Festival Gabriel Fauré | Concerto exalta obra de um dos maiores compositores da música erudita francesa do século XIX

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 4 setembro, 2013 09:02

Festival Gabriel Fauré | Concerto exalta obra de um dos maiores compositores da música erudita francesa do século XIX

O Coral Lírico e a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais se unem mais uma vez e recebem o maestro convidado, Roberto Tibiriçá, e os solistas Lício Bruno e Sérgio Anders, para um concerto no Grande Teatro do Palácio das Artes. Em uma celebração à música erudita francesa, a Fundação Clóvis Salgado, por meio de seus dois Corpos Artísticos, apresentam o Festival Gabriel Fauré.

A execução de Pavana abrirá a noite. Escrita em 1887, a obra pretende evocar a antiga dança espanhola que dá nome à composição e era apresentada na corte européia. A peça se destaca pela elegância da melodia e a originalidade harmônica, próprias do compositor. Com duração de sete minutos, possui letra do também francês conde Robert de Montesquieu e versos de sentido impreciso, à moda de Verlaine, que evocam a angústia romântica do ser humano.

Em seguida, é a vez do Réquiem, op. 48, com a participação do barítono Lício Bruno e do contratenor Sérgio Anders. A obra, composta entre 1880 e 1900, possui sete movimentos e é a mais conhecida de Fauré. Embora tenha escrito a obra no período entre a morte do pai (1885) e da mãe (1887), Fauré não a dedica a ninguém. “Meu Réquiem não foi escrito para nada, mas para o prazer, se posso assim dizer”, declarou em uma carta para o amigo Maurice Emmanuel. Já em uma entrevista ao professor Louis Aguettant, o compositor acrescenta: “Talvez, meu instinto me levou a vagar pelo caminho traçado depois de anos acompanhando funerais. Eu queria fazer algo diferente”.

Segundo o Maestro Roberto Tibiriçá, o Réquiem de Fauré se diferencia dos outros por não exaltar a dramaticidade e a tristeza da morte, mas a chegada do homem ao paraíso. Segundo o maestro, essa é a obra mais introspectiva e angelical do gênero. “Sua orquestração sugere otimismo após a morte”, revela. Para Tibiriçá, a arte de Fauré é reverenciada por sua elegância, clareza e recato poético, sendo, por isso, um dos maiores nomes da música francesa no século XIX.

SERVIÇO
Festival Fauré
Data: 11/09/2013 (quarta-feira)
Horário: 20h30
Local: Grande Teatro do Palácio das Artes
Classificação: 12 anos
Preço: R$ 15 (inteira), R$ 7,50 (meia-entrada)
fcs.mg.gov.br

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 4 setembro, 2013 09:02


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Era uma vez em Hollywood

Facebook

Socorro Virei uma Garota!