Sesc Campinas traz programação especial com obras cinematográficas de BERTOLT BRECHT

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 5 fevereiro, 2014 14:00

Sesc Campinas traz programação especial com obras cinematográficas de BERTOLT BRECHT

Um dos mais aclamados roteiristas e diretores de teatro da Alemanha, Bertolt Brecht é conhecido principalmente pelos trabalhos com o teatro épico e pelos questionamentos sociais e políticos que levanta com suas obras, porém além do impacto no teatro, Brecht também fez contribuições relevantes ao cinema. Ao longo de sua trajetória artística o poeta se interessou pelas potencialidades estéticas e políticas do cinema. Em sua colaboração cinematográfica podemos encontrar nove filmes e onze textos (contos ou peças) adaptados para a tela. Brecht também deixou vários roteiros completos e mais de vinte narrativas ou sinopses.

SESC CAMPINAS-bertolt brecht-PROMO-05FEVEREIRO2014-01-carrascos também morrem

Para resgatar parte da obra cinematográfica produzida por Brecht, em fevereiro, a programação do Sesc Campinas traz um recorte com três longas, cujos roteiros são da autoria do diretor alemão. Os filmes são de grande significância para a relação do também roteirista com o cinema, pois representaram momentos de ruptura, como é o caso de Khule Wampe, sendo o primeiro e único filme a expressar abertamente propostas políticas do ponto de vista do Partido Comunista Alemão.

A proposta é oferecer ao público uma oportunidade para conhecer um pouco mais sobre a vida e os trabalhos do diretor que finalizava suas obras sempre de maneira a estimular questionamentos para a melhor compreensão do mundo e não
simplesmente transmitindo mensagens positivas.

Brecht foi poeta, dramaturgo, romancista e teórico renovador do teatro moderno. Tinha influências marxistas, o que fez de seu teatro uma forma de conscientização do povo para questões da sua própria realidade, por esse motivo foi exilado da Alemanha Nazista, porém suas produções continuaram e em 1948 o dramaturgo volta à Alemanha. Oito anos mais tarde Brecht morreria na capital decorrente de um ataque cardíaco.

A programação, que é gratuita, acontece nos dias 04, 11 e 18 do mês, sempre as terças-feiras às 19h30 e conta com a exibição dos longas:

A Ópera dos Três Vinténs 
[Título original: Die 3-Groschen-Oper. Alemanha, 1931, 113 minutos. Direção: G.W.Pabst.]

MacHeath é uma figura notória do submundo de Londres. O seu casamento com Polly causa polêmica com a família da moça, que começa a desenhar uma maneira de acabar como casamento. A dinâmica entre as personagens acaba por expor as mazelas e corrupções da sociedade em que todos vivem. 14 anos
Dia 4, terça, às 19h30.

Kuhle Wampe
[Título original: Kuhle Wampe, oder: Wem gehört die Welt?. Alemanha, 1932, 71 minutos. Direção: Slatan Dudow.]

Após ver seu irmão tentar se suicidar por causa do desemprego, Anni e sua família são obrigados a se mudar para um acampamento rural nas imediações de Berlim. A rotina no acampamento e seus acontecimentos forçarão Anni a refletir sobre a política, a religião e o sistema legal de seu país. (KPD).14 anos
Dia 11, terça, às 19h30.

Os Carrascos Também Morrem
[Título original: Hangmen Also Die!. EUA, 1943, 132 minutos. Direção: Fritz Lang.]

Durante a ocupação nazista da Tchecoslováquia, o patriota tcheco Franticek assassina Reihard Heydrich, brutal comandante nazista conhecido pelo apelido “o carrasco da Europa”. Após ser obrigado a fugir e esconder-se, Franticek vêse
perseguido pela terrível Gestapo, a polícia secreta nazista, que desenvolve um plano cruel para obrigá-lo a entregar-se. 16 anos Dia 18, terça, às 19h30.

SESC CAMPINAS-bertolt brecht-PROMO-05FEVEREIRO2014-02

Um pouco mais sobre Brecht

O dramaturgo e poeta alemão Bertolt Brecht (1898 – 1956) nasceu em Augsburg, Alemanha. Aquele que iria se tornar uma das mais importantes figuras do teatro do século XX e seria o responsável por aprofundar o método de interpretação do teatro épico começou a escrever cedo. Quando estudante fundou o jornal escolar “Die Emte”, para o qual precisava de colaboradores, foi nesse período que Brecht conheceu alguns que seriam seus maiores colaboradores e amigos. O grupo fundou em 1916 uma aliança de interesse vivam em festas, faziam poemas e provocavam em versos cantados.

