Rita Clemente estreia no CCBB Rio a peça “Dias Felizes: Suíte em nove movimentos”

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 11 abril, 2013 08:01

Rita Clemente estreia no CCBB Rio a peça “Dias Felizes: Suíte em nove movimentos”

Todos os dias Winnie acorda, escova os dentes e conversa com alguém que não responde. Ainda assim, ela resiste e transforma a tragédia do cotidiano em um emocionante e bem humorado musical. “Dias Felizes”, de Samuel Beckett, inspirou a diretora e atriz mineira Rita Clemente a compor a ópera contemporânea “Dias Felizes – Suíte em Nove Movimentos” que será apresentada pela primeira vez no Rio de Janeiro. A estreia será no CCBB Rio no dia 18 de abril e a temporada de quarta a domingo, às 19h30. Ingressos a R$6.

A peça apresenta situações da trajetória de Winnie, interpretada por Rita, em nove partes, como num concerto. O conceito da incomunicabilidade, característica de autores como Beckett, é substituído pelo desejo de comunicação, tornando a protagonista uma rebelde senhora que se esforça para tornar sua limitada rotina, feliz.

Em “Dias Felizes”, Beckett pontua o texto por suas rubricas, como numa partitura musical. As pausas da personagem indicam uma densidade sonora, sugerindo uma leitura rítmica e melódica da situação e reforça a métrica tanto na palavra quanto no gesto. Na montagem de Rita Clemente, nove momentos musicais orientam o jogo cênico: Fuga, Rapsódia, Rondó, Fantasia, Moteto, Recitativo, Área, Vocalise e Prelúdio. “Em cada um destes movimentos pesquisamos sonoridades, melodias, relações entre o erudito, o rock e o pop para contar a história de Winnie”, explica a diretora.

Premiado pelo pelo Simparc/Usiminas, o figurino da personagem é o próprio cenário da peça. Apresenta simplicidade e simetria e tem seu ponto de partida na proposição clara do autor. A pesquisa de materiais foi baseada em textura e cor e os conceitos que norteiam o estudo de Rita – que assina cenário e figurino de alguns de seus espetáculos independentes – apontam para a importância da relação sensorial do ator com seu material de cena. “Ao aumentar a responsabilidade do ator na composição geral do espetáculo, não há a expectativa endossar o rótulo de ‘ator criador’, mas sim deixar que naturalmente as funções estejam entrelaçadas numa unidade de pensamento”, esclarece Rita.

“Dias Felizes: Suítes em Nove Movimentos” estreou no Festival Temporales Internacionales do Chile, em 2006. Foi apresentado em espanhol para cerca de 1200 espectadores, em quatro localidades, tendo sessão extra na cidade sede do festival, Puerto Montt. Participou da Mostra Contemporânea de Arte Mineira, em São Paulo, em 2009, quando também cumpriu temporada na campanha de popularização de teatro. Em 2011, abriu a “Mostra Rita Clemente”, no Teatro Oi Futuro Klaus Viana.

“Dias Felizes” por Rita Clemente

“Quando quero recorrer à ousadia, me inspirar com algo novo, leio um clássico. Essa contradição traduz claramente minha reverência pela obra de Samuel Beckett, assim como, por outro lado, me absolve de uma possível culpa por apropriação de sua obra. Pois é o próprio clássico que me ensina a buscar a singularidade em cada vírgula: ‘Meu texto é um conjunto de sons fundamentais. O resto não me responsabilizo’, disse o autor de “Dias Felizes”. Com essa frase, além de orientar definitivamente minha escolha pelo estreitamento das linguagens teatral e musical, este autor que é um ícone de revolução no campo da dramaturgia, ratifica seu papel histórico e artístico de libertação”.

SOBRE RITA CLEMENTE

Indicada ao Prêmio Shell SP e Qualidade Brasil SP, em 2008, pela direção de “Amores Surdos” (Grupo Espanca!), Rita Clemente é graduada em Música pela Universidade Estadual de Minas Gerais e em Artes Cênicas (formação de ator), pela Fundação Clóvis Salgado (CEFAR – Palácio das Artes), onde lecionou durante 10 anos no Curso Técnico de Formação de Atores. Foi professora no Curso de Licenciatura em Artes Cênicas da Universidade Federal de Ouro Preto e Coordenadora e professora dos Cursos Livres do galpão Cine Horto.

Estreou como diretora em “Luas e Luas”. Em 2004, dirigiu a Cia. Luna Lunera, no Projeto “Cena 3×4” do Galpão Cine Horto, sob a orientação de Antônio Araújo e Luis Alberto de Abreu. Nos últimos anos, assinou a direção de diversos trabalhos, como “Rubros” (de Adélia Nicolete); “O Rinoceronte”, com os formandos do Cefar/2007 Palácio das Artes; “Amores Surdos” (Grupo Espanca!), “Dias de Verão” (O Clube); “Proibido Deitar” (O Clube) entre outros.

Em 2012, coordenou a Edição Comemorativa de 15 Anos Do Oficinão Galpão Cine Horto, no Espaço Cultural do Grupo Galpão, assinando a direção do espetáculo “Delírio e Vertigem”, com textos curtos de Jô Bilac.

Na televisão, estreou no seriado “A Cura”, em 2010, com direção de Ricardo Waddington e fez parte do elenco da novela “A Vida da Gente” (2011-2012), com direção de Jayme Monjardim, ambas da TV Globo.

SERVIÇO
“Dias Felizes: Suíte em 9 Movimentos”
Estreia para convidados: 17 de abril, às 20h.
Datas da temporada: 18 de abril a 26 de maio – quarta a domingo
Horário: 19h30
Centro Cultural Banco do Brasil – Teatro III
Endereço: Rua Primeiro de Março, 66 – Centro – Rio de Janeiro
Classificação: 16 anos
Duração: 55 minutos
Ingressos: R$6 inteira / R$3 meia
Tel: (21) 3808-2020
Lotação: 97 lugares

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 11 abril, 2013 08:01


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Aprendiz de Espiã

Facebook