Grupo Esparrama e o famoso Teatro na Janela em nova temporada no Minhocão

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 11 março, 2016 11:04

Grupo Esparrama e o famoso Teatro na Janela em nova temporada no Minhocão

Com o famoso teatro na janela, o Grupo Esparrama recebeu importantes prêmios de teatro, reuniu milhares de pessoas no Minhocão e ganhou notoriedade e após dois anos de intervenções, é um dos grandes responsáveis por dar cara nova a essa região do centro de São Paulo.

No dia 06 de Março, o grupo voltou a se apresentar encerrando as apresentações de seu projeto contemplado pelo Prêmio Zé Renato da Cooperativa Paulista de Teatro. O grupo segue propondo uma nova forma de fazer teatro e acima de tudo, uma grande reflexão sobre a cidade e sobre a ocupação de espaços públicos através da arte.

Conheça este projeto que vem trazendo cores, arte e bom humor para o Minhocão aos finais de semana.

DOIS ANOS DE ARTE NA JANELA

No dia 17 de novembro de 2013, o Grupo Esparrama abria pela primeira vez a sua janela, e estreava o seu espetáculo, criado especialmente para esse espaço. Com uma intervenção cênica realizada na janela de um apartamento em frente ao Minhocão, o grupo convidava o público passante para se aproximar e assistir a um inusitado espetáculo, a cerca de dez metros de distância, se acomodando nesse viaduto, que aos domingos é fechado para os carros e aberto para que a população ocupe de diversas formas.  Nesse dia estreava o espetáculo Esparrama pela Janela, com a idéia inicial de surpreender o público passante e frequentador do Minhocão, com pílulas de arte e bom humor, ressignificando esse espaço público, transformando-o em um local de convívio com a arte.

Com cerca de trinta pessoas na platéia o espetáculo foi apresentado pela primeira vez e iniciou uma jornada de apresentações de forma independente, sem apoios privados, públicos ou institucionais, permitindo ao grupo experimentar essa nova possibilidade do fazer teatral. Ao longo das apresentações, pessoas de outros bairros e até outras cidades foram se aproximando, e engrossando o coro, fazendo com que essa ocupação se tornasse mais forte e mais potente. Atraindo os olhares da crítica especializada, da imprensa nacional, internacional e da população, o Grupo Esparrama ganhou notoriedade com o seu projeto na janela, e, ainda com o projeto sendo realizado de forma independente, foi contemplado com importantes prêmios do teatro: Prêmio FEMSA de Teatro Infantil e Jovem (dois prêmios: Categoria Revelação – pela direção – e Prêmio Crystal Eco de Sustentabilidade) e o Prêmio da Cooperativa Paulista de Teatro, na categoria Melhor Ocupação de Espaço.

Em 2014 o programa Rumos Itaú Cultural selecionou 101 projetos, dentro de um universo de mais de 15 mil inscritos, e o Grupo Esparrama foi então contemplado com seu primeiro programa de patrocínio. Em janeiro de 2015, nascia o projeto Janelas do Minhocão, explorando de diversas formas as potencialidades desta janela que beira o Elevado Costa e Silva no centro de São Paulo.

O projeto começou com seis linguagens artísticas diferentes sendo apresentadas. Com a ação Esparrama Amigos pela Janela, alguns parceiros foram convidados para lançarem novos olhares e perspectivas sobre a mesma janela, explorando outras linguagens. Já na estreia, a ação reuniu cerca de 150 pessoas, que mesmo embaixo de uma forte chuva, permaneceram no Elevado e assistiram ao primeiro grupo convidado, a Cia. Noz de Teatro, Dança e Animação (teatro de animação e de bonecos). A temporada foi seguida pelo Grupo Zumb.boys (dança), Sissy Eiko (fotografia), Ronaldo Aguiar (circo), Ester Freire (música) e Raul Zito (artes plásticas), cada um com sua intervenção específica, criada para a janela do Esparrama. Esta ação ainda articulou os Ciclos de Conversas no Minhocão entre os ‘amigos’ convidados e o público, com um bate-papo sobre a relação entre Arte e Cidade.

O projeto seguiu ainda com uma pequena temporada do espetáculo Esparrama pela Janela e culminou na criação de um novo espetáculo, chamado Minhoca na Cabeça, que extrapolou os limites da janela e literalmente ocupou o Minhocão, chegando a reunir 1200 pessoas em uma única apresentação. Para esse espetáculo o grupo contou com os atores convidados Gabi Zanola e Renato Ribeiro, integrantes da Trupe DuNavô, e Vinicius Ramos.