Com personalidade única, Brecht era incapaz de fazer algo sozinho, esse seria seu maior talento, como consequência seus colaboradores eram aceitos como seus parceiros, como pessoas necessárias, o poeta se aborrecia muito quando sozinho, por isso apreciava as construções coletivas e colaborativas. Em suas produções, Brecht também publicava sob o nome dos outros, não somente o dele, pois para ele quem teria escrito o quê não era tão importante, o principal era se divertir.

Em 1919 Brecht é convocado pelo exército para atuar, nesse ano muda-se para Munique para trabalhar como enfermeiro psiquiátrico de hospital de campanha, na Primeira Guerra Mundial. Nesse período ele escreve “A Lenda do Soldado
Morto” o que faria incluir seu nome, posteriormente, na lista negra dos nazistas, servindo de motivo para que fosse expatriado. Em 1922, ainda em Munique ele estreia, com sucesso, sua peça sobre a revolta de Spartacus “Tambores na Noite”, sua primeira peça no palco. Com o trabalho o diretor ganha o prêmio Kleist (prêmio literário anual alemão) por ter mudado da noite para o dia a face poética da Alemanha. Na mesma época conhece Erich Engel, diretor de cinema e
teatro, com quem veio a trabalhar até o fim de sua vida.

Brecht fazia teatro antiburguês e para se tornar um grande poeta partiu para metrópole, é quando ele sai de Munique em direção à Berlim. A cidade possuía uma frieza da qual fascinava o poeta, que a chama de “bosque” e “selva”. Lá ele se
estabelece com dificuldade e muda-se constantemente. Porém na capital surge uma nova indústria cultural e Brecht a serve escrevendo shows e canções. A obra artística agora é uma mercadoria e Brecht reconhece isso e aproveita as
leis do mercado. O diretor trabalha com todos os gêneros, publica em revistas de moda, compõe textos para discos e poemas publicitários. O dramaturgo vê os centros esportivos como modelo para seu novo teatro, o boxe principalmente o
encanta e sua música “Mahagonny” é cantada em um ringue. No festival de Música de Câmara em Baden-Baden o coletivo de Brecht apresenta um novo tipo de peça, a peça didática, onde o público não é necessário, pois a peça didática ensina os atores.

Em 1929 Elisabeth Hauptman traduziu para Brecht “A Ópera do Mendigo [Título Original – The Beggar’s Opera] de Jhon Gay, projeto no qual trabalhou para a reabertura do Teatro do Estaleiro [Theater am Schiffbauerdamm], juntamente com o músico Kurt Weil. A parceria renderia ao poeta uma de suas obras mais populares “A Ópera dos Três Vinténs” intitulada assim pelo diretor. O número musical de abertura “Die Moritat von Mackie Messe” se tornaria um dos
grandes standards dos jazz americano nas mãos de Louis Armstrong com o nome “Mack the Knife.

No dia 1º de maio de 1929 – Maio de Sangue – a queda da bolsa de Nova Iorque dá início a grande depressão e os brutais impactos do capitalismo tornam-se tema de suas peças, Brecht roda o filme proletário Kuhle Wampe e politicamente se torna mais radical.

Com a ascensão de Hitler, Brecht deixa Berlim em 1933 e exila-se em países como Suíça, Dinamarca e Estados Unidos da América. O poeta se sente deslocado, nada nas terras norte americanas lhe agrada. Brecht não combinava com o estilo de Hollywood, o modo como se comportava o que vestia o que olhava, o que dizia, eram diferentes. Foi nesse momento que o diretor escreve o roteiro de “Os Carrascos Também Morrem” para o diretor Fritz Lang, imigrante como ele, mas Lang quer outra coisa e se impõe. Brecht não consegue se identificar -“Aqui, ou se é vendedor ou produções continuaram, Brecht permaneceu com sua crítica ao nazismo e à guerra, temas que podemos encontrar nas obras como “Mãe coragem e seus filhos” (1939). Vítima da patrulha anticomunista (macartista) parte em 1947 para a Suíça onde redige o “Pequeno Organon”, suma de sua teoria teatral. Em 1948 volta à Berlim, na parte reservada da Alemanha Oriental. Ali funda, e a partir de 1949, dirige, conjuntamente com sua mulher o Berliner Ensemble, companhia teatral onde se encenavam principalmente suas peças. Dois anos antes de sua morte por ataque cardíaco, o dramaturgo iniciou a publicação de suas obras completas.

SERVIÇO
Evento: PROGRAMAÇÃO TRAZ RECORTE DAS OBRAS CINEMATOGRÁFICAS DE BERTOLT BRECHT
Data: de 4 a 18 de fevereiro – todas as terças
Local: Teatro do Sesc Campinas
Endereço: Rua Dom José I, 270/333 – Bonfim – CEP: 13070-741 Campinas/SP
Classificação etária: consultar programação
Ingressos: entrada gratuita
Informações para o público: (19) 3737-1500
*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.
Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 5 fevereiro, 2014 14:00


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Era uma vez em Hollywood

Facebook