Curta! estreia ‘Mulher’, primeiro filme de clássicos da Cinédia que chegam ao canal este mês

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 9 maio, 2016 16:26

A partir de maio, o Canal Curta! vai exibir uma sequência de quatro filmes da Cinédia, o mais antigo estúdio de cinema do Brasil e em atividade até hoje, responsável por lançar nomes como Grande Otelo, Oscarito e Dercy Gonçalves. “Mulher”, inédito na TV brasileira, é o primeiro dos filmes a ser exibido, na Quarta de Cinema, dia 11. O longa retrata os dias de luta e sofrimento enfrentados por Carmem, uma jovem que é expulsa de casa pelo padrasto, depois de se envolver com um de seus pretendentes. A ideia do filme, que foi concebida em Hollywood, quando Adhemar Gonzaga esteve na meca do cinema. Na época, cenas do longa feitas na favela foram descartadas a pedido dos exibidores, por medo de desagradar ao público.

Ainda na quarta, o “A Vida É Curta!” vai apresentar filmes sobre engajamento. Vai ao ar na faixa, pela primeira vez na TV, “Quem Matou Eloá?”, que aborda o caso real do sequestro e assassinato de Eloá Pimentel, de 15 anos. O filme faz uma análise crítica sobre a espetacularização da violência e a abordagem da mídia televisiva nos casos de violência contra a mulher. Na sequência, “À Margem da Imagem” mostra a vida dos moradores de rua de São Paulo, e “Memória”, de Roberto Henkin, traz dois momentos marcantes da política brasileira: as campanhas eleitorais de Jânio Quadros à prefeitura de São Paulo e de Fernando Collor à presidência da República.

De Philip Priestley, “James Brown” dita o ritmo na Segunda da Música, dia 9. O documentário traça um perfil desde a infância do ‘padrinho do soul’, com grande espaço para o auge de sua carreira, entre 1955 e 1971. Com imagens de arquivo, o filme evidencia também o cenário mundial que permeava a história do cantor, dançarino e compositor. Registros sobre a história da comunidade negra americana na década de 50 e a visita às tropas norte-americanas em 68 marcam o longa.

Na Terça das Artes, dia 10, vai ao ar “Oscar Niemeyer – A Vida É Um Sopro”, que narra a trajetória do consagrado arquiteto Oscar Niemeyer e mostra como sua vida profissional se cruza com a história do Brasil. No documentário, ele conta de maneira descontraída como criou os principais projetos de sua autoria e cita marcos como a introdução da linha curva. A produção traz ainda imagens inéditas e depoimentos de nomes como José Saramago, Eduardo Galeano, Carlos Heitor Cony, Ferreira Gullar, Eric Hobsbawn, Nelson Pereira dos Santos, Chico Buarque, entre outros.

Jacques Lacan ganha um perfil em “Encontro com Lacan”, que será exibido na Quinta do Pensamento, no dia 12. Considerado um dos maiores psicanalistas desde Freud, o médico é retratado por meio de depoimentos de pacientes, amigos e familiares. Gerard Miller, diretor do filme, viu na produção a chance de tornar a trajetória de Lacan conhecida pelo maior número possível de pessoas. Seu irmão mais velho foi aluno do psicanalista e daí nasceu o interesse.

Nomes como Dilma Roussef, Ferreira Gullar e Eduardo Galeano, todos testemunhas do pós-guerra, estão no documentário “Utopia e Barbárie”, que narra importantes momentos históricos do país desde a Segunda Guerra Mundial até os dias de hoje. O diretor Silvio Tendler viajou por 15 países, coletando depoimentos sobre sua geração, que tentou mudar os rumos do país seja pela luta armada ou com suas ideias. O filme vai ao ar na Sexta da Sociedade, dia 13.

SEGUNDA DA MÚSICA

James Brown (Documentário)

“James Brown” é o retrato de um dos maiores artistas do século XX, o músico americano, James Brown, que alcançou o auge de sua arte, apesar de ter nascido negro e pobre na América dos anos 30. Com materiais de arquivo e diversos encontros, “James Brown” relembra a vida do cantor desde 1933 até 2006, concentrando-se em seus anos de glória, entre 1955 e 1971. O documentário também relata o mundo em que o artista evoluiu, falando sobre sua visita às tropas norte-americanas em 1968, quando eles estavam em guerra no Vietnã. Registros contam a história da comunidade negra americana em um período muito turbulento, a partir do início da década de 1950 até o fim da década de 1960.

Diretor: Philip Priestley
Duração: 56 min. Ano: 2008
Exibição: 9 de maio, segunda-feira, às 23h
Classificação: Livre
Horários alternativos: Dia 10 de maio, terça-feira, às 3h e às 17h/ Dia 11 de maio, quarta-feira, às 11h/ Dia 14 de maio, sábado, às 12h.

