Cinemateca ao ar livre: Clássicos brasileiros na tela externa

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 9 dezembro, 2014 10:11

Cinemateca ao ar livre: Clássicos brasileiros na tela externa

A Cinemateca encerra 2014 com a exibição de filmes brasileiros ao ar livre. A programação especial tem início com um dos mestres do cinema brasileiro, Humberto Mauro, e seus clássicos A velha a fiar, curta-metragem de 1964 baseado na canção popular homônima (interpretada, no filme, pelo Trio Irakitan) e Ganga bruta. Produzido pela Cinédia de Adhemar Gonzaga, o filme de 1933 é carregado de inovações técnicas e narrativas que marcaram a história do nosso cinema.

Sangue corsário, um dos mais belos curtas-metragens de Carlos Reichenbach, é um passeio pela cidade de São Paulo conduzido pelo poeta Orlando Parolini, amigo do cineasta. A cidade continua presente em São Paulo – sinfonia e cacofonia, dirigido por Jean-Claude Bernardet. Neste filme raro, um dos grandes teóricos do cinema brasileiro se detém no imaginário cinematográfico de São Paulo, à partir de fragmentos célebres de filmes rodados na cidade, num ensaio onde encontramos o crítico, o cinéfilo e o cineasta.

Zézero, de Ozualdo Candeias, é um cruel retrato das metrópoles na década de 1970, apresentando o desiludido ponto de vista de um operário. Os doces bárbaros, de Jom Tob Azulay, é o registro da turnê do grupo homônimo que Caetano Veloso, Gal Costa, Gilberto Gil e Maria Bethânia criaram para celebrar os dez anos de suas carreiras.

Acompanhamos os ensaios, a rotina e as apresentação do repertório do álbum duplo lançado em 1977, neste que é um dos principais filmes-concerto do cinema brasileiro.

Roberto Carlos a 300 km por hora, de Roberto Farias, é o terceiro dos três filmes que o cantor realizou em parceria com o cineasta, uma aventura cômico musical com troca de identidades, corridas de carro e clássicos de Roberto e Erasmo na trilha. O filme será apresentado em uma cópia do acervo de preservação da Cinemateca, raramente exibida. Cassy Jones, o magnífico sedutor, de Luiz Sérgio Person, é uma comédia de muitas cores estrelada por Paulo José, na única incursão do cineasta no gênero.

Por fim, outra curiosa comédia: É Simonal, de Domingos Oliveira, um musical embalado pelo sucesso do cantor Wilson Simonal nos anos 1970 e fotografado por Dib Lutfi, grande parceiro do cineasta.

Todos os filmes serão exibidos em cópias 35mm do acervo da Cinemateca Brasileira.

Nossa programação retorna em janeiro, com novidades para 2015.

Clique para ver a PROGRAMAÇÃO

PROGRAMAÇÃO

11/12 quinta

ÁREA EXTERNA
20h A VELHA A FIAR | GANGA BRUTA

12/12 sexta

ÁREA EXTERNA
20h SANGUE CORSÁRIO | SÃO PAULO – SINFONIA E CACOFONIA | ZÉZERO

13/12 sábado

ÁREA EXTERNA
20h OS DOCES BÁRBAROS

14/12 domingo

ÁREA EXTERNA
20h ROBERTO CARLOS A 300 KM POR HORA

20/12 sábado

ÁREA EXTERNA
20h CASSY JONES, O MAGNÍFICO SEDUTOR

21/12 domingo

ÁREA EXTERNA
20h É SIMONAL

FICHAS TÉCNICAS E SINOPSES

Cassy Jones, o magnífico sedutor, de Luiz Sérgio Person
1972, 35mm, cor, 100’
Elenco: Paulo José, Sandra Brea, Sônia Clara, Ilva Niño

Cassy Jones, louco, sensual, paquerador, destruidor de lares, astro que vive dos aplausos da multidão, aos poucos vai percebendo que suas amantes lhe perturbam demais. Grudam nele e o perseguem sem descanso. Pesadelos e ameaças rondam o sedutor, que entra em crise. Grande interpretação de Paulo José no papel principal.
não indicado para menores de 14 anos

Os doces bárbaros, de Jom Tob Azulay
Brasil, 1977, 35mm, cor, 100′
Elenco: Caetano Veloso, Gal Costa, Gilberto Gil e Maria Bethânia

Em 1976 Caetano Veloso, Gal Costa, Gilberto Gil e Maria Bethânia resolveram comemorar os 10 anos de carreiras individuais formando um conjunto que se apresentaria nas principais cidades brasileiras. O filme registra os ensaios gerais, o assédio dos fãs e da imprensa e os espetáculos do Anhembi – SP e do Canecão – RJ.
Não indicado para menores de 12 anos

