Teatro da Vertigem reestreia O Filho, na Vila Itororó

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 11 setembro, 2015 13:06

Depois de uma curta temporada no Sesc Pompeia, o Teatro da Vertigem volta em cartaz com seu espetáculo O Filho, inspirado no livro Carta ao Pai, de Franz Kafka. As apresentações serão na Vila Itororó (Rua Pedroso, 238 – Bela Vista) e iniciam-se dia 17 de setembro de 2015 e contam com o patrocínio da Petrobras, em uma parceria que completa 10 anos em 2015.

O Teatro da Vertigem já esteve às voltas com o autor tcheco quando montou e fez temporada do espetáculo Kastelo, em 2010. Agora, o grupo volta ao universo kafkiano com O Filho, que tem direção de Eliana Monteiro, dramaturgia de Alexandre Dal Farra, e um  elenco composto por Antônio Petrin, Mawusi Tulani, Paula Klein, Rafael Lozano e Sergio Pardal.

A peça O Filho adentra o universo da família e exprime a debilidade de seus vínculos. É nesse contexto que a vida de Bruno, protagonista da história, é atravessada pelas relações com seu pai, sua mãe, mulheres e filhos.

Espetáculo O FILHO

Esse novo trabalho do Teatro da Vertigem é a segunda montagem, com direção de Eliana Monteiro, criada a partir da obra de Franz Kafka. Inspirado na sua Carta ao Pai, com texto de Alexandre Dal Farra, o espetáculo expõe a trajetória e as relações de Bruno com seus pais, seus filhos e suas mulheres. Ao constatar e descrever as situações vividas para si, ele tenta aprender, entre outras coisas, o que é ser um homem de verdade.

A Vila Itororó

A Vila Itororó é um conjunto de casas de aluguel construídas em 1922 pelo luso brasileiro Francisco de Castro. Após a sua morte, a Vila passou de mãos em mãos e sofreu da falta de manutenção por parte dos seus proprietários. Continuou, porém, como lugar de moradia. Nos anos 2000, a Vila Itororó foi desapropriada pelo Estado de São Paulo, que confiou sua gestão e recuperação à Prefeitura de São Paulo. Hoje a Vila Itororó é tombada pelo Conpresp e pelo Condephaat.

Francisco de Castro ergueu a Vila Itororó usando os destroços da cidade, entre os quais os restos do Teatro São José, que funcionou de 1903 até 1923 na frente do Teatro Municipal.  A Vila passou por diversas modificações ao longo do século XX – algumas realizadas pelo próprio Francisco de Castro, e outras, pelos seus moradores – e é hoje testemunha de uma São Paulo em constante mutação, marcada por violentas transformações.  Os últimos inquilinos, na sua maioria de baixa renda, esforçaram-se por resistir à remoção. Após uma longa luta, foram realojados em conjuntos do CDHU na região central.

A Vila está atualmente passando por processo de restauro gerenciado pelo Instituto Pedra. O objetivo do restauro é implementar atividades culturais na Vila Itororó. Devido às múltiplas questões que o projeto coloca, esse processo está sendo feito de forma aberta. Desde o dia 10 de abril último, o público pode visitar o canteiro de obras, conhecer o projeto e propor soluções e abordagens em consonâncias com suas expectativas, enquanto os primeiros edifícios são restaurados para serem reabertos a partir de 2016. Por que fazer um centro cultural em um lugar de moradia? O que entendemos por cultura? Quais são as formas de habitar o local, ou como a própria cultura pode ser habitada? Qual a relevância da Vila Itororó para a cidade hoje? Como reabilitar a luta dos ex-moradores que marcam sua história recente? Esses são alguns eixos norteadores do projeto em curso.

SERVIÇO
Espetáculo O Filho
Temporada: De 17 de setembro a 01 de novembro de 2015
Horário: De quinta a sábado, às 20h. Domingos, às 19h
Teatro da Vertigem 
Local: Vila Itororó – Rua Pedroso, 238 – Bela Vista
Duração: 80 min
Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 16 anos
Ingressos: R$ 40,00 (inteira)/ R$ 20,00 (meia)
Lotação: 60 lugares
Telefone para informações: 11 3255 2713

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.
Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 11 setembro, 2015 13:06


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Facebook

Comeback


Punhos de Sangue