TERÇA DAS ARTES

Oscar Niemeyer – A Vida é Um Sopro (Documentário)

“Oscar Niemeyer – A Vida é Um Sopro” é um filme que procura se pautar na clareza de suas linhas e na poética de suas formas, para (re)construir a história do maior ícone da Arquitetura Moderna Brasileira. Uma história indissociavelmente ligada às transformações do país neste último século. No documentário, o arquiteto conta de forma descontraída como concebeu seus principais projetos. Mostra como revolucionou a Arquitetura Moderna, com a introdução da linha curva e a exploração de novas possibilidades de utilização do concreto armado. Fala também sobre sua vida, seu ideal de uma sociedade mais justa e de questões metafísicas como a insignificância do Homem diante do Universo. “A vida é um sopro” é costurado por imagens de arquivo inéditas e raras, e por depoimentos de personalidades como os escritores José Saramago, Eduardo Galeano e Carlos Heitor Cony, o poeta Ferreira Gullar, o historiador Eric Hobsbawn, o cineasta Nelson Pereira dos Santos, o ex-presidente de Portugal Mário Soares e o compositor Chico Buarque.

Diretora: Fabiano Piraino Maciel
Duração: 90 min. Ano: 2005
Exibição: 10 de maio, terça-feira, às 22h
Classificação: Livre
Horários alternativos: Dia 11 de maio, quarta-feira, às 2h e às 16h/ Dia 12 de maio, quinta-feira, às 10h/ Dia 14 de maio, sábado, às 10h15

QUARTA DE CINEMA

O “A Vida É Curta!” da semana traz filmes que falam sobre engajamento com estreia de “Quem Matou Eloá?”

Para abrir o “A Vida É Curta!” da semana, o filme “Quem Matou Eloá?”, inédito na televisão brasileira, faz uma análise crítica sobre a espetacularização da violência e a abordagem da mídia televisiva nos casos de violência contra a mulher. Em seguida, o espectador poderá conferir “À Margem da Imagem”, documentário sobre os moradores de rua de São Paulo, que discute a estetização da miséria. Para fechar, “Memória” traz dois momentos marcantes da política brasileira: as campanhas eleitorais de Jânio Quadros à prefeitura de São Paulo e de Fernando Collor à presidência da República.

Exibição: 11 de maio, quarta-feira, às 20h

Horários alternativos: Dia 12 de maio, quinta-feira, à 0h e às 14h/ Dia 13 de maio, sexta-feira, às 8h/ Dia 14 de maio, sábado, às 14h

“Mulher” (ficção)

O assunto de “Mulher” pode ser definido como uma página da vida impressa no celuloide, contando os dias tristes e amargurados de uma mulher. Perseguições, lutas, sofrimentos, vexames, agonias e depois a felicidade.

Diretor: Octávio Gabus Mendes
Duração: 77 min Ano: 1931
Exibição: 11 de maio, quarta-feira, às 22h
Classificação: Livre
Horários alternativos: Dia 12 de maio, quinta-feira, às 2h e às 16h/ Dia 13 de maio, sexta-feira, às 10h/ Dia 14 de maio, sábado, às 22h.

QUINTA DO PENSAMENTO

Encontro com Lacan (Documentário)

Este filme sobre o psicanalista e psiquiatra Lacan mostra sua vida cotidiana através de relatos de seus pacientes, alunos, amigos próximos e a família. Nascido na virada do século XX, no seio de uma família burguesa católica, Lacan tinha um conhecimento enciclopédico e treinado como psiquiatra. Ele era amigo de Picasso, Lévi-Strauss e Sartre. Mas, apesar de ser um brilhante psicanalista e marcante na teoria e na prática, seus próprios colegas o condenavam, como se ele fosse o demônio. O diretor Gérard Miller ainda estava no colégio quando conheceu Lacan pela primeira vez. Aos 20 anos, seu irmão mais velho, Jacques-Alain Miller, tornou-se um dos alunos mais leais de Lacan. Poucos anos depois, Jacques-Alain casou com sua filha, Judith. Depois de quarenta e cinco anos, Gerárd Miller ainda tem os mesmos sentimentos por Lacan: “Ele era um homem absolutamente incrível. Eu fiz esse filme para que o maior número de pessoas possa saber mais sobre ele”. Hoje, Lacan é considerado o mais moderno, estimulante e até mesmo o mais controverso dos psicanalistas. Ao assistir ao documentário, os espectadores verão por eles mesmos que Lacan mereceu completamente a sua reputação.

Diretor: Gerard Miller
Duração: 52 min Ano: 2011
Exibição: 12 de maio, quinta-feira, às 22h
Classificação: 12 anos
Horários alternativos: Dia 13 de maio, sexta-feira, às 2h e às 16h/ Dia 14 de maio, sábado, às 9h15/ 15 de maio, domingo, às 19h40.

Sexta da Sociedade

Utopia da Barbárie (documentário)
Uma revisão sobre os eventos políticos e econômicos que, desde a 2ª Guerra Mundial, elevaram o risco do desaparecimento dos sonhos de igualdade, justiça e harmonia.

Diretor: Silvio Tendler
Duração: 120 min 
Exibição: 13 de maio, sexta-feira, às 21h50
Classificação: 12 anos
Horários alternativos: Dia 14 de maio, sábado, às 1h45 e às 7h/ Dia 15 de maio, domingo, às 20h40/ 16 de maio, segunda-feira, às 15h50.

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 9 maio, 2016 16:26


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Era uma vez em Hollywood

Facebook

Socorro Virei uma Garota!