WALACHAI | Documentário dirigido por Rejane Zilles estreia dia 24 DE MAIO em circuito nacional

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 3 maio, 2013 11:00

WALACHAI | Documentário dirigido por Rejane Zilles estreia dia 24 DE MAIO em circuito nacional

‘Um pedaço do Brasil ainda desconhecido pelos próprios brasileiros’ assim que a diretora Rejane Zilles define Walachai, uma região localizada a 70 km de Porto Alegre e que nada lembra o movimento, as cores e os sons de uma cidade grande. Rejane apresenta ao espectador do documentário WALACHAI, – que estreia no dia 24 de maio nos cinemas – a vida de moradores de costumes e dinâmicas peculiares, opostos aos da vida urbana tão próxima.

Nestas comunidades rurais isoladas, vivem descendentes de imigrantes alemães que falam um antigo dialeto da região do Hunsrück, hoje raro na Alemanha. No entanto, esta é a primeira língua de quem nasce no Walachai. Passada de modo oral de geração para geração, não teve atualização de linguagem e continua sofrendo inserções de palavras criadas pelos moradores. Muitos desconhecem a língua portuguesa e, até mesmo, as próprias raízes europeias.

O filme parte do projeto de continuidade de O Livro de Walachai, curta-metragem também dirigido pela diretora, que nasceu e viveu na região até os nove anos de idade. O curta retratou a peculiar trajetória do professor e agricultor Benno Wendling, que registrou a estória de Walachai num livro todo escrito à mão.

Sinopse Oficial.: Walachai, em alemão antigo, significa lugar longínquo, perdido no tempo. Outros povoados de nomes singulares como Jamerthal, Batatenthal, Padre Eterno e Frankenthal, são comunidades rurais de origem alemã no Sul do Brasil, que têm uma dinâmica própria e ainda vivem distantes do mundo globalizado. Muitos de seus habitantes nunca aprenderam a falar português, comunicam-se num dialeto alemão transmitido pelas gerações de descendentes e, no entanto, nada sabem de sua Alemanha de origem. São todos brasileiros e se identificam como tal. Walachai não é apenas um filme sobre uma comunidade alemã. É antes de tudo sobre o inusitado e raro que habita este lugar. Conecta o público do Brasil urbano contemporâneo a uma forma diferente de viver, revelando um pedaço do país ainda desconhecido. 

A ideia de documentar a singularidade deste povoado está ligada à história pessoal da diretora do filme. Rejane Zilles nasceu e viveu sua primeira infância nesta comunidade de 400 habitantes, e como a maioria das crianças do lugar aprendeu a falar português apenas aos sete anos de idade, quando ingressou na escola. Hoje mora no Rio de Janeiro, mas ainda fala o dialeto local e mantém laços familiares na comunidade — o que lhe permitiu uma abordagem especial e única do assunto. Ao filmar, documenta seu retorno ao povoado de origem, que segue lhe impressionando, a cada imersão em seus interiores.

Sobre a diretora – Rejane Zilles

Atriz,diretora e produtora, iniciou a carreira profissional em Porto Alegre, no teatro. Nos anos 1990 mudou-se para o Rio de Janeiro, onde cursou Artes Cênicas na UNIRIO. Desde então vem atuando no teatro, cinema e televisão. Gravou várias participações em novelas da TV Globo, onde destaca as mais recentes: A Vida da Gente, Cheias de Charme, Louco por Elas, Salve Jorge e Programa Encontro com Fátima Bernardes.

No cinema atuou em Cronicamente Inviável – de Sergio Bianchi, Vox Populli – de Marcelo Lafitte, Chico Xavier – de Daniel Filho e Nove Crônicas para um Coração aos Berros – de Gustavo Galvão. Participou da produção de lançamento de filmes nacionais de grande destaque, como: Central do Brasil – de Walter Salles; Domésticas – de Fernando Meirelles e Nando Olival; O Dia da Caça – de Alberto Graça, Doces Poderes – de Lúcia Murat, Hans Staden – de Gal Pereira, entre outros.

Produziu e dirigiu o curta-metragem O Livro de Walachai – exibido em inúmeros festivais. Estreou como diretora de longa-metragem, no documentário WALACHAI.

Coordenou diversas mostras e projetos de exibição pelo Brasil, como a Mostra Premiére Brasil do Festival do Rio BR e o projeto Cinema BR em Movimento – circuito de exibição de filmes brasileiros em universidades e comunidades em todo o território nacional. Foi curadora da Muestra de Cine BrasilNoar – uma mostra de curtas metragens brasileiros em Barcelona e é diretora do Festival MIMO de Cinema, que acontece anualmente em Olinda/Pernambuco.

walachai-officiail-poster-banner-promo-poster-03maio2013

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 3 maio, 2013 11:00


Escreva um comentário

1 Comentário

  1. Stela Maria suzart janeiro 18, 23:27

    A Rejane Zilles,tem um olhar sensível,é de dar água na boca.O lugar é muito bonito!

    Responder a esse comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*