Coral Lírico de Minas Gerais homenageia FERNANDO BRANT E O CLUBE DA ESQUINA na série LÍRICO NO MUSEU

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 16 julho, 2015 10:03

Coral Lírico de Minas Gerais homenageia FERNANDO BRANT E O CLUBE DA ESQUINA na série LÍRICO NO MUSEU

Sob regência do maestro Lincoln Andrade, o Coral Lírico de Minas Gerais homenageia o compositor mineiro Fernando Brant e o Clube da Esquina, com um medley das canções Ponta de Areia; Estrela, Estrela; Bailes da Vida e Para Paula e Bebeto, durante a série Lírico no Museu. Acompanhado por piano, o corpo artístico da Fundação Clóvis Salgado relembra a trajetória de um dos maiores nomes da música mineira. O arranjo musical é assinado por Fred Natalino e Lincoln Andrade.

Falecido em 12 de junho deste ano, Brant deixou um rico legado para a música nacional, com importante participação no Clube da Esquina, além de outros trabalhos que marcaram gerações nas vozes de artistas como Milton Nascimento. Lincoln Andrade destaca este momento do concerto como uma forma de recordar a vida e a obra de Brant. “Ele deixou uma lacuna aberta na música brasileira, na esperança por dias melhores, na utopia por justiça e na fé da amizade”, destaca.

Além dessa homenagem, o Coral Lírico apresenta obras que marcaram o primeiro semestre de apresentações da sua temporada de 2015. O destaque fica por conta da variação de idiomas presentes no repertório: o coral canta em francês, italiano, espanhol, hebraico, inglês e português.

Pela segunda vez, o CLMG interpreta a suíte Três Canções Latinoamericanas, que reúne as composições Jacinto Chiclana, uma milonga campeira de Jorge Luis Borges e Astor Piazzolla, En los Surcos del Amor, canção popular argentina arranjada por Carlos Gustavino e o tango VeranoPorteño, de Astor Piazzola. As peças remetem às tradições folclóricas da Argentina, como explica o maestro Lincoln Andrade. “As canções têm ritmos fortes e são muito melódicas. Um estilo que muitos ainda não conhecem e que têm uma sonoridade muito bonita para a música coral”, explica Lincoln.

O programa do concerto também traz uma sequência com trechos de duas famosas óperas: Carmen, de Georges Bizet; e Lucia di Lammermoor, de Gaetano Donizzetti. Da composição de Bizet, foram selecionados os coros das Cigarreiras, dos Contrabandistas, e Les Voici, da Marcha dosToureiros. Per te d’immenso giubilo e De immenso giubilo s’innalzi un grido, trechos corais de Lucia di Lammermoor fecham essa parte do repertório dedicada aos coros de ópera.

Ainda no repertório, Cinco Canções Hebraicas de Amor, do norte-americano Eric Whitacre. As peças foram inspiradas nos poemas da soprano israelense Hila Plitmann, esposa de Whitacre. A composição reúne as canções Temuná (Uma Pintura), para vozes femininas, Kalákallá (Noiva Iluminada), para vozes masculinas; Lárov, uma metáfora para a distância entre dois amores; Éyzeshéleg (Que Neve!), onomatopeia dos sons dos sinos de uma catedral e Rakút (Cheio de Ternura), uma suave canção de amor.

SERVIÇO
Lírico no Museu – Coral Lírico de Minas Gerais
Data: 21 de julho
Horário: 19h
Local: Museu Inimá de Paula
Endereço: Rua da Bahia, 1201, Centro
Duração: 60 minutos
Classificação: 10 anos
Entrada gratuita

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.
Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 16 julho, 2015 10:03


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Era uma vez em Hollywood

Facebook