Segunda apresentação camerística da série Cidade das Artes da OSB traz quinteto de sopros da orquestra

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 11 junho, 2014 16:09

Segunda apresentação camerística da série Cidade das Artes da OSB traz quinteto de sopros da orquestra

No mês de junho, os músicos da Orquestra Sinfônica Brasileira continuam se reunindo em diferentes formações para apresentações de câmara. A segunda performance camerística acontece no dia 14 de junho, às 16h, na Sala de Música de Câmara da Cidade das Artes, com o Quinteto de Sopros da OSB. Formado pelos músicos Clara Martinez (flauta), Jorge Postel Pavisic (oboé), Whatson Cardoso (clarineta), Thiago Rodrigues (trompa), e Luis Felipe Destéfano Pérez (fagote), o grupo interpreta obras de Carl Nielsen, György Ligeti, Anton Reicha, e Samuel Barber. Os ingressos já estão à venda na bilheteria da Cidade das Artes ou no site ingresso.com por R$ 50, preço único.

Os músicos iniciam a apresentação com a peça “Quinteto de Sopros, Op.43”, do dinamarquês Carl Nielsen. Composta em 1922, na Suécia, a obra surgiu de um desejo de Nielsen em escrever uma série de concertos, cada um para um músico do quinteto de sopros de Copenhagen. Conseguiu compor apenas dois enquanto estava vivo: Concerto para Flauta e o Concerto para Clarinete. A primeira apresentação pública da obra “Quinteto de Sopros” se deu em outubro de 1922 em uma pequena sala de concertos de Copenhagen. A peça é considerada indispensável no repertório de um grupo profissional.

Em seguida, os músicos interpretam “6 Bagatelas”, do compositor húngaro de origem judia György Ligeti. Inicialmente pensada como uma obra para piano, “6 Bagatelas” foi composta em 1953 e faz parte de um conjunto de 12 Bagatelas criadas por Ligeti. A obra “Quinteto nº2 em Mi bemol maior, op.88” do tcheco naturalizado francês Anton Reicha, também compõe o programa da apresentação que se encerra com a peça de Samuel Barber “Summer Music, Op.31”. Composta em 1953, encomendada pela Sociedade de Música de Câmara de Detroit, o norte-americano Barber inicialmente a pensou para um septeto. Somente depois de experimentações com os músicos dos instrumentos de sopro do quinteto de Nova York que o compositor adaptou a obra para um grupo de cinco músicos. A première aconteceu em 1956, no Instituto de Artes de Detroit, com músicos da Orquestra Sinfônica da cidade. “Summer Music” é a única composição de Barber para instrumentos de sopro, mas deixou seu legado no meio clássico como sendo uma das peças fundamentais para este tipo de instrumento.

Série Cidade das Artes: apresentações camerísticas

Para os amantes da música de câmara, a OSB e a Cidade das Artes oferecem na Sala de Música de Câmara nos meses de maio, junho, setembro, outubro e novembro, os músicos da orquestra reunidos em diferentes conjuntos. Em sete exibições, todas aos sábados, os músicos experimentam repertórios e apresentam novidades.

Sobre a OSB

A Orquestra Sinfônica Brasileira é o mais tradicional conjunto sinfônico do país. Roberto Minczuk é o maestro titular. Composta por 71 músicos tem por meta alcançar o número de 95 até 2016. Fundada em 1940, pelo maestro José Siqueira, a OSB foi a primeira a realizar turnês pelo Brasil e exterior, apresentações ao ar livre e projetos de formação de plateia. As missões institucionais contemplam a conquista de novos públicos para a música sinfônica, o incentivo a novos talentos e a divulgação de um repertório diversificado, objetivos alcançados em mais de quatro mil concertos realizados durante sete décadas de trajetória ininterrupta.

A história da OSB se compôs através da contribuição de grandes músicos e regentes como Eleazar de Carvalho e Isaac Karabtchevsky. Além de ter revelado nomes como Nelson Freire, Arnaldo Cohen e Antônio Meneses, a OSB também contou em sua história com a colaboração de alguns dos maiores artistas do século XX: Leonard Bernstein, Zubin Mehta, Kurt Sanderling, Arthur Rubinstein, Martha Argerich, Kurt Masur, Claudio Arrau, Mstislav Rostropovich, Jean-Pierre Rampal e José Carreras, dentre outros.

As atividades da OSB são viabilizadas pelo apoio da Prefeitura do Rio de Janeiro, do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), da mineradora Vale e de um conjunto de investidores da iniciativa privada e investimentos públicos.

Apostando num amplo espectro da música – da produção barroca aos compositores contemporâneos – a Orquestra Sinfônica Brasileira busca continuamente a excelência artística e, por consequência, a concretização de seus objetivos sociais e educativos.

SERVIÇO
Apresentação de Câmara músicos OSB
Data: Sábado, 14 de junho, às 16h
Sala de Música de Câmara – Cidade das Artes
Endereço: 
Avenida das Américas 5.300, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro – RJ
Preço: Plateia alta e baixa – R$ 50 (preço único) 

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 11 junho, 2014 16:09


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Aprendiz de Espiã

Facebook