Animação brasileira “Uma História de Amor e Fúria” ganha o mais importante prêmio do mundo, o de melhor filme no Festival de Annecy, na França

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 18 junho, 2013 11:00

Animação brasileira “Uma História de Amor e Fúria” ganha o mais importante prêmio do mundo, o de melhor filme no Festival de Annecy, na França

Dirigido pelo diretor e roteirista Luiz Bolognesi e produzida pela Buriti Filmes e Gullane, o filme Uma Historia de Amor e Fúria foi premiado como “melhor filme de animação” na competição oficial do Festival de Annecy, na França. Esta foi a primeira vez em que um longa brasileiro foi selecionado na mostra competitiva, em 53 anos de festival.

Conhecido como o “Festival de Cannes da animação”, Annecy é o mais importante evento do gênero no mundo e acontece desde 1960. Neste ano, mais de 2500 desenhos animados foram inscritos no evento; apenas 13 foram selecionados para a mostra paralela e nove na competitiva.

“Uma História de Amor e Fúria” narra o amor entre Janaína e um guerreiro indígena que, ao morrer, assume a forma de um pássaro. Durante seis séculos, a história do casal sobrevive, atravessando quatro fases da história do Brasil: a colonização, a escravidão, o regime militar e o futuro, em 2096, quando haverá uma guerra pela água. Em todos estes períodos, os dois lutam contra a opressão.

Com traço e linguagem de HQ, o filme conta com participação de Camila, Selton Mello e Rodrigo Santoro interpretando os personagens principais e é destinado a jovens e adultos.

“Viver sem conhecer o passado é viver no escuro”

Uma História de Amor e Fúria – Trailer Oficial

“Uma História de Amor e Fúria” narra o amor entre Janaína e um guerreiro indígena que, ao morrer, assume a forma de um pássaro. Durante seis séculos, a história do casal sobrevive, atravessando quatro fases da história do Brasil: a colonização, a escravidão, o regime militar e o futuro, em 2096, quando haverá uma guerra pela água. Em todos estes períodos, os dois lutam contra a opressão.

Com traço e linguagem de HQ, o filme conta com participação de Camila, Selton Mello e Rodrigo Santoro interpretando os personagens principais e é destinado a jovens e adultos.

A história narra o amor entre Janaína e um guerreiro indígena que, ao morrer, assume a forma de um pássaro. Durante seis séculos, a história do casal sobrevive, atravessando quatro fases da história do Brasil: a colonização, a escravidão, o regime militar e o futuro, em 2096, quando haverá uma guerra pela água. Em todos estes períodos, os dois lutam contra a opressão.

Com produção da Buriti Filmes e Gullane – narra o amor entre Janaína e um guerreiro indígena que, ao morrer, assume a forma de um pássaro. Durante seis séculos, a história do casal sobrevive, atravessando quatro fases da história do Brasil: a colonização, a escravidão, o regime militar e o futuro, em 2096, quando haverá uma guerra pela água. Em todos estes períodos, os dois lutam contra a opressão. A estreia está marcada para o dia 5 de abril.

Em pílula divulgada recentemente, o diretor e os atores comentam sobre a criação de cada um dos personagens e ainda revelam curiosidades sobre as interpretações.

Ficha Técnica
Direção: Luiz Bolognesi
Roteiro: Luiz Bolognesi
Empresa produtora: Buriti Filmes Ltda./Gullane Entretenimento S.A
Produção: Fabiano Gullane; Caio Gullane; Luiz Bolognesi; Laís Bodanzky; Marcos Barreto; Debora Ivanov; Gabriel Lacerda
Distribuição: Europa Filmes
Fotografia: Anna Caiado e Daniel Greco
Montagem: Helena Maura
Música: Rica Amabis/Tejo Damasceno/Pupillo
Elenco Interpretação: Selton Mello e Camila Pitanga Participação Especial: Rodrigo Santoro
uma-histaria-de-amor-e-furia-official-poster-banner-poster-22marco2013-01

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 18 junho, 2013 11:00


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

A Espiã Vermelha

Facebook

Kardec