É Simonal, de Domingos Oliveira
Rio de Janeiro, 1970, 35mm, cor, 95’
Elenco: Wilson Simonal, Irene Stefânia, Irma Alvarez, Oduvaldo Viana Filho

Fã do cantor Simonal viaja para o Rio de Janeiro esperando encontrar seu ídolo. Passando-se por jornalista, consegue se aproximar dele durante um ensaio. Curiosa comédia musical embalada pelo sucesso de Wilson Simonal nos anos 1970. Reúne imagens antológicas do artista em shows na boate Sucata e no Maracanãzinho, onde se apresentou para 35 mil pessoas. Participações especiais de Jorge Dória, Maria Gladys, Marília Pêra e Ziembinsky.
Livre

Ganga bruta, de Humberto Mauro
Brasil, 1933, 35mm, pb, 82’
Elenco: Durval Bellini, Déa Selva, Lu Marival, Décio Murillo

Na noite do casamento, engenheiro descobre que sua esposa não é virgem. Enfurecido, ele a mata na câmara nupcial. O crime repercute nos jornais, mas o homem é absolvido pela justiça acaba retirando-se da cidade. Para esquecer a tragédia, empenha-se na construção de uma fábrica. Porém, pouco tempo depois, sua rotina é abalada pelo amor que a irmã de criação tem por ele.
não indicado para menores de 12 anos

Roberto Carlos a 300 km por hora, de Roberto Farias
Rio de Janeiro, 1971, 35mm, cor, 99’
Elenco: Roberto Carlos, Erasmo Carlos, Raul Cortez, Maria Cristina Martinez

Dois mecânicos trabalham na oficina de um piloto brasileiro de fama internacional, que pretende correr um grande prêmio em Interlagos. Depois de muitas confusões, um dos mecânicos acaba assumindo o posto do chefe e se apresenta como competidor. Terceiro dos filmes estrelados por Roberto Carlos e dirigidos por Roberto Farias.
Livre

Sangue corsário, de Carlos Reichenbach
São Paulo, 1980, 35mm, cor, 10’
Elenco: Orlando Parolini, Roberto Miranda

Perambulando por São Paulo, bancário encontra um colega de geração, que viveu com ele a aventura dos anos 1960. Trata-se de um poeta andarilho, com o qual desfrutou intensamente os anos de contracultura. Uma homenagem ao poeta Orlando Parolini.
não indicado para menores de 12 anos

 

São Paulo – Sinfonia e cacofonia, de Jean Claude Bernardet
São Paulo, 1994, 35mm, cor, 40’

Uma declaração de amor e ódio a São Paulo, a partir de imagens célebres de filmes rodados na cidade. Raro filme dirigido por um dos mais importantes teóricos do cinema brasileiro.
não indicado para menores de 14 anos

 

A velha a fiar, de Humberto Mauro
Rio de Janeiro, 1964, 35mm, pb, 6’

Ilustração da antiga canção popular do interior do Brasil, interpretada no filme pelo Trio Irakitan.
Livre

 

Zézero, de Ozualdo R. Candeias
São Paulo, 1974, 35mm, pb, 31’
Elenco: Milton Pereira, Isabel Antinópolis, Maria Gizelia, Palmira Balbina de Almeida

Um camponês sai de sua terra em busca das promessas da metrópole. Mas o trabalho como servente de pedreiro e a cidade logo se revelam difíceis e brutais. Candeias filmou com sobras de negativos vencidos, neste que é dos seus mais importantes trabalhos.
Não indicado para menores de 14 anos 

Cinemateca ao ar livre-Clássicos brasileiros-09DEZEMBRO2014-04 Cassy Jones: o magnífico sedutor Cassy Jones: o magnífico sedutor Cinemateca ao ar livre-Clássicos brasileiros-09DEZEMBRO2014-01

SERVIÇO

Evento: CINEMATECA AO AR LIVRE
Data: 11 a 21 de dezembro | Horário: consultar acima
Local: Cinemateca Brasileira
Endereço: Largo Senador Raul Cardoso, 207 – Vila Clementino, São Paulo – SP
Classificação etária: 12 anos
Ingressos: entrada franca
Informações para o público: (11) 3512-6111
150 cadeiras
Tragam suas almofadas, cadeiras dobráveis, cadeira de praia, canga, cobertor, esteira e se acomodem à vontade.

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 9 dezembro, 2014 10:11


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

MIB: Homens de Preto

Facebook

Kardec