Obras de Villa-Lobos e Mignone celebram música sinfônico-coral brasileira

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 11 março, 2015 10:03

Obras de Villa-Lobos e Mignone celebram música sinfônico-coral brasileira

A Orquestra Sinfônica e o Coral Lírico de Minas Gerais se unem para a primeira apresentação oficial da temporada de grandes concertos de 2015 da Fundação Clóvis Salgado. Sob a regência do maestro Marcelo Ramos e preparação coral do maestro Lincoln Andrade, o repertório inclui peças de dois grandes compositores brasileiros, da primeira metade do século XX, mesclando as raízes nacionais que inspiraram Villa-Lobos e Mignone e o romantismo folclórico do carnaval europeu, transformado em música pelo compositor Antonín Dvořák.

Em iniciativa inédita, por meio da campanha ‘BRAVO, PROFESSOR!’, a Fundação Clóvis Salgado vai garantir o acesso de profissionais da educação às apresentações realizadas no Grande Teatro. A partir de março, professores de todos os níveis terão entrada gratuita nos concertos da Orquestra Sinfônica e do Coral Lírico. O objetivo dessa ação é valorizar a atuação desses profissionais. Mediante apresentação de documentação que comprove a profissão exercida, cada professor terá direito a um par de ingressos.

Para o presidente da Fundação Clóvis Salgado, Augusto Nunes-Filho, trata-se de uma ação que visa valorizar a Educação, por meio dos professores, em benefício também dos alunos. “Entendemos que, assim, estamos contribuindo para um setor tão importante em nossa sociedade, uma vez que o acesso dos professores a um repertório de alta qualidade musical, executado pela Orquestra Sinfônica e Coral Lírico de Minas Gerais, irá refletir em sala de aula”.

SOBRE O PROGRAMA

Segundo o Maestro Marcelo Ramos, Choros nº 10 – Rasga Coração, de Villa-Lobos, e Maracatu do Chico Rei, de Mignone, são a síntese da produção de música coral-sinfônica na primeira metade do século XX no Brasil.

Considerada por muitos a obra mais famosa de Villa Lobos, Rasga Coração é uma mistura de instrumentos e vozes, que criam uma teia sinfônica intrincada. “A primeira parte tem forma de prelúdio, define uma paisagem na floresta e cria um senso de expectativa que, aos poucos, vai se definindo pela transformação rítmica e, com a participação do coro, altera para um mundo selvagem e primitivo”, explica o maestro.

Sua versão original tem como tema central a polca Yara, de Anacleto de Medeiros, e letra de Catulo da Paixão Cearense, escrita em 1909. Questões com os direitos autorais da obra fizeram com que as gravações da peça substituíssem a letra por um vocalize. “Normalmente, nas apresentações, os cantores reproduzem onomatopeias rítmicas de fonemas aleatórios como “Jakata-Kamarajá-Tekerê-Kimerejé”, explica o regente titular do CLMG, Lincoln Andrade.

Atualmente, a letra de Catulo da Paixão Cearense já está em domínio público, mas a tradição do vocalize em Rasga Coração se mantém em algumas apresentações. Neste concerto, pela primeira vez, o público terá a chance de conhecer essa raridade do cancioneiro popular brasileiro. Os versos originais da composição serão interpretados pelo Coral Lírico. “Além de serem inéditos no nosso repertório, os versos originais dão um colorido novo ao Choros e o público pode apreciar uma obra riquíssima da música erudita brasileira”, finaliza Lincoln Andrade.

SERVIÇO
Abertura da Temporada de Concertos 2015 – OSMG e CLMG
Data: 18 e 19 de março
Horário: 20h
Local: Grande Teatro Palácio das Artes
Endereço: Av. Afonso Pena, 1537 – Centro
Entrada: R$ 10,00 (inteira) R$ 5,00 (meia)

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.
Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 11 março, 2015 10:03


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Era uma vez em Hollywood

Facebook

Socorro Virei uma Garota!