Orquestra Sinfônica de Minas Gerais realiza concerto dedicado a Villa-Lobos, que integra programação do Verão Arte Contemporânea

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 5 fevereiro, 2015 10:03

A Orquestra Sinfônica de Minas Gerais recebe a soprano Eliseth Gomes para concerto especial da Série Sinfônica no Museu, que integra a programação do Verão Arte Contemporânea. Será executado um programa dedicado à obra de Villa Lobos com interpretação de composições inéditas em BH: Suíte de Câmara No.2 e Verde Velhice.

Segundo o regente titular da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, Maestro Marcelo Ramos, o programa escolhido destaca a diferença entre os dois principais estilos adotados por Villa-Lobos em sua carreira: vanguarda e tradicional, que representam, respectivamente, o primeiro e o segundo períodos de sua trajetória. “Até a década de trinta, o compositor se ocupou com obras mais arrojadas e experimentais, chamadas de vanguarda, para depois – a partir da década de 30, se voltar às composições mais tradicionais e nacionalistas”, conta Marcelo Ramos.

O regente chama a atenção para a singular trajetória de Villa-Lobos: “O interessante em Villa-Lobos é o modo como essa divisão estilística acontece — compositores geralmente começam suas carreiras em estilos tradicionais, e depois vão inserindo elementos de experimentação. Villa-Lobos inverte essa lógica, o que alguns estudiosos consideram um retrocesso estilístico, pois esperavam ver o resultado de seus avanços na linguagem formal e sonora”.

Inéditas em Belo Horizonte – Pela primeira vez, o público poderá conferir duas obras do autor ainda inéditas na capital. Suíte de Câmara no 2, de 1959, composta no ano de falecimento de Villa-Lobos, sua última obra orquestral; e Verde Velhice, de 1922, ano da Semana de Arte Moderna em São Paulo, e que faz parte do primeiro período da carreira de Villa-Lobos.

As duas composições integram o acervo do compositor, que está sendo recuperado e digitalizado, especialmente as peças escritas à mão, por meio de parceria entre a Academia Brasileira de Música e o Museu Villa-Lobos, no Rio de Janeiro. Algumas obras já encontram-se disponíveis no site do museu para downloads ou aluguel.

No programa, a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais interpreta também Choro no 7, escrito para um grupo de câmara, utilizando flauta, oboé, clarineta, saxofone, fagote, violino e violoncelo. A composição foi dedicada a Arnaldo Guinle, reconhecido como patrono do Fluminense Futebol Club.

Espaço para a literatura– A literatura está presente em duas das composições de Villa-Lobos que serão apresentadas. Ambas têm participação da soprano Eliseth Gomes, formada em canto pela UEMG e, atualmente, uma das mais renomadas cantoras líricas do Brasil.

O concerto terá início com A Bachiana nº 5, da série Bachianas Brasileiras, sendo interpretada em sua versão original para oito violoncelos e soprano. A composição, de 1938, tem textos de Manuel Bandeira e Ruth V. Corrêa. No encerramento teremos As Canções da Floresta do Amazonas, compostas em 1958, com os poemas VeleirosCair da tardeCanção de Amor e Melodia Sentimental, de Dora Vasconcellos, poetisa e embaixatriz brasileira.

SERVIÇO
Sinfônica no Museu
Local: Museu Inimá de Paula, Rua da Bahia, 1201 – Centro.
Data: 12 de fevereiro
Horário: 20h
Entrada: Gratuita

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.
Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 5 fevereiro, 2015 10:03


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Era uma vez em Hollywood

Facebook

Socorro Virei uma Garota!