Vivo Rio recebe o show “Carta de Amor” da cantora Maria Bethânia

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 2 abril, 2013 20:30

Vivo Rio recebe o show “Carta de Amor” da cantora Maria Bethânia

Carta de Amor, o show de Maria Bethânia que encantou os cariocas na sua estreia em novembro passado, retorna aos palcos do Vivo Rio nos dias 13 e 14 de abril – com ingressos já esgotados – onde será registrado em DVD numa parceria da Biscoito Fino e Canal Brasil e direção de Bia Lessa.

A turnê de Carta de Amor já passou por Salvador, Belo Horizonte, Fortaleza, Uberlândia, Porto Alegre e São Paulo – todos também com ingressos esgotados. Depois da capital carioca, o show segue para outras cidades (agenda abaixo).

Lançado em março do ano passado, o álbum Oásis de Bethânia veio com formato novo em sua carreira: cada uma das 10 músicas do disco recebeu um arranjo inédito de convidados especialíssimos – que trouxeram a sofisticação de seus arranjos, unidos à voz única de Bethânia, trazendo o tempero ideal para a sonoridade marcante do novo trabalho.

E é esta sonoridade nova que Carta de Amor traz. “O show vem do disco; é a base de onde eu parti, da mudança sonora que fiz ali com vários músicos”, conta Bethânia. “O título do show não se refere apenas à faixa do disco Carta de Amor, mas a todo tipo de amor que canto no show: o amor maduro, o amor inconstante, o amor traído, o amor eterno, o passageiro, o triste, o alegre…”, completa.

“Convidei o Wagner Tiso, maestro das Minas Gerais, para tocar com uma cantora baiana!”, brinca. Além de Wagner Tiso (maestro e piano), Gabriel Improta (violão e guitarra), Paulo Dafilin (violão e viola), Jorge Helder (baixo), Pantico Rocha (bateria), Marcelo Costa (percussão) e Marcio Mallard (cello) a acompanham.

Wagner, que já gravou com Bethânia, mas está dividindo o palco com ela pela primeira vez, acha a experiência inovadora. “Já toquei com outros baianos, mas com Bethânia é diferente porque ela leva o teatro para o palco. Trabalhar com ela é interessante artisticamente porque ela sabe muito bem o que quer e trata com muito respeito o trabalho e a carreira. É uma pessoa doce e educada, firme naquilo que quer para seus shows”. O maestro completa: “Meu objetivo é colorir as ideias de Bethânia. Levo para o show minha cabeça orquestral, o que dá um contraste bonito entre o recôncavo dela e minha mineirice. E conto com a ajuda desses músicos maravilhosos”.

E são a leveza e a cumplicidade em cena da cantora com os músicos que têm chamado a atenção do público e críticos desde a estreia do espetáculo. Da iluminação aos arranjos, da banda ao maestro, da cenografia ao figurino, tudo parece novo neste show, mostrando que Bethânia, aos 67 anos e 48 anos de carreira, se renova sempre.

Bia Lessa, diretora que já tem intimidade com seus espetáculos, assina a direção e cenário e a iluminação é de Tomás Ribas. Bia desenhou um cenário conciso para retratar o momento de Maria Bethânia. Não há elementos desnecessários, há o vazio do palco, preenchido por um tapete de tiras entrelaçadas, costuradas artesanalmente uma a uma, que remete ao universo popular e erudito e um pedaço de tronco que nos faz lembrar a natureza e os seus ciclos. Um dia esse tronco foi semente, depois arbusto, depois árvore, agora um espaço para se recostar. Apenas isso; no mais são luzes suspensas que sobem e descem do palco criando espaços, ambientes e situações. Uma única imagem no final do espetáculo sintetiza para Bia o que é esse show, “uma celebração do ofício da cantora: celebrar a vida através de suas mais profundas convicções”.

O show traz sucessos de sua carreira, músicas do novo CD e canções inéditas em sua voz. No roteiro, canções do novo disco como Casablanca e Barulho (ambas de Roque Ferreira), Velho Francisco (Chico Buarque), Salmo (Rafael Rabelo/ Paulo Cesar Pinheiro) e Carta de Amor – esta que inspirou o título do álbum com um texto de sua autoria e música de Paulo César Pinheiro. Entre as músicas interpretadas por ela pela primeira vez, composições de Caetano Veloso (Não Enche), Arnaldo Antunes (A Casa é Sua) e do português Pedro Abrunhosa (Quem Me Leva os Meus Fantasmas), além da inédita Em Estado de Poesia, de Chico César. E ainda no roteiro, um medley de sambas de roda ligados por linha tênue à chula, costurados por Reconvexo (Caetano Veloso), sem deixar o Brasil rural de lado e sem esquecer os clássicos de seu repertório.

SERVIÇO
“Carta de Amor” – Maria Bethânia
Local: Vivo Rio
Endereço: Av. Infante Dom Henrique, 85 – Parque do Flamengo/ RJ
Data: 13 e 14 de abril, sábado e domingo de 2013
Preços: Camarotes: A – R$ 240,00; B – R$ 220,00 e C – R$ 180,00 / Frisas e Setor 1: R$ R$ 220,00 / Setor VIP:  R$ 240,00;  Setor 02: R$ 180,00, Setor 03: R$ 150,00 e Setor 04: R$ 60,00 – já esgotados para os dois dias
Horário de abertura: sábado: 20hs e domingo: 18hs
Horário de início do show: sábado, às 22hs, e domingo, às 20hs
Classificação etária: 16 anos
Capacidade: 2.242 pessoas
Classificação: 15 anos e menores somente acompanhados dos pais

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 2 abril, 2013 20:30


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Aprendiz de Espiã

Facebook