Minha Loja de Discos apresenta: ‘Baratos Afins’, primeiro episódio gravado no Brasil

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 2 outubro, 2015 18:45

Canal BIS-Minha Loja de Discos-Baratos Afins São PauloNo primeiro episódio dedicado ao Brasil, Minha Loja de Discos  do Canal BIS, conta a história da loja ícone entre os aficionados de música de todo o País e ouve alguns dos incontáveis causos de quem participou da  longa história de amor à música da família Calanca, que se confunde com a história da cena independente.

“Quando era pequeno, no Rio Grande do Sul, já fazia pedidos de discos pelo telefone, que chegavam pelo correio, e quando tinha show grande nos anos 90, tipo Stones e Bowie, meu sonho era vir para São Paulo e passar pelo menos um dia inteiro na loja”.

A declaração de Beto Bruno, do Cachorro Grande, um dos grupos entrevistados do episódio, é a tradução de grande parte dos aficionados por música brasileiros, para quem a Baratos Afins é, desde sua fundaçao, em 78, uma instituição. Igreja também seria outro nome adequado.

Por trás do enorme volume de prateleiras que se mantém repletas de compradores em plena crise da indústria fonogrática, existe  uma poção mágica: o amor por música de seu dono, Luiz Calanca, que deixou a profissão de farmaceutico quando a mulher estava grávida para o inusitado plano de montar uma loja com sua coleção de vinis. “Eu tinha praticamente um sapato e um jaleco, mas um monte de discos”.

Uma família que evoluiu junto com uma loja: essa é a história da Baratos Afins, negócio tocado por ele, sua esposa e sua filha, nascida em berço de dezenas de milhares de discos. Uma loja que sempre foi notícia: seja por ser aquela que “tem tudo”, seja por se confundir com a história da música independente nacional e ser um de seus pilares, seja por ser a única que, desde o começo, rejeitou o formato CD. Uma loja que há três gerações atrai romarias de roqueiros de todas as partes do país. Uma loja que aposta no rock, lançando novidades ou relançando clássicos através de seu selo próprio, e é mencionada com profundo carinho por todos que a frequentam.

“Ele sempre foi um herói”, diz emocionado outro gaúcho, o produtor Carlos Eduardo Miranda, que assim como os integrantes da Cachorro Grande contou com a ajuda de Calanca quando se mudou para São Paulo. Já Tulipa Ruiz e o pai, o guitarrista Luiz Chagas, falam do selo em que Calanca lançou discos que vão de Ratos do Porão a Itamar Assumpção e reeditou outros tantos, como a obra dos Mutantes. “Uma coisa muito bacana das reedições do Calanca é que ele é um cara muito apaixonado, então tem muito cuidado com tudo. Cuidado com a arte, cuidado com o som”, diz ela, que ouve falar da loja desde muito antes desde menina, quando começou a se interessar por música e ainda morava em Minas.

“A Baratos Afins se orgulha de fazer arte. Geralmente fazia 1.000 cópias de algum disco e raramente vendia as 1.000. Na verdade, a nossa produtora nunca bancou a loja. Ao contrário, a loja que sempre bancou a produtora. A gente faz os discos porque gostamos, é nosso tesão, nosso prazer”, diz Calanca.

Outros entrevistados do episódio: Kid Vinil, Lee Marcucci, Edy Star, Os Brutos e Fábrica de Animais

Lista completa de episódios  

06/09: Estocolmo – “Pet Sounds”
13/09: Lisboa – “Louie Louie”
20/09: Paris – “Balades Sonores”
27/09: Islândia – “Smekkleysa”

04/10: São Paulo 1 – “Baratos Afins”

11/10: Beirute – “Chico”
18/10: Berlim – “Hard Wax”
25/10: Rio de Janeiro – “Tropicália’
01/11: Tel Aviv – “Third Ear”
08/11: Bogotá – “RPM”
15/11: Buenos Aires –  “Mercúrio”
22/11: Nova Granada – “Bora Bora”
29/11: São Paulo 2 – “Casa Brasilis

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 2 outubro, 2015 18:45


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Brincando com Fogo

Facebook

Reino Gelado e a terra dos espelhos