TARDE PARA MORIR JOVEN de Dominga Sotomayor começa a ser rodado em 2017

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 1 junho, 2016 13:44

TARDE PARA MORIR JOVEN próximo projeto da diretora Dominga Sotomayor (De jueves a domingo) será produzido pela RT Features. Aproveitando o ensejo do anúncio do novo acordo de co-produção entre Brasil e Chile, apresentado por representantes de Chile e pelo presidente da Ancine Manoel Rangel, a RT Features começa a filmar o longa-metragem em janeiro de 2017.

“É uma historia de ‘coming of age’, e quero que tenha um caráter adolescente, emotivo e visceral, e que a intensidade dramática e o dinamismo estejam relacionados diretamente com o ponto de vista e com a idade de seus protagonistas.”, diz a diretora.

Tarde para Morir Joven-Dominga Sotomayor

Dominga Sotomayor é uma das diretoras mais promissoras da América Latina, Tarde para morir joven é o seu terceiro longa. Dirigiu antes De Jueves a Domingo (2012) e Mar (2014), sempre trabalhando temas muito próximos a ela, levando em conta a questão do espaço como um papel de liderança dramática, o que pretende aprimorar nesse novo projeto.

Por seu primeiro trabalho recebeu prêmios importantes, como o Tiger Award no Rotterdam International Film Festival (2012), foi o grande vencedor do Buenos Aires International Festival of Independent Cinema, IndieLisboa International Independent Film Festival e a menção especial no Los Angeles Film Festival, entre outros.

A RT Features já produziu um filme e uma série no Uruguai, mas é a primeira vez que assina uma co-produção com o Chile, Rodrigo Teixeira explica: “Já virou uma marca da RT os trabalhos fora do Brasil, tanto na América Latina quando nos EUA e França, trabalhar com o Chile aprimora ainda mais o nosso alcance com as produções internacionais, e de alguns anos para cá, o país tem produzido filmes incríveis, é uma grande satisfação trabalhar com alguém tão talentosa quanto Dominga Sotomayor”.

Um pequeno grupo de famílias vive em uma comunidade isolada na base de uma montanha, construindo um novo mundo distante dos excessos da cidade grande. O calor do verão é excessivo e o ar é preenchido com os sons úmidos da natureza. Não há eletricidade ou telefones, e a escassez de água é uma constante. Os adultos são divididos pelo desejo de manter a terra como ela é, ou adaptá-lo às novas necessidades. Enquanto os jovens Lucas, Clara e Sofia, filhos de diferentes famílias, lutam com o seu desejo de deixar o local, seus primeiros amores e temores. O grupo se envolve em disputas idealistas, mentiras e em amores secretos. Enquanto isso seus filhos correm livremente, misturando-se com a natureza, como cães selvagens. A relação deles com o lugar é natural, mesmo sendo forçados a viver lá por decisões de seus pais. O filme é um retrato de um grupo de pessoas que optam por se isolar dos perigos das cidades, mas, são confrontados pelo perigos da natureza. Um retrato de três crianças que se sentem mais velhas do que realmente são.
Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 1 junho, 2016 13:44


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Era uma vez em Hollywood

Facebook

Socorro Virei uma Garota!