CAIXA Cultural São Paulo apresenta o espetáculo Farnese de Saudade

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 26 março, 2014 18:01

CAIXA Cultural São Paulo apresenta o espetáculo Farnese de Saudade

CAIXA Cultural São Paulo apresenta, de 10 a 27 de abril, o espetáculo Farnese de Saudade, interpretado por Vandré Silveira e dirigido por Celina Sodré. A montagem contempla a vida e obra do artista plástico mineiro Farnese de Andrade (1926-1996), gênio esquecido e ícone internacional nos anos 1970, que tem a sua vida e obra abordadas, pela primeira vez, em um espetáculo teatral. As apresentações são gratuitas e contam com o patrocínio da Caixa Econômica Federal.

Vandré Silveira encarna o artista e narra as suas experiências em primeira pessoa. Textos, vídeo, entrevistas e depoimentos de pessoas próximas são fontes que, conjugadas, formam o texto da peça. O espectador não vê uma “cópia” do artista plástico. O personagem brotou das sensações e impressões que o ator experimentou ao entrar em contato com a história de Farnese e a sua capacidade de exprimir o inconsciente nos objetos que criava.

O ator, que também foi responsável pela concepção do monólogo, diz que descobriu em Farnese uma obra marcada pelo afeto. Na peça paira um tempo que não existe mais: as memórias de família, a infância, o aprisionamento ao passado, os objetos simbólicos de uma época, a religiosidade incutida na cultura mineira. “Farnese de Saudade situa o ser humano no mundo, a partir de uma mente genial, a partir da arte de um homem que não se enquadra em nenhuma escola, em nenhum estilo”, explica o Vandré.

A estrutura cênica da montagem é uma gaiola de ferro no formato de uma cruz inserida em um espaço repleto de areia (referência às praias que Farnese percorria na busca pelos objetos de suas obras). O espetáculo tem dois momentos, um dentro e outro fora da gaiola. Dentro da estrutura, o ator revive o pensamento criativo de Farnese, como se fosse possível vê-lo construindo o seu inconsciente em cenas permeadas pelos símbolos sacros e pela memória da infância no interior de Minas Gerais. Fora da estrutura, a encenação representa a chegada do artista ao Rio de Janeiro, quando ele encontra o mar e outra fase se inicia. O cenário vai sendo montado e os objetos colocados de forma ritualística, como era a composição da obra do artista.

Ao final de cada apresentação, haverá um bate-papo do ator com a plateia. Nos dias 11 e 13 de abril, a diretora Celina Sodré ministrará a oficina Objeto-Personagem sobre o processo criativo e dramatúrgico do espetáculo instalação. Vandré Silveira participa da oficina com seu testemunho sobre a experiência. Os interessados precisam enviar currículo para farnesedesaudade@gmail.com. As inscrições são gratuitas.

SERVIÇO
Espetáculo: “Farnese de Saudade”
Temporada: de 10 a 27 de abril de 2014 (quinta-feira a domingo)
Horário: 19h15
Local: CAIXA Cultural São Paulo – Praça da Sé, 111
Entrada: franca (os ingressos poderão ser retirados na bilheteria com 1 hora de antecedência)
Capacidade: 80 lugares
Gênero: Drama
Duração: 45 min.
Classificação etária: 16 anos
Informações: (11) 3321-4400
Patrocínio: Caixa Econômica Federal

Oficina: “Objeto-Personagem”
Data: 11 e 13 de abril de 2014 (sexta-feira e domingo)
Horário: das 9h às 12h
Capacidade:20 vagas
Público-alvo: profissionais e estudantes de teatro
Inscrição: Gratuita.Os interessados devem enviar currículo para farnesedesaudade@gmail.com

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 26 março, 2014 18:01


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Era uma vez em Hollywood

Facebook