MINC e ANCINE lançam o Programa Brasil de Todas as Telas – Ano 2

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 2 outubro, 2015 12:36

MINC e ANCINE lançam o Programa Brasil de Todas as Telas  – Ano 2

O Ministro da Cultura, Juca Ferreira, e o diretor-presidente da ANCINE, Manoel Rangel, apresentaram, no Rio de Janeiro, nesta quinta-feira, 1º de outubro, o Programa Brasil de Todas as Telas – Ano 2, com as linhas de investimento do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) para os próximos meses. As linhas destinam-se ao financiamento do desenvolvimento de projetos, produção de filmes para o cinema e séries para a televisão, e abertura e digitalização de salas de cinema, apresentando entre as novidades a ampliação das modalidades de investimento para a linha de distribuição de longas metragens e o financiamento ao desenvolvimento de jogos eletrônicos. 

As linhas foram apresentadas sob forma de Calendário de Financiamento – cronograma oficial de lançamento dos editais geridos pela ANCINE até dezembro de 2016, possibilitando aos agentes econômicos um melhor planejamento das ações relativas à gestão de sua carteira de projetos. A solenidade, no Espaço BNDES, fez parte da programação doRioMarket, a área de negócios, seminários e workshops do Festival do Rio. Também estiveram presentes: o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, o presidente do BRDE, Neuto Fausto de Couto, e o secretário do Audiovisual do MinC, Pola Ribeiro.

Antes do anúncio do Programa – Ano 2, o diretor-presidente da ANCINE apresentou as linhas gerais da política de financiamento ao audiovisual e um balanço do primeiro ciclo do Brasil de Todas as Telas, que foi lançado em julho de 2014 pela presidente Dilma Rousseff.  Moldado para atuar na expansão do mercado e na universalização do acesso às obras audiovisuais brasileiras, o Programa Brasil de Todas as Telas tinha, em sua concepção, alguns desafios a serem enfrentados.

“Para cada problema identificado, atuamos com ações e obtivemos respostas do setor. A produção independente vive hoje seu melhor momento, com os investimentos do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), mecanismo que sustenta o Programa. São ações que se iniciam por um apoio maciço ao desenvolvimento de roteiros e projetos e aos núcleos de criação, avançam pelo suporte a obras de formatos diversos destinadas a múltiplas janelas, continuam pelo apoio à distribuição e à indução a uma relação mais próxima de produtores e distribuidores, qualificam-se com uma inovadora política de desenvolvimento regional que mobiliza os governos estaduais e municipais, e as TVs públicas para a produção em todas as regiões do país. O Programa Brasil de Todas as Telas – Ano 2 representa a continuidade de uma política pública vigorosa e consistente”, comemora Manoel Rangel.

O resultado do primeiro ano do Programa superou as metas estabelecidas. Foram 306 longas- metragens e 433 séries ou telefilmes apoiados. A aposta no investimento de projetos também foi bem sucedida, rendendo a estruturação de 55 núcleos criativos em todas as regiões do país, e projetando o desenvolvimento de 620 projetos. A apresentação do diretor-presidente Manoel Rangel com o balanço completo pode ser acessada aqui.

O Programa Brasil de Todas as Telas – Ano 2 reafirma sua primeira edição apostando na regionalização do investimento pelo FSA; no investimento contínuo no Desenvolvimento de Projetos; na qualificação da capacidade instalada para cumprimento das metas; na ampliação de espaços para circulação de conteúdos independentes, estimulando o mercado de licenças; no fortalecimento dos catálogos e grades de programação para difusão linear e não-linear; e no fortalecimento da programação das TVs Públicas.

No seu Ano 2, o Programa Brasil de Todas as Telas mantém investimentos fortes, em montante total de R$646 milhões, para a consecução de todos os objetivos programados. Há a replicação das ações financeiras anteriores, o que garante a continuidade do financiamento, e haverá novas iniciativas para o enfrentamento de questões específicas.

