa-metragem, com participação minoritária brasileira, foi premiado no edital de coprodução Portugal-Brasil, realizado pela ANCINE em parceria com o ICA – Instituto do Cinema e do Audiovisual de Portugal.

Um outro curta-metragem completa a participação brasileira no 69º Festival de Cinema de Locarno: “An aviation field”, de Joana Pimenta, este uma coprodução com os Estados Unidos e Portugal.

De 4 a 8 de agosto, ainda no âmbito do Festival de Cinema de Locarno, acontece o workshop EAVE Puentes. Entre os 14 projetos de produtores europeus e latino-americanos selecionados está o brasileiro “A bela América”, de Antonio Ferreira. A produtora Tathiani Sacilotto, da Persona Non Grata Pictures, vai ao evento com apoio da ANCINE. O workshop Puentes é fornecido pelo EAVE (Empreendedores de Europeus de Audiovisual), uma organização dedicada ao treinamento profissional, desenvolvimento de projetos e organização de networking para produtores audiovisuais sediada em Luxemburgo, na Europa.

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 4 agosto, 2016 11:46


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Aprendiz de Espiã

Facebook