Cineasta Sérgio Ricardo apresenta “Cinema na Música” na Sala Funarte Sidney Miller

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 29 outubro, 2014 11:17

Cineasta Sérgio Ricardo apresenta “Cinema na Música” na Sala Funarte Sidney Miller

O compositor, cantor, maestro e cineasta Sérgio Ricardo, apresenta na quinta – 30 de outubro – na Sala Funarte Sidney Miller, o aclamado show “Cinema na Música”, que revela a união de sua música com a força das imagens e das palavras.

O espetáculo traz o cordel “Estória de João Joana”, escrito por Carlos Drummond de Andrade e musicado por Sérgio na década de 1980, além de suas composições mais importantes feitas para o cinema – e para o premiado “Deus e o Diabo na Terra do Sol”, de Glauber Rocha. Entre as músicas de seus próprios filmes estão “Enquanto a Tristeza não vem”, do curta “Menino da Calça Branca” (1961); “A Fábrica”, de “Esse Mundo é Meu” (1964); “Canção do Espantalho”, de “A Noite do Espantalho” (1974), entre outras.

A super banda do show “Cinema na Música” conta com a direção musical de Lui Coimbra, que também está no violão, violoncelo e no charango, e multi-instrumentistas como Itamar Assiére no piano e acordeon, Alexandre Caldi e Henrique Band nos sopros, Guto Wirtti no contrabaixo, Armando Marçal na percussão e Jurim Moreira na bateria. Dividindo os vocais com Sergio estão seus filhos Marina Lutfi e João Gurgel, que também toca violão.

CNM-SR_foto de Bruno Martins_3

Sobre o Cordel Estória de João Joana

Estória de João Joana é o único cordel escrito pelo grande poeta Carlos Drummond de Andrade, musicado pelo compositor Sérgio Ricardo.

O poeta mergulha em uma história verídica ocorrida no interior do Brasil nos anos 60 – uma menina é criada pela mãe como menino para ter alguma chance de viver com dignidade. Drummond quis que o cantor e compositor Sérgio Ricardo transformasse essa Estória em música. E seu pedido foi realizado.

A frutífera conexão entre os dois aconteceu na década de 80, quando Drummond, extasiado pela brasilidade pulsando poeticamente na música de Sérgio Ricardo, enviou ao artista Estória de João Joana. E Sérgio descobriu um inédito Drummond cordelista, íntimo das causas sociais brasileiras.

A parceria foi ainda agraciada pela presença do maestro Radamés Gnatalli, responsável pela orquestração da composição, que teve seu registro feito em LP, lançado em 1985 e depois relançado em CD em 2000 com a participação de intérpretes de renome da música brasileira como Chico Buarque, Elba Ramalho, Alceu Valença, João Bosco e outros.

Com um histórico de apresentações de sucesso, a obra já esteve no Teatro Municipal do RJ (2000), no MASP (1989) e em Brasília (1985, 2001 e 2012).

Neste show, a formação musical é inédita, sem orquestra, trazendo através da banda original toda a essência musical composta por Sérgio Ricardo, com uma sonoridade diversa em ritmos brasileiros capaz de narrar essa bela história de Carlos Drummond de Andrade.

Sobre o Sérgio Ricardo

Instrumentista, cantor, compositor, arranjador, ator, roteirista, cineasta, diretor, escritor, artista plástico. Sérgio Ricardo é um artista de múltiplos cantos em uma só voz: a da autoexpressão que inspira e convoca para a expressão coletiva.

Desde a década de 60, envolvido pelo movimento do Cinema Novo, Sérgio Ricardo atuou, produziu, escreveu roteiros, dirigiu filmes e foi premiado dentro e fora do Brasil. Entre seus longas destaca-se “A Noite do Espantalho”, filme musical extremamente cultuado que lançou Alceu Valença no papel principal. É de Sérgio Ricardo a trilha sonora de “Deus e o Diabo na Terra do Sol” e de “Terra em Transe”, importantes filmes de Glauber Rocha.

Na música, Sérgio influenciou toda uma geração de artistas. É considerado um dos fundadores da Bossa Nova, tendo participado do famoso Concerto do Carnegie Hall, mas sua grande obra musical busca inspiração no cotidiano das periferias – está nas raízes mais profundas do povo brasileiro, nos enfrentamentos, que são precisos para crescer.

Desta lavra, destacam-se canções que marcaram época, como Zelão, Calabouço e Esse Mundo é Meu.

A música, os filmes, a poesia, as artes de Sérgio Ricardo buscam fortalecer a identidade brasileira para um diálogo intercultural mais aberto, mais seguro e mais rico. Para aprimorar a melodia das conversas entre indivíduos, contextos e ambientes, e alargar, cada vez mais, o alcance da nossa voz.

Formação:

Sérgio Ricardo (voz)
Marina Lutfi (voz)
Lui Coimbra (direção musical, violão, violoncelo e charango)
João Gurgel (voz e violão)
Itamar Assiére (piano e sanfona)
Guto Wirtti (contrabaixo)
Alexandre Caldi (sopros)
Henrique Band (sopros)
Jurim Moreira (bateria)
Armando Marçal (percussão)

Repertório:

• Palmares (do inédito curta “Pé Sem Chão”, de Sérgio Ricardo – 2014)
• Canção do Espantalho (de “A Noite do Espantalho”)
• Tema da Posse (de “A Noite do Espantalho”)
• Enquanto a tristeza não vem (de “Menino da Calça Branca”, de Sérgio Ricardo – 1961)
• Mundo velho (de “Juliana do Amor Perdido”, de Sérgio Ricardo – 1968)
• Estória de João Joana integral (cordel de Carlos Drummond de Andrade)
• Deus e o Diabo na Terra do Sol (do filme de Glauber Rocha, de 1964)

SERVIÇO
Evento: Show “Cinema na Música”, de Sérgio Ricardo
Data: 29 e 30 de outubro, quarta e quinta-feira | Horário: 18h30
Local: Sala Funarte Sidney Mille r (207 lugares)
Endereço: Rua da Imprensa, 16 – Centro do Rio
Classificação etária: 14 anos
Ingressos: grátis
Informações para o público: (21) 2279-8104
*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.
Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 29 outubro, 2014 11:17


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Dora e a Cidade Perdida

Facebook

O Clube dos Canibais
Meu Nome é Daniel