Além das linhas de investimento replicadas, o Programa Brasil de Todas as Telas – Ano 2 planeja atuar sobre quatro temas de importância especial para a atividade audiovisual: a necessidade de ação mais incisiva sobre a distribuição de cinema, a inclusão de novos formatos audiovisuais, a redução da rigidez do financiamento e os novos desafios trazidos pelo vídeo sob demanda. Sobre estes temas, estão programadas novas ações de investimento em distribuição, uma nova linha para a produção de jogos eletrônicos, investimentos na modelagem de um serviço público de VoD, além das iniciativas do

ANCINE + Simples.

Dentro do Programa Brasil de Todas as Telas – Ano 2 estão previstas ainda as ações administradas pela Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura (SAv/MinC), como o Edital de Seleção de Projetos para filmes de Longa Metragem de Baixo Orçamento e o Programa DOCTV Brasil. A SAv/MinC coordenará também os novos editais com temática infanto-juvenil,  com temática afro-brasileira, além do desenvolvimento de Jogos Eletrônicos e o apoio à Produção Audiovisual Indígena.

O Calendário de Financiamento prevê para os próximos meses:

  • OUTUBRO 2015

PRODAV 07 (SUAT – Desempenho Artístico)

Resultado: JANEIRO 2016

PRODAV 06 (SUAT – Desempenho Comercial)

Resultado: MARÇO 2016

PRODAV 03 (Núcleos Criativos)

Resultado: ABRIL 2016

EDITAL ANCINE Arranjos Regionais

  • NOVEMBRO 2015

PRODECINE 01 (Produção para Cinema)

Resultado: MAIO 2016

  • DEZEMBRO 2015

PRODAVs 08 a 12 (Produção para TVs Públicas)

Resultado: JUNHO 2016

PRODECINE 05 (Produção para Cinema – Inovação)

Resultado: JULHO 2016

PRODAV 05 (Desenvolvimento)

Resultado: AGOSTO 2016

  • MARÇO 2016    

PAR Exibição

Resultado: JUNHO 2016

Desenvolvimento Brasil – Itália

Resultado: JUNHO 2016

Coprodução Internacional Brasil – Argentina

Resultado: JULHO 2016

  • ABRIL 2016

Coprodução Internacional Brasil – Uruguai

Resultado: JULHO 2016

Coprodução Internacional Brasil – Portugal

Resultado: JULHO 2016

  • MAIO 2015

PRODAV 07 (SUAT – Desempenho Artístico)

Resultado: AGOSTO 2016

PRODAV 06 (SUAT – Desempenho Comercial)

Resultado: OUTUBRO 2016

EDITAL ANCINE Arranjos Regionais

  • JUNHO 2016

PRODAV 03 (Núcleos Criativos)

Resultado: DEZEMBRO 2016

PRODECINE 01 (Produção para Cinema)

Resultado: DEZEMBRO 2016

  • OUTUBRO 2016

PRODAV 05 (Desenvolvimento)

Resultado: ABRIL 2017

  • DEZEMBRO 2016

PRODAVs 08 a 12 (Produção para TVs Públicas)

Resultado: JUNHO 2017

PRODECINE 05 (Produção para Cinema – Inovação)

Resultado: JULHO 2017

Seguem em operação as linhas de Fluxo Contínuo:

PRODECINE 02 (Produção para Cinema via Distribuidora)

PRODECINE 03 (Distribuição para Cinema)

PRODECINE 04 (Produção para Cinema – Complementação)

PRODAV 01 (Produção para TV)

PRODAV 02 (Produção para TV via Programadora)

PRODECINE 06 (Coprodução para Cinema – América Latina)

PRODAV 13 (Renovação de Núcleos Criativos)

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 2 outubro, 2015 12:36


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Era uma vez em Hollywood

Facebook

Socorro Virei uma Garota!