UMA JANELA COM VISTA PARA A CIDADE

Segundo o diretor Iarlei Rangel, “o Grupo Esparrama metaforicamente quis inverter a função da janela. Ao olhar para ela o público não está numa posição de voyer, espiando para o mundo privado de um apartamento. Pelo contrário pretendemos que ao olhar para ela, o público enxergue um recorte da Cidade.”

Por estar em um local privilegiado para poder ver diversos aspectos do crescimento desordenado e absurdo da cidade, a janela que fica em frente ao Elevado Costa e Silva, exatamente no centro da cidade, permitiu ao grupo criar uma fábula que faz uma reflexão divertida, mas bastante crítica, da relação que estabelecemos com uma cidade que nos assusta. A desumanização das relações, a violência, a identidade de gênero, a especulação imobiliária e a utopia são alguns dos assuntos tratados pelo espetáculo.

No espetáculo Minhoca na Cabeça uma menina que chegou do interior para morar na capital vive a contradição do medo e da vontade de sair para conhecer a rua. No decorrer da peça ela encontra amigos, enfrenta estes medos e ergue um navio fantástico para desbravar a CIDADE. Na cena final temos a Menina na proa de um barco, empunhando um timão, olhando para o horizonte e gritando: NAVEGAR!

Este é um segundo espetáculo – o primeiro foi Esparrama pela Janela – do projeto de uma trilogia que se concluirá em 2017 e que quer investigar a relação entre o público e o privado na construção de uma cidade mais justa.

UM NOVO PRÊMIO PARA A JANELA

Recentemente, foi criado um novo prêmio para a produção e o desenvolvimento das artes cênicas em São Paulo, o Prêmio Zé Renato. Esta nova modalidade de apoio homenageia o diretor teatral paulistano José Renato Pécora (1926 – 2011), ator formado na primeira turma da Escola de Arte Dramática (EAD), dramaturgo e diretor, que tem em seu legado dentro e fora dos palcos, a idealização e fundação do Teatro de Arena e a direção de um das maiores expoentes do teatro brasileiro, a montagem de “Eles não usam black-tie”. Já na segunda edição deste novo prêmio, o Grupo Esparrama foi contemplado com a proposta que previa três temporadas de apresentações. A primeira, finalizada em Outubro de 2015, trouxe novamente para a janela o consagrado espetáculo Esparrama pela Janela.

A segunda temporada marcou uma grande comemoração do grupo, que atingiu dois anos de apresentações na janela e que surpreendeu os moradores da região com apresentações também aos sábados.

Junto com o público, o Grupo Esparrama quer reafirmar a apropriação e utilização desse espaço como um local permanente de convívio com a arte, atuando também como forma de transformação social. “Pretendemos continuar transformando, trocando experiências e acima de tudo crescendo com essa troca! Ouvir, aprender e quem sabe multiplicar ações que modifiquem a vida dos moradores da região para melhor!”, diz Iarlei Rangel, diretor do Grupo Esparrama.

Finalizando o projeto contemplado no Prêmio Zé Renato, o grupo estreia em março uma nova temporada do espetáculo Esparrama Pela Janela, com apresentações todos os domingos às 16h.

Criado em 2012, o Grupo Esparrama, formado por Iarlei Rangel, Kleber Brianez, Ligia Campos, Luciana Gandelini e Rani Guerra, tem como base de sua pesquisa o estudo do palhaço e das estruturas cômicas em suas variadas expressões nas artes cênicas (rua, palco convencional, intervenções, etc.)

Com o Prêmio Zé Renato, o Grupo Esparrama dá continuidade ao seu projeto na janela, e estreia sua nova temporada na janela no dia 06 de março, com apresentações do espetáculo “Esparrama pela Janela”.

SERVIÇO
DOMINGOS – ESPETÁCULO “ESPARRAMA PELA JANELA”
Temporada: de 06 à 27 de março de 2016 – domingos
Horário: 16H00
Recomendação: Livre
Ingressos: Grátis
Local: Minhocão (Elevado Costa e Silva) entre o Metrô Santa Cecília e a Rua da Consolação
Acesso do público: Pelas alças de acesso do Minhocão no Metrô Santa Cecília ou da Rua da Consolação. Nestes pontos haverá sinalizações indicando o local da apresentação.
No caso de chuva, o espetáculo não acontece.

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.
Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 11 março, 2016 11:04


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Era uma vez em Hollywood

Facebook