Premiado em vários Festivais nacionais e internacionais, SINFONIA DA NECRÓPOLE estreia em Abril

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 24 março, 2016 11:48

SINFONIA DA NECRÓPOLE, escrito e dirigido por Juliana Rojas e distribuído pela Vitrine Filmes estreia dia 14 de abril. O filme é o primeiro longa solo da diretora de TRABALHAR CANSA (co-dirigido por Marco Dutra). Em sua recente, porém robusta, filmografia, Juliana Rojas sempre trabalhou o terror, o suspense e o fantástico. Nesse novo filme ela não abre mão desses elementos, mas prioriza o gênero musical com toques de humor.

SINFONIA DA NECRÓPOLE se passa na cidade de São Paulo, onde a rotina do aprendiz de coveiro Deodato muda quando uma nova funcionária chega ao cemitério. Juntos, eles devem fazer o recadastramento dos túmulos abandonados, mas estranhos eventos fazem o aprendiz questionar as implicações de mudar a estrutura do cemitério.

Toda essa trama se desenvolve a partir de números musicais. As letras das canções foram escritas pela própria Juliana Rojas, algumas em parceria com Ramiro Murillo, que também assina a produção musical, coreografia e arranjos das canções e Marco Dutra, co-diretor de vários filmes realizados por Juliana e também responsável pelas composiçõesSINFONIA DA NECRÓPOLE

O filme tem fotografia de Flora Dias, a direção de arte de Fernando Zuccolotto e o desenho de som de Daniel Turini e Fernando Henna (premiados no Festival de Paulínia 2011 por seu trabalho no longa-metragem TRABALHAR CANSA). O elenco é composto por atores do teatro paulistano. Eduardo Gomes (Deodato), ator formado pela EAD – ECA/USP, atuou em montagens da Cia Livre de Teatro e Pessoal do Faroeste e Luciana Paes (Jaqueline), faz parte daCia. Hiato e foi indicada para o prêmio Shell 2013, pelo monólogo “Ficção #3. Dentre os coadjuvantes, estão atores que trabalharam com a Cia do Latão, Cia São Jorge de Variedades e o CPT de Antunes Filho.

Um sinônimo para “Cemitério” é a palavra “Necrópole”, que significa “Cidade dos Mortos”. É um local que carrega uma forte carga simbólica – embora faça parte da cidade, é uma área onde subentende-se que não está sob o nosso domínio, estamos lá como visitantes, para venerar aqueles que se foram. Estar lá nos transporta a reflexões existenciais mas também nos evidencia a brutalidade da matéria, a decomposição da carne.

SINFONIA DA NECRÓPOLE-Official Poster Banner PROMO-09JULHO2014-01

SINFONIA DA NECRÓPOLE-Official Poster Banner PROMO-09JULHO2014-03

Os cemitérios possuem, em medidas iguais, elementos assustadores e uma atmosfera pacífica. Por abrigarem sepulturas de diversas épocas, também permitem que se entenda muito sobre a história e a estrutura de classes de uma sociedade. O crescimento populacional torna necessária a expansão desses cemitérios e a presença de uma equipe de funcionários que dê conta do fluxo de óbitos e sepultamentos.

É do interesse pelas particularidades dessa vida prática da necrópole que nasceu a ideia desse filme. SINFONIA DA NECRÓPOLE busca desenvolver uma crônica bem-humorada sobre essa cidade dentro da cidade. Revela o cotidianode uma outra cidade (o cemitério) dentro da cidade (no caso, São Paulo), sem deixar de explorar o potencial de fantasia que o cemitério ocupa no imaginário do público.

A escolha de uma história de amor entre personagens pouco convencionais – um aprendiz de coveiro em crise de carreira e uma burocrata do serviço funerário – também surge como possibilidade de explorar as relações humanas dentro de um lugar sem vida.

O uso das canções entra como um elemento de distanciamento na história – cada canção serve para narrar um aspecto diferente desse microcosmos, nos revela os interesses e inquietações de um grupo diferente de personagens. A escolha pelo registro de filme musical também transporta o espectador para uma experiência lúdica – a partir do momento em que se aceita esse elemento anti-naturalista de narrativa, torna-se aceitável também o uso de elementos sobrenaturais.

As letras das músicas foram escritas pela própria diretora, algumas em parceria com Ramiro Murillo, que também assina a produção musical, coreografia e arranjos das canções e Marco Dutra, co-diretor de vários filmes realizados por Juliana e também responsável pelas composições SINFONIA DA NECRÓPOLE.

Festivais:

– IV Paulínia Film Festival – Brazil (2014)

– 42º Festival de Cinema de Gramado – Brazil (2014)

– 1º Farol – Festival Internacional de Fortaleza – Brazil (2014)

– Indie Festival BH – Brazil (2014)

– 38ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo – Brazil (2014)

– VII Janela Internacional de Cinema – Brazil (2014)

– X Panorama Internacional Coisa de Cinema – Brazil (2014)

– VI Semana dos Realizadores – Brazil (2014)

– 29º Festival Internacional de Cine de Mar Del Plata – Argentina (2014)

– 7º Maranhão na Tela – Brazil (2015)

– 18ª Mostra de Cinema de Tiradentes – Brazil (2015)

– 38º Göteborg Film Festival – Suécia (2015)

– 20th Vilnius Film Festival – Lithuania (2015)

– 33º Festival Cinematográfico Internacional del Uruguay – Uruguay (2015)

– Brasil! Une histoire du cinéma brésilien, La Cinémathèque Française – France (2015)

– 22º Festival de Cinema de Vitória – Brazil (2015)

– FICCA – Festival Internacional de Cinema do Caeté – Brazil (2015)

Prêmios / Awards:

– (Best Soundtrack) Melhor Trilha Sonora no IV Paulínia Film Festival (2014)

– (Best Feature Film by Critic’s Jury) Melhor Longa-Metragem pelo Júri da Crítica no 42º Festival de Cinema de Gramado (2014)

– (Best Film – FIPRESCI) Melhor Filme da Competição Latino-americana da Federação Internacional da Imprensa Cinematográfica – FIPRESCI – 29º Festival Internacional de Cine de Mar Del Plata – Argentina (2014)

– (Best Feature Film and Best Film for Interpretation Cast) Melhor Filme de Longa-Metragem e Melhor Interpretação para o Elenco no 22º Festival de Cinema de Vitória – Brazil (2015)

– (Best Script Feature Film) Prêmio de Melhor Roteiro no Geo Saizescu International Film Festival – Romania (2015)

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 24 março, 2016 11:48


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Era uma vez em Hollywood

Facebook